Ana Hickmann volta ao Hoje em Dia
Ana Hickmann

Francisco de Assis Santiago, promotor do 2º Tribunal do Júri do Fórum Lafayette, em Belo Horizonte (Minas Gerais), vai entregar nesta quinta-feira (07) uma denúncia contra Gustavo Corrêa, cunhado de Ana Hickmann.

Gustavo vai ser acusado por homicídio por ter matado Rodrigo Augusto de Pádua, fã que invadiu o quarto da apresentadora da Record aparentemente com o intuito de matá-la, já que estava armado.

Chamado de emergente por Zezé di Camargo, Wesley Safadão responde que é fã do sertanejo


“Ainda não posso falar nada. Se denunciei, tem uma base, mas não posso falar nada por enquanto, porque não entreguei ainda”, disse o promotor Francisco ao site Ego.

Já o advogado de Corrêa, Maurício Bemfica, comentou que ainda não sabe nada da acusação: “Só posso me pronunciar quando tomar ciência que é de fato a intenção dele. Só depois, com os dados da denúncia, se é que vira, que podemos nos pronunciar”.

20 COMENTÁRIOS

  1. Meu Deus, ainda esse assunto? Parece matéria encomendada p/ preencher a cota diária de destaque de siliconadas afinal a mídia precisa reforçar diariamente esse padrão machista criado por ela própria.
    Aliás se o tiro furasse o silicone dava pra fazer luta no gel!

  2. Eita família TRAPALHÃO. A mulher vive caindo sozinha na avenida. O marido um BONACHÃO cara de PASTEL não serve nem prá cuidar da mulher….e assim vai.

  3. Só para constar: pelo indiciamento saberemos, como se deve entender 02 tiros na NUCA e um na perna, num cara DOMINADO – deitado de barriga para baixo – é considerado legítima defesa ???????

    • Já ia criticar, não sabia deste detalhe. Se foi nestas circunstâncias, de fato foi homicídio doloso, e não legítima defesa.

  4. Não é questão de ser justo ou não. Completou 18 anos, se matou alguém, ocorre a denúncia e vai responder no Direito Penal. A regra é sempre o acusado ser indiciado, independente de ser legítima defesa ou não, então dependendo do caso, o juiz manda prender ou inocenta o acusado, neste último caso por ser a legítima defesa uma excludente de culpabilidade.

    Quanto a questão de ser assim só no Brasil, cabe ressaltar que muitos dos seus princípios são baseados nas leis de outros países, então algumas coisas também são iguais lá fora. Abraço!

    • Amigo blz. Legítima defesa, segundo o art. 23, II, do código penal é uma excludente da ilicitude e não da culpabilidade. Desse modo a conduta do agente inicialmente é ilícita, mas quando praticada em legitima defesa própria ou de outrem(o que é o caso) afasta-se a ilicitude. No caso em tela, o que pode levar o promotor a denunciá-lo por assassinato é o fato de, depois de ter dominado o cara, ou seja, depois de passado o perigo, o cunhado da Ana matou o cara de forma traiçoeira e pelas costas, o que caracteriza impossibilidade de defesa da vítima e conseguinte tipificação do assassinato. Se eu fosse promotor o denunciaria por assassinato, pois o fato de o cara ser um psicopata e fazer o que fez não o dá o direito julgar se o cara vai viver ou não de pois de neutralizá-lo.

    • Farão funcionar o método do judiciário quando se trata de um rico, condenam, e no final da história tem a pena perdoada pelo judiciário. Porque no Brasil até isto fazem agora, perdoar penas resultantes de condenações, lógico, isto só vale para os ricos.

  5. Não entro no mérito da questão, acho que para finalizar o processo o acusado deve ser indiciado sim, faz parte do processo, temos que atentar para o final do processo para dai sim tirar conclusões boas ou más. A politica aliada a má gestão, aliada a ineficiência e desnecessidade de alguns cargos ilustres antes ocupados pela aristocracia que não movia uma palha e só aguardava os autos do processo. Promove no futuro situações inconcebíveis que também fica aliada a um formalismo imbecil e mecanico.

    • Na real, se não fosse se tratar do cunhado de uma celeridade, e pela forma que anda a justiça no Brasil, se o cara que tivesse matado em defesa de um familiar, não considerando aqui se o cara que foi morto estava imobilizado ou não, estaria na cadeia até terminar o indiciamento.

  6. Olha não queria da minha opinião.. mais tem bastante gente que fala besteira aqui pelo amor… gente famosa ou não .. se fosse com qualquer um eu ou você.. a gente reagiria da mesma forma para proteger nossa família, a gente jamais vai pensar em segurar o cara e fazer carinho.. a gente primeira coisa pensa em defender e mandar o cara logo para o inferno.. para de ser pessoas hipócritas.. se acha que estou preocupado em segurar o cara, …! sei que a lei é injusta mais fazer o que.. infelizmente não temos por onde escapar… sei que se fosse qualquer um aqui.. com certeza reagiria da mesma forma que ele… a gente na hora não pensa nas consequências…já que o cara já estava imobilizado não precisava matar.. claro falar é fácil teoria .. prática é bem diferente!

  7. A discussão aqui acontece porque algumas pessoas não conseguem colocar na cabeça que “fazer justiça com as próprias mãos é crime”…

    Art. 345 – Fazer justiça pelas próprias mãos, para satisfazer pretensão, embora legítima, salvo quando a lei o permite:

    Pena – detenção, de 15 (quinze) dias a 1 (um) mês, ou multa, além da pena correspondente à violência…

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor coloque seu nome aqui