Didi Wagner comemora sucesso no Multishow e relembra passagem pela MTV: “O público continua me acompanhando”

Didi já voou de paraglide, pulou de bungee jump duas vezes seguidas no Lugar Incomum. (Multishow)

Uma das apresentadoras mais queridas da extinta MTV, Didi Wagner segue trilhando uma carreira de sucesso no canal Multishow, do Grupo Globo. Prestes a completar onze anos à frente do Lugar Incomum, a apresentadora “ganha a vida” passeando pelo mundo.

Em entrevista ao Observatório da Televisão, Didi relata curiosidades sobre as viagens e sonhos que já realizou, como voar de paraglide na Suíça, pular de bungee jump duas vezes seguidas na Nova Zelândia, entre outras.

Didi ainda fala sobre a sua antiga emissora: “Sinto que o público da MTV cresceu junto comigo, e continua me acompanhando. Nos meus perfis de mídias sociais, leio comentários que fazem alusão à época em que fui VJ. Tenho uma gratidão imensa e um baita orgulho por ter feito parte da emissora, foi uma experiência maravilhosa!”.


Confira entrevista com a apresentadora:

O tempo passa muito rápido. Se recorda do primeiro dia de gravação e pra onde foi? 

Agora em 2017 completamos onze anos do Lugar Incomum no ar no Multishow. Realmente passa muito rápido! Não vou conseguir precisar qual foi a primeira gravação que fizemos para o programa, mas sei que foi em São Paulo. Inicialmente, o Lugar Incomum partia de um provérbio ou ditado popular para destrinchar curiosidades, verdades e histórias engraçadas a partir daquelas frases. O programa era gravado alternadamente entre São Paulo e Nova York, para onde me mudei com meu marido e filhas (em 2006).

A TV tem mudado e muito, mas ter um programa que há dez anos faz muito sucesso é um fato raro. Explique o sucesso do Lugar Incomum:

O sucesso sou eu, né? (risos)! #ALOKAAAAAA Brincadeira!!!!! Acho que o sucesso do programa se dá por alguns fatores. O primeiro deles é que é um programa feito por uma equipe coesa e que está envolvida com o Lugar Incomum desde o princípio, entre eles o Christian Machado e a Denise Figueiredo, do Multishow; a Paula Buarque, diretora; o Nô Mello, roteirista. Além disso, o programa soube manter desde sempre sua identidade muito bem definida: procuramos mostrar o lado inusitado e curioso dos lugares que visitamos, mas sem deixar de lado aspectos típicos de cada local. E, por fim, um dos comentários que eu mais ouço de quem acompanha o programa é que a pessoa sente que viaja junto com a gente. Eu acho que esta frase traduz muito bem o verdadeiro sucesso do Lugar Incomum.

Por conta do programa já realizou algum sonho?

Muitos! Acho que o maior sonho é realmente poder trabalhar com o que eu mais amo, que é me comunicar, ao mesmo tempo em que tenho a oportunidade de desbravar tantos lugares interessantes e compartilhar isso com o meu público. A maneira como o Lugar Incomum é gravada (uma temporada inteira em uma só viagem) permite que eu possa ser apresentadora do programa ao mesmo tempo em que também consigo me dedicar à minha vida familiar, e isso também é um sonho.

Também acho um sonho quando eu supero meus próprios limites graças a pautas que o Lugar Incomum me apresenta. Por conta disso, já voei de paraglide (Suíça), pulei de bungee jump duas vezes seguidas (Nova Zelândia), e outras ‘loucurinhas’ do tipo!

Uma viagem inesquecível?

Todas as viagens do Lugar Incomum são inesquecíveis para mim, cada uma à sua maneira. Então escolhi falar de uma viagem marcante que eu fiz na minha vida pessoal. Em 2016 fui para Israel com marido e filhas, e foi uma experiência única. Eu já havia visitado Israel em 1998, e fiquei muito impressionada com a evolução do país nesses quase 20 anos. Visitamos pontos históricos e religiosos em diversas cidades e ficamos encantados com o que vimos lá.

Os brasileiros te abordam durante as viagens?

Sim, e eu me sinto prestigiada. Obviamente que às vezes estou no meio de uma gravação e não posso dar muita atenção, mas às vezes consigo conversar rapidamente ou bater uma foto, e em algumas destas vezes nós até incorporamos os encontros como cenas para programa.

Consegue traçar paralelos (algo bem diferente mesmo) entre a nossa cultura e a de outro pais que tenha te surpreendido muito?

Cada país tem suas peculiaridades, mas obviamente que alguns países têm diferenças mais marcantes do que outros em relação à nossa cultura brasileira. Nesse sentido, eu diria que os dois países que mais me chamaram a atenção são os que visitei no continente asiático: Tailândia e Japão. No caso do Japão, a preocupação em relação ao coletivo é um exemplo que o Brasil ganharia muito em seguir.

Você virou guia de viagem dos amigos e parentes?

Não, porque eu também preciso descansar, e fazer um roteiro de viagem dá trabalho demais (risos)!

É verdade que você descansa trabalhando? 

(risos)! A verdade mesmo é que, apesar de viajar ser um dos maiores prazeres da vida, eu me canso trabalhando! As viagens do Lugar Incomum são muito intensas: são muitas horas de gravação por dia, muitos nomes e informações para memorizar, uma boa dose de improviso a cada pauta, inúmeros deslocamentos por dia e a preocupação em me apresentar sempre bem-humorada e atenta a tudo. É tudo muito excitante, mas exaustivo também. Muitas vezes, quando fazemos uma viagem a lazer, também nos cansamos, não é? Então acho que dá para imaginar que uma viagem como essas do Lugar Incomum pode ser ainda mais puxada, né? 😉

Como é a sua rotina quando está prestes a realizar uma gravação? 

A pesquisa de pautas é parte integrante do sucesso do Lugar Incomum. Contamos sempre com uma pessoa local para nos orientar e é claro que a internet também é uma ferramenta essencial.

A loira faz uma relato de como são puxadas as gravações para a atração do Multishow:

E como é o seu lazer? Em casa? 

Adoro ficar em casa, é verdade. (risos) Costumo dizer que viajar é bom, mas voltar para casa é melhor ainda. Ainda mais quando fico muito tempo longe das minhas filhas, de quem sinto muita saudade quando fico fora. Mas outra coisa que me dá grande prazer é ir para à praia, no litoral de São Paulo. É lá que eu me reconecto com a minha essência, e consigo desestressar e curtir momentos de grande qualidade em família.

Tem medo de andar de avião? Alguma experiência curiosa? 

Já passei por tantas situações desagradáveis em voos e aeroportos, que sou aquela pessoa que se preocupa em chegar com antecedência ao aeroporto, identificar a bagagem com toda a clareza possível, checar as etiquetas de malas antes de colocar nas esteiras, etc etc etc. Tudo para evitar chateações pelas quais já passei antes, (risos)!

Já tem um novo destino para o programa ou pra você e sua família?

O novo destino do Lugar Incomum ainda é surpresa! Em família, provavelmente iremos em julho para Nova York passar alguns dias (e muito calor! (risos)!) por lá.

O público da extinta MTV te acompanha? O que eles mais recordam? E você é saudosista?

Sinto que o público da MTV cresceu junto comigo, e continua me acompanhando. Nos meus perfis de mídias sociais, leio direto comentários que fazem alusão à época em que fui VJ da MTV. Tenho uma gratidão imensa e um baita orgulho por ter feito parte da emissora, foi uma experiência maravilhosa! Aprendi muito, conheci muita gente, fiz grandes amigos. Mas não sou saudosista. Gosto de viver o momento presente.

Didi relembrou seus tempos de MTV ao apresentador o TVZ: 

O que passa na sua TV?

Gosto de acompanhar as novidades da programação do Multishow – por exemplo, assisti a alguns episódios do Lady Night e adorei! Além disso, vejo Globo News, Globo e séries de TV. Alguns meses atrás, minhas filhas me apresentaram à série Modern Family e a gente tem curtido assistir todos juntos.

Quais sãos os cantores que tocam na sua playlist?

Sou fã de Hip Hop. Ouço Naughty By Nature, Cypress Hill, Kanye West, Mano Brown, Karon Conká, entre outros.

Apresentadora também se engajou na campanha contra o assédio:

Mulherada unida jamais será vencida. #chegadeassédio

A post shared by Didi Wagner (@didiwagner) on