Ana Hickmann revela ainda ter trauma após atentado: “Não sei se vai passar”
Ana Hickmann disse que não sabe se sequelas do atentado vão passar (Divulgação)

Mãe de Rodrigo Augusto de Pádua, Wanda Simões concedeu entrevista ao site Ego e defendeu o filho, morto após invadir o quarto de Ana Hickmann no sábado (21).

Tem muita gente metendo o pau porque não sabe, não conhece. Rodrigo era a pessoa mais honesta e pura que existiu. Ele foi assassinado, mataram ele, ele ficou indefeso. Ele (Gustavo) estava mesmo com a intenção de matá-lo. Ele podia ter sido imobilizado e vai aparecer muita coisa. Vai aparecer a verdade”, disse.

Para ela,existem contradições nos depoimentos: “Vai ser tudo esclarecido, as contradições da Ana… Tenho pena dela por ter acontecido isso tudo, mas tem muito mistério ainda para ser descoberto. Ele não ia enfrentar isso senão tivesse alguma coisa. Existia algo entre ela e ele”, diz Wanda, antes de afirmar que o filho não tinha nenhuma doença mental. “Ele era muito normal, não tinha nada disso. O nome dele vai ser limpo. Minha dor está insuportável. Ele era uma pessoa normal, os vizinhos todos gostavam muito dele. Ele não foi com intenção de matar ninguém, ele só queria conversar e não entenderam isso”.


Alessandra Maestrini revela censura do governo: “Ligavam ameaçando tirar o programa do ar”

A mãe de Rodrigo acredita que ele não tinha intenção de matar e acusou Gustavo Corrêa, cunhado de Ana, de disparar todos os tiros. “Ele estava todo machucado no rosto: os olhos, a testa, o queixo, a boca. Até mordida no braço ele levou. Ele queria pressionar com a arma que levou, mas esse tiro que foi dado e acertou a moça não foi da mão dele, foi do próprio marido dela, porque ele já estava imobilizado”, completou.