Débora Duarte e Antonio Fagundes em Corpo a Corpo
Débora Duarte e Antonio Fagundes em Corpo a Corpo (divulgação)

No dia 21 de junho de 1985, chegava ao fim a novela Corpo a Corpo, sucesso do horário das 20 horas da Rede Globo. Escrita por Gilberto Braga, era mais uma trama do autor a trazer a temática da vingança e da ascensão social.

Em Corpo a Corpo, Eloá (Débora Duarte) era uma mulher ambiciosa, cuja personalidade contrastava com a do marido, Osmar (Antonio Fagundes). Em busca de uma promoção na empresa de engenharia onde trabalhava, ela tenta de tudo, inclusive uma espécie de “pacto com o diabo”. Ela faz um acordo com o misterioso Raul (Flávio Galvão), que parecia ser o demônio, e inicia uma fase de plena ascensão profissional. Entretanto, seu casamento entra em ruínas, já que Osmar não aceita o caráter ambicioso da esposa.

O que Eloá não sabe é que Raul não entrou em sua vida por acaso. O homem, na verdade, foi enviado pela enfermeira Tereza (Glória Menezes), como um plano de vingança. É que, no passado, Tereza fora muito apaixonada por Osmar, mas acabou sendo desprezada por ele, que preferiu se casar com Eloá.

Tereza trabalha como enfermeira do milionário Alfredo Fraga Dantas (Hugo Carvana), proprietário da firma de engenharia onde trabalha Eloá. O rico senhor é alvo das armações da vilã Lúcia Gouveia (Joana Fomm), uma mulher dona de um passado de riqueza, mas estava completamente falida. Assim, se casar com o milionário é seu objetivo, e ela acaba conseguindo. Entretanto, Lúcia gostava mesmo do ex-presidiário Amauri (Stênio Garcia), com quem tivera um romance no passado. Quando Amauri fica sabendo do casamento da amada, passa a planejar a morte de Alfredo.

No fim da trama, Lúcia, Amauri e Raul morrem em um incêndio, e Eloá consegue retomar o seu casamento com Osmar. Já Tereza, que embora vingativa não era uma vilã, decide deixar o passado com Osmar para trás e se acerta com Alfredo, com quem termina a história.

Corpo a Corpo chamava a atenção pela história ousada, que envolvia até um suposto demônio. Curiosamente, a temática foi bem aceita pelo público, que embarcou na trama. Aliás, em nenhum momento a trama deixava claro se Raul era mesmo o diabo ou não, deixando a resposta para a imaginação do público. Corpo a Corpo também marcou por ser a primeira parceria entre o autor Gilberto Braga e a atriz Malu Mader, que aqui fazia sua segunda novela. Ela vivia a mocinha Beatriz, que tinha um romance fofo com Rafael (Lauro Corona). A partir daí, a atriz emplacaria diversos trabalhos com o novelista, como Anos Dourados, Labirinto, Força de um Desejo e Celebridade, entre tantos outros. Também foi a novela de estreia das atrizes Lília Cabral, Luiza Tomé e Andréa Beltrão.

A trama é uma das preferidas de seu autor Gilberto Braga, que disse em entrevista ao livro “Autores”, da Editora Globo, não entender porque Corpo a Corpo nunca é citada quando listam os seus sucessos da carreira. “A novela foi bem, e eu sempre pensei: ‘Por que falam de Dancin’ Days e Água Viva quando citam os meus sucessos e não falam de Corpo a Corpo? Era uma novela extremamente bem feita, com uma trama bem armada.. Até hoje, é muito elogiada por escritores. Sempre encontro algum escritor de novela que elogia Corpo a Corpo. Talvez o público não se lembre tanto da novela porque não tinha como protagonista uma estrela tradicional, como Sônia Braga em Dancin’ Days”, declarou.

Corpo a Corpo teve 179 capítulos, e foi escrita por Gilberto Braga com a colaboração de Leonor Bassères, teve a direção de Dennis Carvalho e Jayme Monjardim, e a direção-geral de Dennis Carvalho.

Leia também:

Alma Gêmea estreava há 12 anos

Reveja uma cena de Corpo a Corpo, com Renata Fronzi (Zoraide), Eloísa Mafalda (Guiomar), Mila Moreira (Christina), Malu Mader (Beatriz) e Lauro Corona (Rafael):