Olho no Olho estreava há 24 anos

Natália do Vale e Tony Ramos em Olho no Olho
Natália do Vale e Tony Ramos em Olho no Olho (divulgação)

No dia 06 de setembro de 1993, entrava no ar na faixa das sete da Globo a novela Olho no Olho. Depois de apostar na saga dos vampiros na aclamada Vamp, o autor Antonio Calmon voltava a apostar na fantasia, desta vez com uma história sobre paranormalidade. Escrita com Maria Carmem Barbosa, Tiago Santiago, Vinicius Vianna, Lilian Garcia, Tetê Smith e Patrycia Travassos, Olho no Olho tinha direção-geral e de núcleo de Ricardo Waddington.

A trama girava em torno do padre Guido Bellini (Tony Ramos), que vivia em Roma, na Itália, quando é procurado pelo misterioso Armando (Stênio Garcia). Numa confissão, Armando revela que está sendo procurado por uma organização criminosa, cujos integrantes possuem estranhos poderes paranormais. A princípio, Guido não acredita na história, mas quando descobre que Armando morreu pouco tempo depois da confissão, se sente culpado, já que acredita que poderia ter evitado a morte do homem. Assim, ele decide largar a batina e voltar para o Brasil, no intuito de descobrir mais sobre a organização e seus estranhos poderes.

Em São Paulo, Guido começa a estudar a paranormalidade, ao mesmo tempo em que descobre que a tal organização que matou Armando é chefiada por César Zapata (Reginaldo Faria) e seu sobrinho Fred (Nico Puig), jovem com poderes paranormais. Em suas descobertas, Guido também acaba se aproximando de Alef (Felipe Folgosi), que também é um paranormal, mas que ainda está aprendendo a lidar com seus poderes. Guido e Alef, então, se unem para combater César e Fred.


Alef é filho de Débora (Natália do Vale), por quem Guido se apaixona. No entanto, César também é apaixonado por Débora, e fará de tudo para manter Guido afastado de seu amor. Ao mesmo tempo, Guido reencontra Malena (Helena Ranaldi), seu amor de adolescência, e que vive na casa das tias dele, Julieta (Cleide Yáconis) e Viridiana (Eva Todor). Malena vê seu amor pelo ex-padre reacender, mas viverá com ele uma relação de amor e ódio. Enquanto isso, Fred e Alef também se tornam rivais em nome de um amor, disputando a atenção da jovem Cacau (Patrícia de Sabrit).

Olho no Olho substituiu a problemática O Mapa da Mina, última novela assinada por Cassiano Gabus Mendes. A trama registrou baixos índices de audiência, que preocuparam a direção da Globo ao ponto de a emissora considerar inverter o horário da trama das sete com o sucesso Mulheres de Areia, que era exibida às seis. A ideia não foi adiante, mas a direção da emissora entregou a Antonio Calmon a dura missão de levantar o horário, já que o autor havia feito muito sucesso anteriormente com Vamp. Assim, o novelista voltou a apostar numa mistura entre trama juvenil e fantasia, trazendo à tela personagens paranormais, que disparavam raios com os olhos.

Entretanto, a novela não “pegou” de cara. Faltava à trama de Olho no Olho o humor de Vamp, já que ela tinha um clima mais soturno e enigmático. Para resolver esta situação, a autora Maria Carmem Barbosa foi convocada para integrar a equipe de colaboradores da trama. Ela criou o personagem da Patrycia Travassos, a Duda, tentando repetir o sucesso da atriz como a inesquecível Mary Mattoso, de Vamp. Patrycia, que era colaboradora no texto, passou então a dar expediente duplo na história. Mas a estratégia não deu certo, e Olho no Olho não foi o sucesso esperado pelo canal.

Olho no Olho marcou a estreia dos atores Patrícia de Sabrit, Alessandra Negrini e Rodrigo Santoro em novelas da TV Globo. Foi a última novela do ator Felipe Pinheiro, que faleceu em 1º de novembro de 1993, antes do final da trama. Ele vivia o personagem Bob Walter.

Leia também:

Há 14 anos, SBT lançava o “Jornal das Pernas”

Relembre a abertura de Olho no Olho: