Grávida, Ivete Sangalo fala sobre ser técnica do The Voice Brasil: “A condição de julgar é terrível”

Ivete Sangalo
Ivete Sangalo (Divulgação/ TV Globo)

A cantora Ivete Sangalo anunciou nesta terça-feira (12), sua gravidez de gêmeos durante a coletiva de imprensa do programa The Voice Brasil, atração que a musa baiana fará parte como técnica ao lado dos já veteranos Carlinhos Brown, Lulu Santos e Michel Teló. Na entrevista, a estrela comentou sobre as diferenças entre a versão infantil e a versão adulta do reality da Globo. Confira:

Leia também: Tiago Leifert e MariMoon brincam de fashion police no Zero1

Você deu a volta em todo mundo e se tornou uma jurada do The Voice, além de tudo, grávida de gêmeos?


A propósito nós somos artistas, mas é reservado para nós viver um pouco o sabor do privado, embora eu tenda a dar alegria e poder dividir essas coisas com os meus fãs, a minha intenção não foi dar a volta, e sim dar o tempo que as coisas precisam ter.

Você teve um 2017 muito bom sendo homenageada pela Grande Rio, depois lançando um clipe de sucesso, e agora está como jurada do The Voice. Qual o balanço você faz?

Eu sempre fui uma telespectadora assídua, e torcia pelos cantores. Eu sou cantora, mas também sou uma pessoa que gosta de assistir ao programa. Com os anos, os musicais na televisão foram perdendo espaço para outras coisas que eram mais interessantes em termos de audiência e ter um programa exclusivamente dedicado à música é incrível. Há uma dedicação gigantesca da equipe em benefício da arte em horário nobre, numa emissora que tem a maior audiência do país. Acho maravilhoso estar com os meninos na condição de técnica. Fiz parte do The Voice Kids e chorei ao vir para o adulto, porque a experiência que tive anteriormente foi deliciosa, de ver aquelas crianças construindo suas carreiras, seus sonhos, vivendo momentos que serão eternizados.

Você teve alguma insegurança?

Fiquei pensando: “Como vai ser minha desenvoltura no adulto?”, “Será que tenho alguma competência para lidar com isso?” E fui recebida de uma maneira tão carinhosa, e nada surpreendente porque eu sabia que eles me receberiam assim com essa gentileza, e amor que têm uns pelos outros. Na primeira gravação, eu estava igual pinto no lixo, fizemos um programa delicioso e é uma atmosfera tão maravilhosa, que vou pontuar dentro dessa lista de acontecimentos da minha vida como mais uma coisa super especial.

Você acha que é mais fácil julgar os adultos?

Veja bem, a gente é técnico, não jurado. A condição de julgar é terrível, e a ideia é uma colaboração mútua. O primeiro item que a gente usa como critério para avaliar os candidatos é a emoção. Se você é pego pela emoção do candidato, a lista que você fez tipo afinação, técnica, etc, vai toda por água abaixo. Dentro dessas emoções temos o discernimento de esclarecer para o candidato o porque ele continua na competição, e pontuamos o que se pode melhorar, já que nosso objetivo é contribuir. Eu acho que a gente aprende muito mais com os candidatos que eles com a gente. Essa competição existe há 6 anos nesse nível e visibilidade, e nenhum de nós, técnicos, vivemos isso em nossas carreiras. Não desmerecendo nossas experiências, mas vocês hão de convir que é uma grande coragem e grande mérito a pessoa pisar nesse palco. Com as crianças era uma bíblia ali, porque a criança é outra comunicação. O adulto por ter mais vivência, compreende melhor o “não” e o “sim”, e temos que ter cuidado com as palavras.

Ivete Sangalo
Ivete Sangalo durante coletiva do The Voice Brasil (Divulgação/ TV Globo)

O Brasil vai acompanhar a evolução de sua gravidez durante o programa…

Já estamos até falando em transmitir meu ultrassom ao vivo (risos). Vou fazer um live, uma exposição absurda, acompanhe nos Stories (risos). Vamos curtir o momento, faça como eu que curti tanto o momento que estou grávida. É gostoso (risos).

Você pretende usar a visibilidade do programa para lançar alguma música?

A gente fala de shows, apresentações, projetos. O programa fomenta muito isso. Percebo a vontade dos diretores musicais em fazer isso, em criar coisas novas para o programa. Naturalmente é um grande palco não só para os participantes mas para nós.

Ano passado você foi uma super técnica. Neste ano você estará como técnica principal. Como se sente?

Eu preciso reiterar isso porque é uma caminhada nova para mim estar no The Voice. É da vontade de todos que isso sempre dê certo. Os meninos são muitos carinhosos e receptivos, e é reciproco. É sempre aquela expectativa em relação à estreia. É tudo tão lindo, a equipe, os diretores… Obrigado pelo convite e confiança de estar aqui. Estou feliz de brindar com vocês um momento de fato especial e relevante na minha vida.

*Entrevista realizada pelos jornalistas Núcia Ferreira e André Romano