Samara Felippo
Samara Felippo (AGNews)

Samara Felippo está de volta às novelas da Record TV, a atriz faz parte do elenco de Topíssima, nova novela da emissora que tem Cristianne Fridman como autora. Na novela ela será Thaís, mãe de Jade e esposa do delegado André. Ela acaba deixando a guarda da filha com o pai, assim que eles se separam, mas em um momento ela acabará voltando.

Em entrevista ao Observatório da Televisão, a atriz falou sobre sua personagem e ainda revelou qual foi sua real intenção sobre uma afirmação recente; entenda.

O Sidney Sampaio falou que sua personagem acaba abandonado o personagem dele, deixa ele com a filha, mas depois volta para se redimir. Como é para você viver essa personagem?

“Na verdade, eu vou discordar de umas partes que o Sidney falou. Eu não sei com qual intenção ela volta. Ela volta por conta de um episódio que acontece, mas eu também estou conhecendo essa mulher. Não sei porque ela foi embora e estou pouco querendo julgá-la também. Eu estou conhecendo a Thaís, ainda estou em um nicho de: ‘Essa mulher é boa? Essa mulher só veio para infernizar a vida dele? Porque ela não ficou por lá? Porque ela quer levar a filha com ela?’. Eu estou em todos os porquês da personagem.”

Críticas

Você deu uma declaração dizendo que tem duas filhas, mas não gosta de ser mãe. Você recebeu algumas críticas, mas muita gente se identificou com você. O que você realmente quis dizer com isso?

“Eu nem percebi as críticas. Mas foi isso, foi que a pressão em cima da mãe é muito grande e só se conta um lado da história, foi me passado a minha vida inteira que a única opção que eu tinha era ter filhos. Ter feito isso e formado uma família, o que é a maternidade? É um ponto de interrogação que ninguém fala, só falam que é um amor incondicional, que a mãe é plena, que a mãe é isso, é linda, é casta, é santa e que ser mãe é uma dádiva de Deus, é uma benção, mas não falam mais nada.

E aí quando a mulher se pega dentro desse papel, sufocada por tanta demanda, por tanta cobrança, ela enlouquece, não sabe o que fazer. Ela adoece, ela se anula, ela não consegue ter uma qualidade de contato com os filhos, de amor. O que eu estou fazendo já faziam, só que estão falando um pouco mais, é só falar a verdade. É difícil para caramba e eu só estou contando outro lado da história.”

E ainda tem a cobrança sobre a mulher que opta por não ter filho, não é?

“Optar por não ter filho é como se fosse um crime para a mulher. Mas isso está acabando, eu acho.”

Verdade

Você uma vez falou sobre sua filha e o fato de ela ter o cabelo crespo. É bacana porque você mostrou que as pessoas podem assumir o cabelo e quem são de verdade, não é?

“Na verdade, o que aconteceu comigo, foi tirar uma venda do olho, porque a minha filha não se enxergava em lugar nenhum. Ela não se via em livro, em filme, em desenho e nada. E eu fui atrás disso, de tentar mostrar que o cabelo dela é tão lindo quanto a moça que tem o cabelo liso, como a ruiva, como a loira, com a crespa e essa busca me veio muito forte.”

E como é na escola? Porque certamente você deve ouvir alguns relatos. Sua filha é uma pessoa que estuda em uma escola boa, porque você batalhou por isso…

“É um privilégio. Eu sou privilegiada. Mas acontece, na escola é um pouco menos, porque eu procurei um caminho de ensino mais cabeça aberta, mais diferenciado. É uma escola que fala sobre o racismo, sobre etnias, sobre o povo indígena e eu fico sempre de olho no que está sendo tratado. Até então ela nunca sofreu nada que possa traumatizar, mas ela está alerta.”

*Entrevista feita pelo jornalista André Romano.

Últimos vídeos do Canal no YouTube