A Grande Família terminava há três anos

A Grande Família
A Grande Família (Divulgação/ TV Globo)

No dia 11 de setembro de 2014, a Globo exibia o último episódio de A Grande Família, o seu mais longevo seriado. Com 14 temporadas e 485 episódios, a atração fez história na televisão brasileira, ao aliar qualidade com alta audiência. A série tornou-se uma referência para a emissora, que abriu o leque de séries de humor em sua grade em razão do sucesso de A Grande Família.

Esta famosa A Grande Família era, na verdade, versão de um antigo programa da Globo, que foi exibido em 1972. Criado originalmente por Max Nunes e Roberto Freire e roteirizado por Oduvaldo Vianna Filho e Armando Costa, A Grande Família tinha Jorge Dória e Eloísa Mafalda como os patriarcas Lineu e Nenê. A ideia da nova versão partiu do Diretor de Núcleo Guel Arraes, que pretendia fazer um remake como uma homenagem à atração original. A princípio, A Grande Família teria apenas 12 episódios e seria exibida a partir de janeiro de 2001, durante as férias do Sai de Baixo, nas noites de domingo.

Entretanto, atrasos na produção fizeram com que A Grande Família estreasse apenas em abril de 2001, como parte da nova programação da emissora. Para o elenco, a direção trouxe grifes, como Marco Nanini, Marieta Severo e Rogério Cardoso. Nanini vinha de participações esporádicas na telinha, enquanto Marieta emendou o final de Laços de Família, onde vivia a sofisticada Alma Flora Pirajá de Albuquerque, para encarnar a suburbana Nenê. Já Rogério Cardoso dava triplo expediente na grade da emissora, pois aparecia também no Zorra Total e na Escolinha do Professor Raimundo. Pedro Cardoso, Lucio Mauro Filho e a então desconhecida Guta Stresser completavam o cast.


Com o adiamento da série para abril, A Grande Família acabou encaixada na segunda linha de shows das quintas-feiras, após o Linha Direta. A atração anterior a ocupar a faixa era o Você Decide, que saiu do ar em meados de 2000. A princípio, a audiência da comédia não foi das melhores, até porque concorria com o Show do Milhão, que fazia sucesso no SBT. Entretanto, como foi bem avaliada internamente, e como a emissora não tinha nada programado para ocupar o horário, a série acabou ganhando mais do que os episódios inicialmente previstos. Aos poucos, A Grande Família foi agregando público, e o canal acabou encomendando uma segunda temporada.

Mas a consagração da série só viria mesmo a partir de seu segundo ano. Durante o período eleitoral de 2002, a série foi deslocada para a quarta-feira após a novela, excepcionalmente, e os resultados foram muito melhores. Percebendo o potencial da atração, a direção da emissora acabou invertendo a ordem de exibição entre Linha Direta e A Grande Família, fazendo a comédia deslanchar.

A Grande Família, então, tornou-se um dos maiores sucessos da emissora. Lineu, Nenê, Tuco, Bebel, Agostinho e Seu Flor caíram nas graças do público, com aventuras divertidas e com a boa abordagem de uma típica família suburbana. Os personagens passaram a ter vida própria e apresentaram evoluções constantes, como na vida real. No início, toda a família era sustentada por Lineu, comportando-se como verdadeiros parasitas. Aos poucos, porém, a coisa foi mudando. Agostinho tornou-se garçom de motel até chegar ao seu tradicional táxi, enquanto Bebel virou manicure. Na reta final, até a dona de casa Nenê, que vivia para a família, foi trabalhar fora.

A família também foi crescendo. Aos poucos, a série deixou de focar apenas a casa da família Silva, para ganhar um bairro inteiro, fazendo surgir vários agregados. Entre os mais famosos, o pasteleiro Beiçola (Marcos Oliveira) e a cabeleireira Marilda (Andrea Beltrão), melhor amiga de Nenê. Também vieram Mendonça (Tonico Pereira), chefe de Lineu, a enxerida vizinha dona Abigail (Marcia Manfredini) e o hilário Paulão da Regulagem (Evandro Mesquita). A família também teve baixas significativas: com a morte de Rogério Cardoso, seu personagem Seu Flor também faleceu na série.

Porém, após tantos anos no ar, A Grande Família também enfrentou um desgaste natural. As histórias, embora ainda estivessem inteligentes e divertidas, começaram a andar em círculos. Para adicionar um frescor, em seus últimos anos, a série passou a ter temporadas menores. Também começou a apostar em arcos de trama maiores, que permeavam toda a temporada, fazendo a série ganhar mais musculatura narrativa. Tudo isso ajudou para que A Grande Família fosse encerrada dignamente, num simpático último episódio que serviu como uma bela homenagem ao seu elenco e à sua trajetória.

Por falar a língua do espectador brasileiro, ao ponto de fazer o espectador se reconhecer, A Grande Família fez história na TV e deixou muitas saudades.

Leia também:

Chocolate com Pimenta estreava há 14 anos

Relembre as abertura de A Grande Família: