Brice (Bia Arantes) em Deus Salve o Rei
Brice (Bia Arantes) em Deus Salve o Rei (Divulgação/ TV Globo)

Em Deus Salve o Rei, Bia Arantes será Brice, uma plebeia sensual e misteriosa que se une a Rodolfo (Johnny Massaro) em seus planos de comandar o reino de Montemor. A atriz que ainda pode ser vista como a doce Cecília na novela infantil Carinha de Anjo, do SBT, bateu um papo com nossa reportagem, e falou sobre a personagem, sua sensação ao ter duas personagens no ar ao mesmo tempo, e revelou seus projetos após a trama medieval. Confira:

Leia também: O Outro Lado do Paraíso: Clara confirma que Samuel leva uma vida dupla

Como está sendo participar de Deus Salve o Rei?


É uma coisa muito diferente de tudo eu que já pensei em fazer na minha vida e está sendo muito legal. A Brice conquista coisas, não se apaixona, é uma mulher total fatality, completamente diferente do que eu já fiz anteriormente.

Como que é para você buscar essa sensualidade, essas características para sua personagem?

É difícil, eu não me sinto uma mulher sensual. Eu fazendo uma pesquisa interna, e, é real isso, porque eu sou atriz, e se eu tenho que dar isso à personagem, tenho que ter um pouco disso em mim, então, estou buscando isso dentro de mim para poder dividir com a Brice. No meu dia a dia, não me sinto uma mulher sensual e nem acredito que eu possa conquistar pessoas através de qualquer poder de sedução. Sempre fui a pessoa da veia cômica, sabe? Gosto de deixar todo mundo tranquilo, à vontade, rindo, completamente diferente dela.

Você está vindo da Cecília, personagem que você interpretou em Carinha de Anjo, no SBT, oposto da Brice em Deus Salve o Rei. O que muda em relação a isso?

Muda tudo! Muda o trabalho corporal inteiro. O corpo para mim é muito difícil. A maioria dos meus trabalhos foram feitos para TV e cinema, e nessas mídias fazemos algo mais minimalista, trabalhamos mais o rosto que o corpo.  Para a Cecília, eu fazia um ombro mais pesado, um corpo mais duro, de mulher que não se descobriu ainda, já a Brice me faz soltar mais, colocar o peito para fora, e tive que aprender a olhar de cima, essa foi a primeira mudança. Depois com o apoio da direção, fui aprendendo o tom de voz da personagem, entre outras coisas que no ar, creio que vai parecer água e azeite e ninguém mais vai se lembrar da Cecília.

Quando Deus Salve o Rei estrear em janeiro, Carinha de Anjo, ainda vai estar no ar. Como é para você ficar no ar em duas novelas em emissoras diferente?

Cara, eu só fico lisonjeada da TV Globo ter aceitado a minha presença aqui, mediante eu ainda estar no ar em outra novela. Carinha de Anjo foi um trabalho que já me dediquei, concretizei, finalizei no SBT, e agora minha dedicação é total a Deus Salve o Rei. É isso!

Você tem tido retorno de crianças por causa de Carinha de Anjo?

Sempre, o tempo todo. É impressionante. Eu pensei que no Rio, o nosso Ibope ia ser menor, mas não, as crianças são polvorosas, fiéis, e muito sinceras. É muito legal isso.

Como você enxerga a torcida do público para com o casal Gustavo e Cecília?

O pessoal shippa o casal (Cecília e Gustavo) na vida real também, o que é um problema, afinal, o Carlo é um grande amigo, mas é só isso, um grande amigo. Ele tem a vida dele, eu tenho a minha, e na internet sai briga porque a gente não está junto na vida real. É engraçado, eu tomo isso como positivo, porque em algum lugar, a gente achou uma química legal, um trabalho tão legal que passa, que quer transcender a novela para o público.

Você acha que sua participação em O Filme da Minha Vida, abriu portas para essa personagem em Deus Salve o Rei

Com certeza, principalmente porque aqui eu faço a parceria com o Johnny Massaro, né? Que é repetindo a parceria que eu fiz em O Filme da Minha Vida, então, eu acho que inclusive, a referência aqui da TV Globo é o filme, que é o único trabalho um pouco mais sensual que eu fiz.

Sua personagem de O Filme da Minha Vida, se parece com a Brice?

