Suzana Alves
Suzana Alves (AGNews)

Na próxima terça-feira (21), Suzana Alves estreia na novela Topíssima na tela da Record TV. Na trama escrita por Cristianne Fridman, a atriz interpreta Inês, uma esposa que alimenta um imenso ciúme do marido Edvaldo (Eri Johnson).

Em entrevista ao Observatório da Televisão, Suzana falou um pouco sobre essa figura e também relembrou sua carreira artística. A famosa comentou sobre a sensual Tiazinha, personagem dos anos 90 que a projetou nacionalmente na TV. Ao longo do bate-papo, a atriz ainda conversou sobre a experiência da primeira maternidade, vivida através do pequeno Benjamin. Confira a seguir:

Como será a sua personagem em Topíssima?

A Inês é camareira do hotel luxuoso da novela, onde a dona Sophia mora, a protagonista. Ela é casada com o Edvaldo, que é o Eri Johnson. Ela vive no Vidigal, na casinha dela. Então eu estou sempre nesses cenários, atuando nesses movimentos. Ela é uma mulher super ciumenta com o marido, não pode ver uma mulher bonita porque acha que ela vai dar em cima do seu marido (risos). Ela é completamente paranoica. Muito divertida e sem noção”.

Tiazinha

Você tem uma trajetória longa da arte e atuação, né? Você não começou com a personagem Tiazinha.

Eu trabalhava com teatro desde os 14 anos. Só que quando fazemos sucesso muito cedo e rápido, como eu fiz com uma personagem que era um ícone sexual e sensual, ganhamos mais estereótipos e rótulos. Tudo o que você fez não chega perto, porque foi um sucesso estrondoso, maravilhoso e incrível. Então acaba embaçando um pouquinho a imagem a respeito da minha história. Eu era muito nova, não tinha um trabalho ainda muito concreto na televisão antes da Tiazinha. A Tiazinha foi o meu ‘boom’ e eu tive que me reconstruir. Voltei a estudar, me formei na faculdade de Jornalismo. Fui fazer Antunes Filho no teatro (curso) e me formei. Fazia teatro e cinema, mas não tinha o desejo de voltar para a TV”.

Retorno à TV

Quando surgiu o desejo de retornar à televisão?

Depois que eu engravidei, fiquei com vontade de voltar. O baby me despertou essa maturidade, tudo fez sentido depois. Acabei me tornando uma pessoa mais leve, bem resolvida, mais feliz e fiquei com saudade da TV. Logo depois que ele nasceu, a Record me convidou para participar do Dancing Brasil. Foi muito legal, eu fui para a final. Depois me contrataram para eu fazer Lia (minissérie) e agora Topíssima. Estou muito feliz, graças a Deus”.

Como vai ficar rotina com o bebê durante as gravações da novela? Rola um pouco de culpa por deixar ele casa para ir trabalhar?

Ele veio para o Rio comigo, porque eu não ia conseguir deixa-lo em São Paulo (risos). Mas rola sim, rola super culpa porque você acha que o tempo maior da sua vida tem que ser para ele, não para outra coisa. Então é natural. Mas é natural também chegar num equilíbrio. Acho que nem só a minha vida e nem só abandonar a minha vida. Eu acredito que essa questão de se entregar para o filho faz toda a diferença”.

Você acha que a Tiazinha iria fazer sucesso atualmente no Brasil, onde as pessoas julgam tudo o que não consideram moral?

Pode ser que sim. Eu acho que está tudo muito acelerado e rápido. Tento não entrar nessa sintonia de ficar o tempo todo julgando porque é algo que tira muito o foco interno, até do crescimento. Acho que as pessoas ficam muito preocupadas com a vida das pessoas, e acabam não vivendo as próprias vidas e cuidando do que tem que ser real, que é a família, o filho ou a própria sanidade. Então eu tento remar contra a maré para não entrar nessa loucura”.

Estilo de vida

Como você cuida da boa forma?

Eu tenho um estilo de vida. Eu não como carne vermelha, doces, em casa só tem açúcar de coco. Quando eu vou fazer um bolo caseiro é com farinha de amêndoa. Eu tenho uma rotina (saudável) desde quando o meu pai sofreu com câncer, Há 15 anos, mudamos toda a alimentação, ele viveu mais, teve mais qualidade (de vida). O médico tinha dado um prazo de vida, e ele prolongou esse prazo. A alimentação é um estilo de vida, eu não penso em modinhas de como emagrecer. A mudança para na mente. Quem quiser conversar, emagrecer e viver uma vida mais saudável pode falar comigo nos bastidores (risos)”.

Você pratica exercícios?

Todo dia, não dá para não fazer exercício. Ele é bom para a cabeça, para a autoestima, para te dar coragem. Ele libera uma alegria interna e também te dá vitalidade. Os órgãos funcionam melhor, disposição. Tem ‘ene’ benefícios”.

Você se admira mais hoje em dia?

A cada dia mais (risos). Eu acho que tem que ser assim, não ao contrário. Senão a gente vai envelhecendo deprimida. E com o envelhecimento os hormônios já vão te deprimindo naturalmente”.

Período da gestação

Como ficou a sua alimentação durante a gravidade? Seu corpo mudou muito?

Eu carreguei 30 quilos. Eu fiz fertilização in vitro, porque tinha dificuldade (de engravidar). Tinha tomado muito hormônio, perdendo muitos bebês e sofrendo. Eu fui engordando por conta dos hormônios também, ansiedade e medo porque já tinha perdido um bebê antes. Então com tudo isso o emocional da gente fica também abalado. Eu comia pão francês, coisa que eu não como nunca. Eu comia bem porque era a minha rotina”.

Além da mudança profissional, você mudou como pessoa após se tornar mamãe?

Com certeza! Não tem como (não mudar). Cada dia é um novo conhecimento, uma nova experiência. São tipos de livros diferentes que você começa a ler, diferentes daqueles que você lia só para você. Agora você tem que buscar um conhecimento para poder criar uma criança e ser humano. Eu aprendo muito com o meu filho. Sempre queremos que eles sejam melhores do que nós. E para isso precisamos ser melhores, não em palavras, mas em ação”.

*Entrevista feita pelo jornalista André Romano

Últimos vídeos do Canal no YouTube