Pedro Carvalho
Pedro Carvalho

Pedro Carvalho, o ator português, que vive o personagem Miguel Sales em Escrava Mãe, está no Brasil para conhecer mais do país, estudar e fazer contatos. Em entrevista exclusiva ao Observatório da Televisão, ele fala sobre a carreira e os objetivos futuros.

No ar na novela das 19h da Record, o ator quer muito continuar trabalhando no Brasil. Em Portugal ele já fez 13 novelas, algumas de sucesso mundial, mas agora ele quer mesmo é se consolidar por aqui. Escrava Mãe foi a porta de entrada para o galã, que tem ambições ainda maiores.

“Eu tenho sonho de continuar trabalhando como ator no Brasil, a Record me deu uma grande oportunidade, portanto eu vou muito pelos projetos. Não sou contratado pela Record, se aparecer um convite da Globo, obviamente vou considerar, porque sou ator e estou livre no mercado, almejando uma carreira no Brasil”, afirma Pedro Carvalho.


Sobre o atual trabalho, o ator é só elogio. Para ele, Escrava Mãe é um sucesso e foi o maior desafio de sua carreira. “Este foi o meu melhor trabalho, o mais desafiador. Além de ser fora de minha zona de conforto, em outro país, apesar de eu falar português, tive que fazer fonoaudiologia para melhorar minha pronúncia.”

A audiência de Escrava Mãe, apesar de não ser um mega sucesso, é considerável e tem dado a Record o segundo lugar com folga. Sobre os números, Pedro também avalia como positivos. “Em relação à audiência, é algo que ultrapassa um pouquinho o trabalho do ator, mas minha opinião é que está bem, poderia estar melhor, caso a novela não fosse pioneira nesse horário e já tivesse um público fidelizado, mas estou satisfeito”, salienta.

Acostumado a atuar em Portugal, o ator conta que não há muita diferença no trabalho realizado lá em comparação com o Brasil, a principal diferença é em relação a questões de infraestrutura. “Fazer novela em Portugal é muito parecido com o Brasil, principalmente no trabalho de preparação do ator, mas o que muda é o padrão técnico. Aqui é tudo muito maior, muitas câmeras, cidades cenográficas, estúdios grandes. Lá não temos cidades cenográficas, gravamos as externas em locações reais”, comenta.

Em Escrava Mãe, Pedro Carvalho protagoniza cenas românticas com Gabriela Moreyra
Em Escrava Mãe, Pedro Carvalho protagoniza cenas românticas com Gabriela Moreyra

Solteiro atualmente, Pedro Carvalho nega que tenha tido algum romance com sua parceira de cena, Gabriela Moreyra. “Minha relação com ela é muito boa, a gente ficou muito parceiro, muito amigo. Ela foi para Portugal e conheceu meus amigos, minha família, nós passeamos e foi muito bacana. Ela é uma amiga para a vida, mas é só amizade. Estou solteiro.”

Um dos papeis mais importantes na carreira de Pedro e que o catapultou para o mundo, foi Paulo Furtado na novela O Beijo do Escorpião. Na trama ele vivia um personagem gay, que protagonizou cenas fortes de beijo e sexo. O ator viveria novamente um papel do gênero. “Fazer um personagem gay foi incrível, teve repercussão mundial, fui indicado a prêmios pelo papel, eu faria novamente um gay sem problemas. Esse personagem foi muito importante, me deu visibilidade. Eu repetiria o papel porque fazer um personagem que não tem a ver comigo é um desafio, sou camaleão, gosto de trabalhos que exigem de mim como ator”, finaliza.

Pedro Carvalho em cena de O Beijo do Escorpião
Pedro Carvalho em cena de O Beijo do Escorpião

Confira a entrevista na íntegra:

Como você avalia o trabalho em Escrava Mãe?

Eu acho a novela muito bonita, é um horário novo da Record, que não tinha antes, então só por isso já somos vitoriosos. Estamos com mais da metade do sucesso que a emissora esperava e é um trabalho muito bonito, que foi feito com muita dedicação de todos nós, um investimento muito grande.

E como foi receber o convite para atuar na novela brasileira?

Eu ja fiz 13 novelas em Portugal, teatro, cinema e por isso me escolheram para fazer Escrava Mãe e eu fiquei muito agradecido, porque a novela é um prequel de uma obra tão aclamada como foi Escrava Isaura, que vendeu para o mundo inteiro e Escrava Mãe recebeu um investimento gigante e o empenho de todos e um texto incrível do Gustavo Reiz.

Como você avalia a repercussão da novela?

Aquilo que eu assisto, posso ser suspeito, mas inclusive eu vejo pela repercussão que a novela já tem em Portugal, mesmo antes de começar a passar lá as críticas são super positivas, nunca houve uma crítica negativa.

Está satisfeito com a audiência?

Em relação a audiência, é algo que ultrapassa um pouquinho o trabalho do ator, mas minha opinião é que está bem, poderia estar melhor, caso a novela não fosse pioneira nesse horário e já tivesse um público fidelizado.

E os rumos de sua carreira?

Eu estou muito feliz, sou muito autocrítico, mas estou satisfeito. Estou em constante evolução e aprendizado, isso é muito importante.

