Mara apresentando o Mundo Maravilha
Mara apresentando o Mundo Maravilha (reprodução)

No dia 9 de junho de 1997, a apresentadora Mara Maravilha estreava nas manhãs da Record aquele que seria o seu último programa infantil: Mundo Maravilha. A atração era diferente dos outros infantis de Mara, pois não tinha auditório e seu conteúdo era mais didático. Porém, teve vida curta e saiu do ar no início de 1998, encerrando a carreira de apresentadora infantil da artista.

Mara Maravilha era contratada da Record desde o ano anterior, 1996. Ela havia ficado afastada da televisão brasileira desde o seu desligamento do SBT, em 1994, emissora que a transformou num ídolo infantil. Seu primeiro programa na nova casa era o Mara Maravilha Show, inicialmente apresentado nas tardes de sábado e, depois, nas tardes de segunda a sexta. Na época, a Record engatinhava rumo ao terceiro lugar no ranking no Ibope e apostava na apresentadora para consolidar sua programação infantil, que era inexpressiva.

E 1997 foi o ano em que a emissora investiu bastante neste segmento, adquirindo um pacote de novos e bons desenhos animados, entre eles vários originais do Cartoon Network e as novas séries de heróis da DC, como Batman e Robin e As Aventuras do Superman. E tratou de espalhá-los por várias faixas da programação, como o Domingo Criança, Desenhos da Vovó, com a Vovó Mafalda, e A Turma do Agente G, com Gérson de Abreu.

Neste contexto, surgiu o Mundo Maravilha, pouco tempo após a extinção do Mara Maravilha Show. Na nova atração, Mara surgia num cenário colorido, com motivos de ateliê de arte, e contracenava com bonecos e convidados. Ela também recebia crianças no palco, dando espaço para que elas desenhassem e pintassem, e ensinava artes manuais, no quadro “Passo a Passo”. Já no “Alô Mara”, a apresentadora telefonava para a casa dos telespectadores e fazia brincadeiras com eles, que concorriam a prêmios.

Além disso, Mara também atuava em externas, em quadros como Mara Visita, no qual ela mostrava a casa de um artista e fazia uma entrevista com ele. Os palhaços Ketchup e Mostarda, que a acompanhavam desde o Mara Maravilha Show, também faziam reportagens externas. E, claro, havia uma sacolada de desenhos, como Batman e Robin, Ace Ventura, Snoopy, Gato Félix e Garfield e seus Amigos.

Mundo Maravilha ocupava a parte final da manhã infantil da Record, que exibia, antes, a série O Mundo de Beakman, e também A Turma do Agente G. Nesta época, a emissora era pequena diante dos já consolidados infantis das manhãs do SBT e da Globo, e ainda era praticamente inexpressiva no segmento. A Record só ganharia mais espaço na área a partir do ano seguinte, 1998, quando contratou Eliana e lançou o Eliana & Alegria.

Não se sabe ao certo o que levou o fim do Mundo Maravilha, mas podia-se notar que a atração foi perdendo investimentos aos poucos. Em seus últimos episódios, já não tinha crianças desenhando e nem os quadros diversos, e mostrava apenas Mara chamando os desenhos. Na última edição do programa, exibida em 2 de janeiro de 1998, ela se despediu dizendo que voltaria em breve com novidades. Mas ela não voltou mais à TV em infantis, e passou a se dedicar, apenas, à sua carreira de cantora. Ela voltaria ao ar pela Record apenas em 2002, no noturno e adulto A Noite É Nossa, no qual ficou por pouco tempo. Depois, comandou alguns programas com foco gospel, até sair do ar de vez. Foram anos sem um espaço fixo na TV, até voltar ao ar no ano passado integrando o Fofocando/Fofocalizando, vespertino do SBT.

Leia também:

Irmãos Coragem estreava há 47 anos

Reveja a estreia do programa Mundo Maravilha: