Ricardo Macchi revela que sofreu diversos tipos de assédio em sua carreira

Ricardo Macchi

Ricardo Macchi já tem mais de 20 anos de carreira, mas até hoje é marcado especialmente por um personagem, o cigano Igor de Explode Coração em 1995, na Globo.

Ao longo de sua trajetória, o ator carrega o estigma de ter feito um péssimo trabalho na novela, o que lhe rende piadas eternas.

Mas não é só isso, aproveitando a onda de apoio a luta das mulheres contra a violência, Ricardo Macchi que é um galã, aos 46 anos revelou que sofreu diversos tipos de assédios, inclusive sexuais, em muitos dos seus trabalhos como modelo e ator.


“Em 1992, mandei um colega de trabalho para o hospital depois de uma sequência de socos linda (perguntem para qualquer integrante da peça Blue Jeans, montagem de 92). Após mais de um ano de violência verbal com teor sexual nojento pra mim, resolvi mostrar que era preciso um corretivo, ele invadia meu camarim vestido de mulher todo dia e ficava incomodando muito, depois de aguentar mais de um ano esse chato e abusado, um dia ele passou dos limites com violência verbal e dei um empurrão que ele explodiu na parede e caiu no chão, fui correndo para o palco pois o ensaio geral estava iniciando, ele subiu e começou a me ofender na frente de todos os colegas, o que foi ótimo, com mais de 20 testemunhas era tudo que eu queria… Com a mão pesada que tenho, somado ao condicionamento de lutas, ele foi para o hospital, não fez a peça no dia e fora substituído por outro colega. Foi bem feito o corretivo. Posso rir disso tudo por ser peso pesado e lutador, caso contrário, a história seria outra. Entendem porque fui tão sacaneando no meu podre mercado de trabalho? A verdade e a justiça tardam, mas não falham”, relatou Ricardo Macchi na rede social.

O ator também revelou que essa não foi a única vez que foi assediado. “Estupro é a maior covardia que um ser pode fazer ao outro. Passo mal ao ouvir ou assistir depoimentos, imagens de vítimas de covardia, sempre covardes abusando. Eu sei qual seria minha reação ao deparar-me com um caso de estupro. Quebraria o covarde inteiro. Sofri assédio sexual minha vida inteira, sempre achei fazer parte do meu trabalho, porém, aos 15 anos, já pesava 84Kg e lutava boxe, aos 17 anos, pesava mais de 90kg. O maior assédio (segundo a lei) não posso chamar de abuso, foi na Itália, agência ‘Italy Model’s’, com um booker famoso. Foi no dia que eu cheguei na agência, tirando as minhas medidas, perguntou educadamente: ‘posso tocá-lo?’!!!! Eu olhei pro italiano e perguntei perplexo e bravo: ‘Você está brincando né ?’, o cara ficou muito desconcertado e continuou a trabalhar com muito respeito. Raramente escutava algo sem ser tom de brincadeiras, sem ter dado intimidade ou abertura. Incalculável a quantidade de assédio que sofri no show business tendo iniciado a trabalhar no grande mercado de publicidade aos 15 anos de idade”, escreveu Ricardo Macchi.