“Aprendi muito sobre a Lei Maria da Penha. Não fazia ideia que ameaças e ofensas entram nessa lei”, afirma Diana Bouth do Escola para Maridos

Diana apresentou o Escola Para Maridos (Divulgação)

Escola para Maridos é aquele tipo de reality show obrigatório, até pra quem não gosta. Afinal, todo mundo tem um vizinho que briga constantemente com a esposa e acaba escultando os barracos e sabendo dos problemas do casal, mas não pode ir lá assistir de camarote…O que não é o ideal também.
Já o programa apresentado – segue em reprises – por Luigi Baricelli, Diana Bouth, Felipe Solari e Ana Canosa, no Fox Life, permite não só assistir como se colocar no lugar daquelas mulheres, homens e famílias. Palavras que definem o programa? Coragem, machismo, sofrimento e mudanças.
Em entrevista ao Observatório da Televisão, a inspetora da atração, Diana Bouth, ex-GNT, fala sobre os desafios de participar da atração que reuniu oito casais durante um mês em uma mansão na Colômbia.
Diana, assim como as esposas, foi vítima das atitudes mais machistas que um homem pode ter, o assédio moral: “Ninguém é obrigado a concordar com ninguém, mas precisamos nos respeitar. Ele defendendo que eu sou uma exceção, por não admitir que homens mexam comigo na rua. Eu dizendo que a exceção é a mulher que gosta disso. Até aí tudo bem. Mas me chamar de mentirosa, vaca e etc… só porque não concordamos, não dá, não é mesmo?”, questiona a apresentadora.
Em segundo casamento, a modelo afirma que o programa lhe ajudou a conhecer um pouco mais da Lei Maria da Penha: “Aprendi muito sobre a Lei Maria da Penha. Eu não fazia ideia que ameaças e ofensas entram nessa lei. E descobri que a maioria das mulheres também não sabia.”
Confira entrevista exclusiva:
 
Como se preparou para o programa? 
 
Eu me preparei, estudando os problemas de cada casal, recebemos trechos do reality de cada um. Fiz anotações, observações. Enfim, fui bem cdf mesmo. 
 
Assistiu aos programas veiculados no exterior? 
 
Assisti a primeira temporada de todas, a da Argentina. 
 
O que a Diana levou da vida pessoal para o programa? 
 
Da minha vida pessoal, levei a experiência dos meus relacionamentos. 
 
E do programa para a vida pessoal? 
 
Do programa para a minha vida, nossa foi tanta coisa. O mais importante foi ver que por amor as pessoas mudam.
 
Como foi o retorno do público? 
 
O retorno foi maravilhoso! As pessoas ainda me param na rua agradecendo pelo conteúdo do programa, parabenizando pela postura do Adriano ou na maioria das vezes querendo inscrever o marido na escola. (risos) 
 
Entrar na intimidade dos casais foi o seu maior desafio? 
 
Na verdade o maior desafio foi conquistar a confiança. Eu não era uma amiga, mas sabia de todas as questões. Não era especialista mas estava ali pra ouvir todas as angústias. A partir do momento que eles entenderam e confiaram foi maravilhoso. 
 
Mudaria alguma atitude como inspetora? 
 
Não mudaria, foi uma postura necessária, sou dura quando tenho que ser. Enfim, não dá pra ficar passando um pano em quem erra tanto. Os maridos entenderam que eu estava ali pra abrir os olhos, dar uma chacoalhada neles. 
 
Qual casal apresentou efetivas melhoras apesar do resultado? 
 
Fachini e Bruna, foi emocionante. Eles não se olhavam, não se falavam já há alguns meses. Ele não sabia o que era machismo, até se descobrir o mais machista de todos. Foi impressionante o peso das imagens, quando ele se viu fazendo o que fazia todos os dias foi fundamental pra mudança.
Para Diana, o casal Bruna e Fachini apresentaram melhoras (FoxLife)
E o pior apesar da expulsão de um casal e da atitude do Adriano? 
O Adriano foi uma decepção muito grande. A gente dava muita gargalhada nos bastidores, ele sempre muito estourado e eu quebrando o mau humor dele. Até o dia da formatura. Ele com certeza foi o pior marido e consequentemente o pior casal. Ele vive um mundo machista e desrespeitoso. Humilha, ofende, ameaça. Tentei com todas as minhas forças. Mas ali não tive sucesso.
No último episódio, Adriano assediou moralmente Diana (FoxLife)
Durante a formatura você passou por uma situação complicada. O que passou pela sua cabeça? O que motivou a atitude do Adriano? O fato de ser uma mulher bonita justifica – jamais –  a atitude dele? Conversou com ele após o programa?  Adriano é a prova de que os conflitos não foram capazes de mudar em quase nada seu comportamento?
 
