Deborah Secco sobre críticas por fotos da filha: “Dane-se o que vão falar”

Deborah Secco sorteia vestidos da filha na internet
Deborah Secco e Maria Flor (Reprodução/Instagram)

Em entrevista, Deborah Secco falou do sucesso de sua personagem na temporada Pro Dia Nascer Feliz, de Malhação.

Além disso, comentou as críticas que recebe por compartilhar muitos momentos da filha, Maria Flor, nas redes sociais.

Confira o papo:


Sucesso em ‘Malhação’

“O reconhecimento do público tem sido uma surpresa muito boa. Eu não sabia mesmo com que público ‘Malhação’ falava. Eu achava que era um público adolescente. Mas não é. É um publico muito jovem. De 10 anos em diante. Eles me encontram na rua e falam: ‘tia Tânia!’. É um público que não tinha ideia de quem eu era. E me enxergam muito como personagem. Minha personagem é muito correta. Que não virou chata. O autor foi muito feliz. O público torce bastante pela Tânia. Eu estou sendo muito feliz nesse trabalho. No inicio eu estava com medo. As vezes personagens muito corretas se tornam chatas. A Tânia foi muito bem abraçada pelo público. Eu que estou em uma fase apaixonada por criança. É muito bacana falar com esse público em questão. Eles assistem mesmo. É para eles que a gente faz.

Maria Flor, paixão nacional

“A coisa que eu mais quero na minha vida é que ela cresça sem achar que ela é especial. Que a foto dela é diferente e tal. Ela é normal como qualquer outra criança. Ela vai ter as condições que nasceram com ela. Ela é minha filha. Não dá para ser diferente. Eu quero muito poder ser uma mãe normal. Antes de pensar que eu sou famosa, eu sou mãe. Eu posto a foto da minha filha sim. Dane-se o que vão falar. A mãe vem antes da famosa, da atriz, da imagem pública em si.”

Sonho realizado

“Eu sempre quis ser mãe. Eu sabia que quando eu fosse mãe, eu ia realizar esse meu maior sonho. Eu ia ser muito feliz e ia poder mergulhar nisso. De ser mãe verdadeiramente. É logico que ser mãe não é um conto de fadas e só. É também, mas não é só. Tem momentos de perrengue, momentos difíceis. Essa noite a Maria não dormiu, estava com febre. Enfim. Eu descobri uma coisa incrível. Eu vou ser a melhor mãe que a Maria pode ter. Porque ela só tem eu. Eu não concorro nesse cargo com mais ninguém. É muito confortante isso. Eu vou sempre fazer o meu melhor para ela. Isso é muito claro. Eu vou dar a minha vida por ela. E a gente vai aprendendo. Ela, ser filha, eu, a ser mãe. A gente vai se ensinando. Esse é o grande barato. De você não ser dona de todas as verdades. Eu não sou a melhor mãe do mundo. É claro que eu erro bastante. Mas eu faço de tudo para ser a melhor que eu posso ser.”

Comparação com a Deborah Secco do inicio de carreira

“A pessoa, a essência é a mesma. O quanto eu o amo o que eu faço é do mesmo tamanho do inicio. Hoje eu tenho acesso a coisas que eu não tinha. Eu tenho preguiça de algumas coisas, que antes eu não tinha. A gente vai ficando velho, para a vida a gente vai ficando preguiçoso. A essência de quem eu sou é a mesma e será a mesma para sempre.”

Sem arrependimentos

“Eu não apagaria nada. Parece uma frase feita, mas não é. Todos os meus maiores erros, eles valeram para mim mais do que as minhas maiores vitórias. Com as vitorias eu guardei troféus. Com os erros aprendi grandes lições. Se eu apagasse esses erros, eu iria estar agora, aos 37 anos, errando tudo novamente. Tanto que eu consigo acertar hoje, foi porque eu já errei lá atrás. A gente vai aprendendo mesmo a ser uma pessoa melhor. Graças a Deus, eu tenho até humildade para falar isso, eu era uma menina no inicio da carreira. Fui crescendo, amadurecendo, vivendo e errando. O mais bacana que eu tenho na minha vida são as histórias que eu tenho para contar. A gente não leva nada nessa vida. A não ser o que a gente vive e o que a gente tem para contar. Eu acho que eu não apagaria nada.”

Boatos em relação à falsa morte de Maria Flor

“Que falaram que a Maria nasceu morta, né? Eu vou lhe falar uma coisa, na verdade, eu nem soube. Eu estava na sala de parto. O que me magoou muito foi depois quando eu soube. A minha avó quase morreu, minha mãe quase enlouqueceu. Porque eu fui para São Paulo para a Maria nascer no dia 20 de dezembro. Mas minha bolsa estourou de 3 para 4 de dezembro. Seis da manhã a Maria nasceu. Eu não conseguia avisar a ninguém. Eu estava em São Paulo. Até todo mundo saber, surgiu essa noticia falsa. Mas eu estava com uma riqueza tão grande no braço, tanta saúde. O nascimento dela foi a coisa mais linda do mundo. Foi tão incrível! Eu nem pensei em processar. Eu não quero energia ruim para mim não. Eu rezo. Peço para Deus perdoar. Segue em frente e tal.”

Boatos

“Saiu uma nota dizendo que eu era lésbica (Fabíola Reipert deu a seguinte nota: ‘Famosa assedia atrizes de Malhação’). Foi muito feio. Eu trato todas as meninas de ‘Malhação’ como filhas. Todas! Tenho um carinho enorme. Todas estavam no aniversário da Maria. Todas conhecem o meu marido. Então, a gente só filtra o que é da nossa energia. A minha energia só filtra amor. Hoje, eu tenho coisas muito mais sérias para me preocupar.”

André RomanoENTREVISTA REALIZADA PELO JORNALISTA ANDRÉ ROMANO