Considera Escrava Mãe seu maior trabalho até agora?

Este foi o meu melhor trabalho, o mais desafiante. Além de ser fora de minha zona de conforto, em outro país, apesar de eu falar português, tive que fazer fonoaudiologia para melhorar minha pronúncia.

Trabalhar aqui era uma vontade antiga?

Eu tinha muita vontade de fazer esse intercambio entre Portugal e Brasil e que Escrava Mãe seja a primeira de muitas novelas que eu venha fazer aqui.

Qual a diferença entre atuar nas novelas de Portugal e do Brasil?

Fazer novela em Portugal é muito parecido com o Brasil, no que diz respeito ao trabalho de preparação do ator, mas o que muda é o padrão técnico. Aqui é tudo muito maior, muitas câmeras, cidades cenográficas, estúdios grandes. Lá não temos cidades cenográficas, gravamos as externas em locações reais.

Ter finalizado as gravações antes da novela ir ao ar foi prejudicial?

O fato de a novela ter sido toda gravada antes de ir ao ar não me incomodou. Nós tivemos uma preparação incrível, as cenas foram muito bem feitas. É claro que quando a novela é gravada e exibida simultaneamente, nós atores podemos ir assistindo nosso trabalho e melhorando quando possível, mas no caso de Escrava Mãe ela foi muito bem pensada antes e por isso deu certo.

Como é sua relação com a Gabriela Moreyra, são apenas amigos?

Minha relação com a Gabriela é muito boa, a gente ficou muito parceiro, muito amigo. Ela foi para Portugal e conheceu meus amigos, minha família, nós passeamos e foi muito bacana. Ela é uma amiga para a vida, mas é só amizade. Estou solteiro.

Um dos papeis mais marcantes de sua carreira era gay. Faria novamente um personagem homossexual?

Fazer um personagem gay foi incrível, teve repercussão mundial, fui indicado a prêmios pelo papel, eu faria novamente um gay sem problemas. Esse personagem foi muito importante, me deu visibilidade. Eu repetiria o papel porque fazer um personagem que não tem a ver comigo é um desafio, sou camaleão, gosto de trabalhos que exigem de mim como ator.

A beleza abriu as portas para você? É vaidoso?

Pedro Carvalho chama atenção também pela beleza
Pedro Carvalho chama atenção também pela beleza

Eu sou uma pessoa que investi muito na minha formação, é claro que o físico, principalmente na TV, ajuda muito, mas não é regra, não é o principal, meu talento é o que mais conta e eu tenho muito o que aprender e crescer. Eu sou assim geneticamente, não me considero um cara tão bonito assim, eu sou prático, não sou vaidoso, faço esportes desde sempre e isso repercute na minha forma física. Nunca fiz plástica, não preciso.

Você se inspira em algum ator?

Eu não me inspirei em um único ator, me inspirei em vários, mas muito mais em pessoas da minha vida, que me ajudam a evoluir. Eu admiro vários atores e considero o trabalho deles, isso me ajuda também a me sentir pequeno e buscar crescer sempre. Eu adoro o trabalho do Mateus Solano, é um ator versatil, Fernanda Montenegro, Camila Pitanga, eu espero um dia partilhar cenas com eles e aprender com esses gênios.

Já tem novos trabalhos em vista?

Aqui no Brasil ainda não tenho nenhum novo trabalho em vista, eu quero muito continuar trabalhando no Brasil.

E seus objetivos? Quer trabalhar na Globo?

Eu tenho sonho de continuar trabalhando como ator no Brasil, a Record me deu uma grande oportunidade, portanto eu vou muito pelo projeto. Não sou contratado pela Record, se aparecer um convite da Globo, obviamente vou considerar, porque sou ator e estou livre no mercado, almejando uma carreira no Brasil.

E em Portugal, tem feito muitos trabalhos?

Pedro Carvalho em cena de Massa Fresca
Pedro Carvalho em cena de Massa Fresca

Em Portugal eu acabei de fazer a novela Massa Fresca, que foi exibida às 19h. Foi uma trama semelhante a Totalmente Demais, que passou recentemente na Globo. No enredo dois rapazes, eu fiz o mocinho, disputam o amor da mocinha. Uma história leve e divertida. Quando eu terminei de gravar Escrava Mãe eu voltei para Portugal para também fazer teatro. Encenei o espetáculo Dama das Camélias, com um elenco estrelado, terminou em abril. Depois fiz um longa, Portugal Não Está à Venda, uma comédia, que vai estrear em novembro.

Está no Brasil para algum compromisso específico?

Estou no Brasil, amo aqui, estou ficando no Rio para estudar, fazer fonoaudiologia e fazer contatos para novos trabalhos. Meu desafio agora é o Brasil, em Portugal já foram 13 novelas.

Como tem sido o reconhecimento do público nas ruas?

Eu gosto do assédio dos fãs, é carinhoso. Não me incomoda, é claro que as vezes é um pouco exagerado, mas é bonito e mostra que seu trabalho está sendo reconhecido. Em Portugal sou muito conhecido, aqui eu não imaginei que fosse tanto, mas estive aqui na Paralimpíada e me surpreendi com o assédio e reconhecimento do público.