Nada justifica a atitude dele, como eu disse antes, a gente tinha um relacionamento bacana nos bastidores. Ninguém é obrigado a concordar com ninguém, mas precisamos nos respeitar. Ele defendendo que eu sou uma exceção, por não admitir que homens mexam comigo na rua. Eu dizendo que a exceção é a mulher que gosta disso. Até aí tudo bem. Mas me chamar de mentirosa, vaca e etc… só porque não concordamos, não dá, não é mesmo?
 
Não sei se ele mudou alguma coisa, mas se mudou, não foi nada significativo pra melhora do relacionamento, uma pena.
 
Não conversei com ele após o programa. 
 
Durante as provas você tinha um maior contato com os maridos. Em algum momento trocou de lugar com aquelas esposas e passou a pensar naquelas relações tão abusivas e complicadas? 
 
Toda hora eu me via no lugar daquelas esposas. Estou no meu segundo casamento, já vivi muitas crises. Por isso não julgava elas, não questionava porque elas ainda estavam vivendo aquilo. Eu simplesmente tentava achar soluções. Todo relacionamento tem crise, elas foram muito corajosas em
expor tudo aquilo. Problemas que todas vivemos com outros pesos e outras medidas.
 
Mantém contato com alguma família após o fim do reality? 
 
As redes sociais são maravilhosas pra manter o contato não só com os participantes, mas com toda a equipe, inclusive os colombianos.
 
A proposta do programa é salvar aqueles casamentos, mas mesmo diante de tantas barbaridades insistir é a solução?
 
Não sei se insistir é a solução. Mas eu acho melhor a gente se arrepender de ter insistido, do que de ter deixado pra lá. Por algum motivo aquelas pessoas se juntaram, alguma coisa deu errado. E porque não tentar resolver? Lutar pra ficar junto antes de desistir. 
 
Cada programa apresentava um tema diferente (sexo, dinheiro, entre outros). Qual chamou mais a sua atenção? E por quê? 
 
O programa do divórcio, aprendi muito sobre a Lei Maria da Penha nesse episódio. Eu não fazia ideia que ameaças e ofensas entram nessa lei. E descobri que a maioria das mulheres também não sabia. 
 
Talvez o Luiz e a Flavia fossem o casal mais complicado. O quanto a história dela mexeu com você e o grupo como um todo? Praticamente todos choraram com a revelação dela…
 
A Flavia e o Luiz transformaram o grupo. Quando o Luiz se viu na tela humilhando e xingando a Flavia, foi tão forte pra ele que tudo mudou a partir daquele momento. Ele se sentiu envergonhado e se empenhou pra mudar de verdade. Foi lindo, emocionante e mexeu com a gente. A Flavia falou sobre o abuso, quantas mulheres vivem com esses fantasmas. Aprendi muito com o casal.
Flavia revelou que sofreu abuso sexual (FoxLife)
Na dinâmica da troca, Ana contestou uma tarefa dada por você. O quanto as esposas estavam entregues ao programa? 
 
Por incrível que pareça a Ana era a mais difícil das esposas, ela gosta de ter o controle e perdeu as estribeiras quando não teve tudo na mão. 
 
Todas estavam muito entregues, muito preocupadas com temas relacionados a moral, pudor e etc… mas estavam bem envolvidas. 
 
Existia ciumes por parte delas em relação a você?
 
No início elas tiveram ciúmes sim, e foi bem proposital da minha parte. Eu precisava da confiança dos maridos no primeiro momento, eles não podiam sonhar que eu estava do lado delas. Mas depois elas entenderam meu jogo. E viramos parceiras. 
 
Falando em tarefas…Você e a Ana protagonizaram uma cena curiosa: simulação de sexo. Não foi ousado por parte dos maridos escolher os apresentadores do programa? Ficou receosa em cumprir a tarefa?
 
Confesso que foi bem engraçado, eu sabia que eles estavam aprontando alguma. Na verdade foi bem ousado da parte deles, acho que uma vingança. Mas com a Ana acabou sendo divertido. 
 
Uma palavra que define a atitude dos maridos? 
 
Uma palavra, poxa que difícil. Então vou escrever duas. Antes da escola: FIM. Depois da escola: Recomeço
 
As esposas também precisam de uma escola? 
 
As esposas precisam de respeito. Essa escola é para maridos 😉