Acho que são caminhos de sensualidade diferentes. A Petra, é uma sensualidade em decadência, é a menina que já foi bonita, que ganhou todos os prêmios e não é mais, que não tem mais nada para se abastecer ali. Então, ela é uma beleza melancólica, sabe? A Brice não, a Brice sabe o que quer, firme e forte, não está nem aí para  ninguém. A força das duas são diferentes.

Essa questão da Brice ser misteriosa, você acha que vai mexer com o público?

Eu espero que sim, porque é surpreendente. Para mim, foi surpreendente ao ler o texto, assim, eu espero que o público também goste.

Você fica curiosa para saber o futuro de suas personagens ao pegar os capítulos para estudo?

Claro, e não só o meu, porque a novela é tão engraçada, tão amarradinha, que eu quero saber o que acontece com todo mundo. Então, se me perguntar de outros núcleos, desculpa, eu sei também. Eu adoro ler novela.

Essa questão da sua personagem ser sensual pode mexer com o imaginário das pessoas. Você acha que pode pintar um convite para um ensaio sensual após a novela?

Eu nunca pensei sobre isso, até porque acho que tem pouco tempo que o público da TV me enxerga como mulher. Eu sempre fiz papéis mais adolescentes, e agora no cinema, eu fiz um papel mais adulto e estou seguindo essa linha de ser adulta, mas nunca pensei sobre isso, de verdade. Acho que é questão de conversar com as minhas assessoras que cuidam de tudo da minha imagem. Não fosse por elas, eu falaria besteira, sairia que nem uma mendiga na rua, então, elas quem cuidam de mim. Não sei se seria interessante para a minha imagem, elas sabem melhor que eu.

Fale um pouco sobre seu núcleo em Deus Salve o Rei

Eu transito muito, é engraçado, não posso falar tanto sobre isso, mas eu transito pelos núcleos. Eu começo no núcleo do Johnny Massaro com o pessoal que trabalha para ele no castelo, é um núcleo super cômico, em contraponto da Brice, que é uma mulher só sedutora. E é muito bom, porque fica muito engraçado. Eu não faço a comicidade em si, mas eu levanto muito pra eles cortarem, sabe? Então, está muito gostoso, entretanto, mais para frente, ela troca um pouquinho. Eu não posso falar.

Você falou que a Brice tem esse lance de não se apegar e apaixonar. Você acha que você conseguiria?

Eu sou pisciana, eu preciso ser amada para viver. Jamais conseguiria ser solitária. É outro ponto muito diferente, tenho que tentar achar essa força dessa mulher que realmente não precisa de ninguém. Eu sou uma menina super família, meu namorado, o meu cachorro, eu sou super caseira e, diferente dela.

Essa questão do incêndio nos bastidores da novela, atrapalhou a vida de vocês?

Atrapalhou todo o planejamento da novela, né? Mas eu acho muito legal que essa equipe não se abala por nada. É uma das equipes que inclusive, mais tem fome e sede de trabalho que eu já vi, são fascinados pelo trabalho, se dedicam pra caramba, então, eu acho que em algum lugar o Fabrício acabou entendendo isso como motivação. É um problema, mas vamos ver o que que a gente consegue com isso. A gente tem fotos do cenário antes de pegar fogo e agora e são exatamente iguais, e estamos lutando pra chegar na frente de capítulos que a Globo espera. E é isso, foi uma adversidade, mas já tá sendo superada.

Além da novela, você tem outro projeto?

Eu vou fazer um filme, eu não posso falar muito também, mas é uma filme super legal que se chama ‘Lolop’, que a gente vai começar a rodar em março, em Cuiabá, é super diferente. E é Globo Filmes também, aí eu consegui uma brecha aqui da TV Globo, com o filme e estamos conversando.

Quando você era criança você gostava de história de princesas?

Super, eu só não gostava da Branca de Neve, porque nunca me deixavam ser outra princesa na escola, era sempre a Branca de Neve que sobrava e com razões óbvias. Sempre gostei de princesas, acho que eu decorei o filme inteiro da Bela Adormecida, a Aurora é a minha princesa preferida, então, estar aqui é como uma realização de criança, num cenário com castelo, você conversa com pessoas que são reis, você vê coroas, essas coisas assim. É muito engraçado como a criança em mim pula quando eu estou aqui, é muito bom.

*Entrevista feita pelo jornalista André Romano.