O trabalho em Bom Sucesso, atual êxito da faixa das 7 da Globo, tem um sabor especial para Alexandra Martins. Afinal, ela contracena diretamente com Antonio Fagundes – que, além de ser um dos maiores atores do país, é seu marido há quatro anos.

“Não é nosso primeiro trabalho na TV juntos. A gente produz junto, a gente faz cinema, teatro juntos… A gente se conheceu trabalhando, né? Então faz parte da nossa vida o trabalho estar sempre por perto”, minimiza a beldade, que já havia divido créditos com o amado em projetos como Tempos Modernos (2010), Carga Pesada (2001) e Se Eu Fechar os Olhos Agora (2019).

Na história de Paulo Halm e Rosane Svartman, os dois pertencem ao mesmo núcleo. Fagundes interpreta Alberto, paciente em fase terminal, enquanto Alexandra vive Leila, sua cuidadora. Se existe a possibilidade de eles viverem um romance também na ficção global. “Não sei. Novela é uma obra aberta”, despista a musa.

Confira a entrevista completa.

OBSERVATÓRIO DA TELEVISÃO – A novela está fazendo muito sucesso com o público. Mas e vocês, atores, o que estão achando da obra?

ALEXANDRA MARTINS – A gente está apaixonado! Desde que a gente conheceu essa história, desde que a sinopse veio pra gente e começamos a ler os capítulos, tínhamos a sensação de que vinha um novelão por aí. Já nos primeiros capítulos percebíamos a sensibilidade, a delicadeza dos autores, o humor, que é fundamental também… Então já estávamos com uma expectativa muito positiva. Nossa preparação foi maravilhosa. Quando vimos o primeiro capítulos juntos, foi uma emoção para todo mundo. Tudo aquilo que a gente imaginou, que a gente sentiu – da preparação, das leituras, do próprio início das gravações -, pudemos constatar no ar. E a novela caiu no colo do público! Estamos muito felizes com a repercussão, não tem como ser diferente.

Como está sendo contracenar na TV com Antonio Fagundes? O Alberto dá cada bronca em ‘você’…

Sim! As pessoas estão morrendo de pena da Leila. Todo mundo me para, recebo um monte de mensagens, falando: ‘ele não pode dar tanto fora nela assim!’ Mas é muito divertido. Não é nosso primeiro trabalho na TV juntos. A gente produz junto, a gente faz cinema, teatro juntos… A gente se conheceu trabalhando, né? Então faz parte da nossa vida o trabalho estar sempre por perto.

A Leila tem muitos ciúmes da Paloma (Grazi Massafera)?

Muito! A Paloma foi um calo imenso pra Leila. Logo que a Paloma aparece, ela não entende o que aquela pessoa vai fazer ali. Porque a Leila é uma profissional super competente, foi colocada naquela casa pra cuidar de um paciente que tem uma doença muito grave. Ela é preparadíssima pra isso, tem todo um protocolo de atendimento a esse paciente. E simplesmente aparece outra pessoa… A Leila dá canja pro cara, a outra [Paloma] dá uma feijoada! Isso tudo é uma bagunça na cabeça da Leila, ela não consegue entender. Então ela fica muito incomodada, preocupada… E tem uma questão feminina aí que pega muito também. Ela sente um incômodo pela presença dessa outra mulher. Vão acontecer coisas na história que vão deixar a Leila realmente morrendo de ciúmes. Mas é muito divertido! Eu e a Grazi estamos nos divertindo muito com essa rixazinha.

A Leila gosta do Alberto como homem?

Não sei! Já me perguntaram isso, mas não tem essa previsão. A novela é uma obra aberta, sempre. O que acontece, por enquanto, é que a Leila já está nessa casa há muito tempo. Ela já tem muita intimidade com essa família, com esse paciente… Ela nem fica mais magoada [com o Alberto], ela já sabe que ele é daquele jeito. Até porque eu acho que esse profissional da saúde sabe que esse tipo de paciente está muito sensível. Eu acho que, independente do que vai acontecer, sem dúvida alguma, ela tem uma admiração e um carinho imenso por esse cara. E ela tem uma preocupação, porque sabe o estado de saúde dele. Então existem muitos sentimentos misturados.

Como tem sido para você contracenar com a Grazi Massafera?

A Grazi é uma delícia de pessoa! Uma atriz talentosíssima… Pra mim é um orgulho [contracenar com ela]. Eu acompanho a Grazi desde o primeiro trabalho dela, sempre a achei uma atriz extremamente interessante, que veio se desenvolvendo, crescendo. Ela é extremamente disciplina, estudiosa, dedicada, responsável. E o resultado está aí. Você vê a riqueza com que ela construiu essa Paloma, a verdade com que ela tem a personagem… É de aplaudir de pé. Eu estou muito, muito orgulhosa de estar com ela em cena. Além de ser uma parceira de cena divertidíssima, acabamos nos tornado grandes amigas. Estar do lado dela é tudo de bom.

Vocês se conheceram trabalhando e agora são um casal. Antes disso, você já era fã do Antônio Fagundes? Já se imaginava beijando-o – dentro ou fora de cena?

Quem não era fã dele? Me diz uma pessoa no Brasil que não seja! [risos] Nunca existiu uma expectativa disso. Inclusive, quando me chamaram pro teste do Carga Pesada, eu achei que eu não ia passar. Porque a Bentinha é uma personagem muito diferente de mim, uma menina do interior do Nordeste. E é difícil, na televisão, os autores confiarem em você pra fazer uma coisa muito fora do seu biotipo, do seu perfil. Mas fiz o teste e, dois dias depois, era eu a Bentinha. Foi um desafio muito grande para mim, porque era o personagem-título do episódio, contracenando com o Stênio [Garcia] e com o Antonio. Uma responsabilidade imensa, uma personagem dificílima de construir. Por conta disso tudo, a questão de ser fã tanto do Stênio quanto do Antonio ficou em outro lugar. Tinha tanta coisa pra ‘resolver’ com respeito à personagem, que a tietagem não aconteceu! Mas óbvio que fui fã desses dois grandes atores sempre! Teve até uma situação curiosa que a moça que trabalha na casa da minha mãe recordou esses tempos… Que eu estava assistindo a A Viagem no Vale a Pena Ver de Novo e, numa cena do Antonio, comentei: ‘Charmoso esse cara, né?’ E, claro, quem não acha ele lindo, não?

Nos próximos capítulos, Tonhão (Anderson Müller), irmão da Paloma, vai começar a trabalhar como motorista da mansão e vai querer ‘mexer’ um pouco com a Leila. Seu personagem deve enveredar mais pelo humor a partir de então?

Já estou morrendo de medo da Lulu (Carla Cristina Cardoso)! [risos] Na verdade, a gente já tem feito isso. Se vocês observarem bem, desde o começo a Leila, mesmo sendo uma personagem muito pontual, tem sempre uma quebra de humor, nessa relação com o ranzinza, que é o Alberto… Então sempre tive essa possibilidade da virada pro humor. Agora, com a chegada do Tonhão na casa, é uma delícia! Porque ele se encanta com ela e tudo o mais… E vai haver um encontro com a Lulu sim, já está previsto. Com direito até a arranca-rabo entre as duas! Mais que isso não posso falar.

* Entrevista realizada pelo jornalista André Romano

Últimos vídeos do Canal no YouTube