Chico Anysio na Escolinha do Professor Raimundo
Chico Anysio na Escolinha do Professor Raimundo (divulgação)

No dia 4 de agosto de 1990, a Globo estreava o humorístico Escolinha do Professor Raimundo, de Chico Anysio. A atração tornava-se um programa independente na televisão, depois de ter feito sucesso no rádio e se tornado um quadro em diversos programas da TV brasileira.

A Escolinha do Professor Raimundo, na verdade, surgiu em 1952 na Rádio Mayrink Veiga. O programa se passava numa sala de aula onde o Professor Raimundo Nonato (Chico Anysio) servia como escada para as piadas de três alunos, vividos por Afrânio Rodrigues, João Fernandes e Zé Trindade. Com o sucesso do programa no rádio, ele ganhou sua versão televisiva em 1957, sendo exibido no programa Noites Cariocas, da TV Rio. A Escolinha passou ainda pelas TVs Excelsior e Tupi, até chegar à Rede Globo, onde foi exibida como parte dos programas Chico City (1973), em seu formato de três alunos e professor, e Chico Anysio Show (1988), com uma sala de aula maior, com 20 alunos.

Com o sucesso e longevidade do quadro, Chico Anysio teve a ideia de torná-lo uma atração à parte. Inicialmente semanal, nas noites de sábado, o programa trazia personagens já clássicos da atração, como Joselino Barbacena (Antônio Carlos Pires), Seu Mazarito (Costinha) e Rolando Lero (Rogério Cardoso). Além destes, trouxe alguns novos alunos, como Sérgio Mallandro, que vivia ele mesmo, e Dona Cacilda (Claudia Jimenez).

Pouco tempo após a estreia, Escolinha do Professor Raimundo se tornou um programa diário, exibido nos finais de tarde, além de manter sua edição semanal, que passou das noites de sábado para as quartas-feiras. Assim, mais novos alunos chegaram, como Paulo Cintura, João Canabrava (Tom Cavalcante) e Nerso da Capitinga (Pedro Bismarck). Esta é a fase mais lembrada pelos fãs, com muitos personagens marcantes: Bicalho (Antonio Pedro), Geraldo (Castrinho), Dona Capitu (Claudia Mauro), Batista (Eliezer Motta), Zé Bonitinho (Jorge Loredo), Patropi (Orival Pessini), Eustáquio (Grande Otelo), Suppapou Uaci (Jaime Filho), Aldemar Vigário (Lucio Mauro), Seu Boneco (Lug de Paula), Samuel Blaustein (Marcos Plonka), Bertoldo Brecha (Mário Tupinambá), Seu Ptolomeu (Nizo Neto), João Bacurinho (Olney Cazarré), Seu Peru (Orlando Drummond), Galeão Cumbica (Rony Cócegas), Dona Cândida (Stella Freitas), Marina da Glória (Tássia Camargo), Baltazar da Rocha (Walter D’Ávila) e Dona Bela (Zezé Macedo).

Escolinha do Professor Raimundo ocupou a faixa das 17h30 da Globo até 1995, quando acabou cancelada em razão do desgaste da fórmula. O horário passaria a ser ocupado pela trama juvenil Malhação, no ar até hoje, enquanto Chico Anysio, no ano seguinte, se dedicaria a um novo humorístico, Chico Total. No entanto, em 1999, o diretor Homero Salles e as produtoras Câmera 5 e GPM, resolvem resgatar a ideia e lançam a Escolinha do Barulho, atração que reuniu boa parte dos ex-alunos de Chico Anysio, como Geraldo, Samuel Blaustein, Bertoldo Brecha, Galeão Cumbica e Seu Eugênio (César Macedo), por exemplo. Exibido no horário nobre da Record, o programa fez sucesso, mas Chico Anysio não gostou da novidade e, na época, criticou os atores que optaram por reviver seus personagens na nova atração.

Com o sucesso da Escolinha do Barulho, a Globo “ressuscita” Escolinha do Professor Raimundo ainda em 1999, como um quadro do Zorra Total, humorístico que acabara de estrear. Dois anos depois, em 2001, a emissora volta a apostar novamente na Escolinha como um programa solo, nos fins de tarde, trazendo vários novos personagens. Nesta leva se destacaram Seu Fininho (André Mattos), Dona Tesinha (Daniele Valente), Tati (Heloisa Périssé) e Paulinho Gogó (Maurício Manfrini), além dos veteranos Sara Rebeca (Berta Loran), Dona Lusa do Canindé (Fafy Siqueira), Seu Peru e Aldemar Vigário, entre outros. Apesar dos bons momentos, a audiência desta nova temporada não agradou a direção da emissora, que cancelava a Escolinha definitivamente no final do mesmo ano.

Depois disso, a Escolinha reapareceu diferente no especial de fim de ano Chico e Amigos, em 2009. No programa, o humorista retomava seu mais famoso personagem diante de uma sala de aula formada por vários outros de seus personagens, como Alberto Roberto, Neide Taubaté e Bento Carneiro. Já em 2008, uma outra “cópia” do programa surge, desta vez na Band, com o nome Uma Escolinha Muito Louca. Com Sidney Magal como professor, o programa trazia Seu Eugênio das escolas anteriores, além de ter no elenco Orival Pessini, que vivia um personagem novo, Ranulpho Pereira. Já os demais personagens eram diferentes. Em 2011, foi a vez de Gugu Liberato assumir o guarda-pó de mestre na Escolinha do Gugu, em seu dominical na Record, e tratou de também resgatar alguns personagens, como Seu Eugênio, Cândido Manso (Iram Lima) e Salim Muxiba (João Elias).

Em 2015, a Globo, em parceria com o Viva, passou a produzir um remake da Escolinha do Professor Raimundo. Na nova atração, um novo elenco revive personagens clássicos, como Zé Bonitinho (Mateus Solano), Catifunda (Dani Calabresa), Dona Cacilda (Fabiana Karla) e Seu Peru (Marcos Caruso). Já o professor Raimundo é vivido por Bruno Mazzeo, filho de Chico Anysio.

Leia também:

Há 25 anos estreava De Corpo e Alma, novela marcada por uma tragédia

Reveja um episódio da Escolinha do Professor Raimundo: