Capa da Playboy, Pathy DeJesus desabafa sobre racismo: “Já fui chamada de macaca”

Pathy DeJesus
Pathy DeJesus

Pathy DeJesus é a primeira negra a estampar a capa de uma edição de aniversário da revista Playboy. Aos 39 anos, ela mostra que está com um corpão de arrasar, mesmo com um padrão de beleza natural, sem silicone e outros ‘atrativos’.

“Quando eu comecei a trabalhar na televisão, cheguei a me incomodar com algumas críticas de pessoas que não sabiam como eu batalhei para chegar ali. Eu nunca agradei todo mundo, ninguém nunca agradou. Estou consciente de que eu não tive pudor em nenhum momento”, contou a ex-repórter do Vídeo Show.

A atriz comemora o destaque na revista e diz que é muito importante ganhar espaço, ainda mais depois de ter sofrido com o racismo. Hoje, porém, o preconceito não a abala mais.


“Já me chamaram de macaca nas redes sociais. Já chorei, mas isso não me abala mais. A raça negra durante muito tempo passou por essa questão de ser diminuída e hostilidade. Mas estamos vivendo um momento de empoderação em que, se vier falar ‘a sua negrinha’, a gente vai dizer: ‘meu amor, engole a seco. É isso que tem e isso que vai ter’! Já tive problema muito mais sério, do tipo: sofri preconceito na escola por ser a única negra da sala e também de perder uma vaga de emprego por causa da minha ‘aparência'”, revelou.

Veja as fotos da capa da Playboy com Pathy DeJesus:

Pathy DeJesus na capa da Playboy
Pathy DeJesus na capa da Playboy
Pathy DeJesus na capa da Playboy
Pathy DeJesus na capa da Playboy