Gloria Pires
Gloria Pires (Divulgação/ TV Globo)

Dos seus 55 anos de vida, 50 são dedicados à dramaturgia. Gloria Pires começou a trabalhar muito pequena na companhia de sua família. Elogiada e respeitada por toda classe artística, Gloria, aliás, conhece como ninguém os bastidores da TV. Protagonista de muitas tramas, a veterana já tem um novo trabalho pela frente: dar vida a Dona Lola, de Éramos Seis.

A personagem anteriormente foi interpretada por Gessy Fonseca em 1958, Cleyde Yáconis em 1967, Nicette Bruno em 1977, ambas na TV Tupi, e Irene Ravache em 1994 no SBT.  Dona Lola é a personagem principal de um clássico da literatura escrito em 1943 por Maria José Dupré.

Personagem

Éramos Seis narra os dramas e conflitos de uma mulher casada, mãe de quatro filhos. O casamento, o nascimento, a criação dos herdeiros, a chegada dos netos e, enfim, os últimos dias da matriarca, num asilo, são retratados no romance.

Em entrevista ao Observatório da Televisão, Gloria falou sobre a novela, e elogiou seu par no folhetim, Antonio Calloni. A estrela ainda revelou que não pensa em se aposentar, mas, sim, reduzir seu ritmo de trabalho. No entanto, no segundo semestre de 2019, lançará um filme em sua estreia como produtora.

Protagonista de Eramos Seis. Como estão os preparativos?

“Estou muito feliz, novela do Silvio (de Abreu) e par do Calloni, de quem sou muito fã”.

Teve a oportunidade de ver um dos remakes?

“Não, não assisti. Agora, estou atrás do livro”.

Já teve a chance também de  conversar com a Nicette e Irene, protagonistas de outras versões?

“Vamos ter esse momento. Ainda não tive a oportunidade de conversar com elas”.

Pensa mesmo em diminuir o ritmo de trabalho?

“Comecei a trabalhar muito cedo. É uma paixão, mas penso em, daqui um tempo, começar a diminuir o ritmo. Aposentar não. Mas viajar mais, curtir mais, conhecer o mundo. Quando você viaja trabalhando não é a mesma coisa. São 50 anos de trabalho. Aproveitar mais a vida”.

Últimos vídeos do Canal no YouTube