Cleo Pires sobre o futuro: “Eu não sei se eu vou ser atriz para sempre”

Cleo Pires
Cleo Pires (Divulgação)

Cleo Pires, assim como Mariana Ximenes, será vista em dose dupla na tela da Globo a partir do final deste mês. A atriz, no ar na novela Haja Coração, é uma das protagonistas de Supermax, nova série do canal.

A produção, que está gerando versões mundo afora, é uma das principais apostas da emissora carioca para este semestre.

Em entrevista, Cleo fala sobre os dois desafios profissionais.


Confira o papo:

Supermax

“Faz tempo que eu gravei a série. É fogo isso. Quando faz muito tempo eu sempre esqueço. A Sabrina na verdade é uma psicóloga que virou uma guerrilheira. Será que eu posso contar? (faz mistério). Ela está no programa porque ela acredita no jogo. Ela acredita que vai ganhar. Ela quer usar esses R$ 2.000.000,00 (Dois Milhões de Reais) em prol de uma causa maior. É isso. Ela é verdadeiramente uma guerreira.”

Composição para a personagem

“Fizemos uma preparação de duas semanas com o Eduardo Milewicz (preparador de elenco). Foi um workshop maravilhoso! Adorei trabalhar com ele. Ele tem um trabalho muito objetivo. Aprendi muitas coisas novas. Eu quero voltar a trabalhar com ele. O elenco trabalhava muito junto. A gente virou um time, se ajudava muito.”

Ajuda da cenografia

“A prisão cenográfica ajudava muito na composição. Aquela atmosfera sombria ajudou bastante. Esse clima de medo, de suspense. Sabe? De qualquer hora uma coisa muito macabra acontecer. Tinha esse clima lá. A gente nem estava gravando, mas cada um ficava em sua cela. Foi uma imersão mesmo no desconhecido. Ficava cada um sentindo aquela energia dentro de sua cela. Era bom. Eu sinto saudade sabia? Gostava daquele clima um pouco (risos).”

Ligação com reality show

“Eu acho que eu não participaria de um reality show não. Eu não sei. Eu tenho segredos demais. Eu assisti ao Big Brother Brasil no inicio e tal. Hoje em dia eu gosto da ‘Keeping Up with the Kardashians’ (é uma série de reality show americano que vai ao ar no canal pago E!. O programa foca nas vidas profissionais e pessoais da família Kardashian–Jenner). Acho a série ótima. Eu gosto da família. Sabe? Eu gosto da dinâmica delas assim. Eu me identifico um pouco por causa da minha família, que é muito grande. Tem muita mulher, cada uma faz uma coisa. Enfim. Eu acho legal assistir.”

O que seria mais difícil em um programa de realidade?

“Acho que o fato de estar confinada. De me sentir presa. Acho que é isso.”

Dois produtos sendo exibidos ao mesmo tempo…

“Eu não sei como eu vou encarar isso. Não pensei sobre isso. Acho que é um bom exercício para o público. De diferenciar o ator. Separar o profissional dos personagens. Às vezes fazem uma mistura. A mídia faz muito isso. É bom a gente ter um pouco do personagem e vice versa. Mas o público e a mídia fazem isso de uma forma muito nociva pra gente. É legal para quem está de fora perceber que cada coisa tem a sua ‘gavetinha’. Vai ser um bom desafio. Vai ser um exercício interessante.”

Visual da personagem

“Eu amei usar o dread. Morro de saudade. Foi a minha fase mais linda. Eu achei.”

Voltaria com o visual? O trabalho de atriz requer mudanças, né?

“Eu não sei se eu vou ser atriz para sempre. Eu nunca digo nunca para nada. Eu nunca digo nunca. O único problema do dread pra mim é que ele era muito pratico para umas coisas e não para outras. Se molhasse ele durante um dia, tinha que secar. Se não ficaria pingando o resto do dia. Visualmente não tem nada mais bonito. Sacou?”

Futuro da profissão… 

“Eu não sei. Não é que eu não penso. Não mude as minhas palavras. Eu não tenho uma segunda opção. E, sim, várias opções na verdade. Eu gosto de música. Mas acho que seria uma boa empresária. Eu não sei. Tem tanta coisa boa para fazer na vida, né?”

Nunca diga nunca..

“Eu não consigo dizer que eu quero uma coisa para sempre. Eu acho difícil isso. Eu sempre mudo. Todo mundo muda. Eu me reservo esse direito e acho que é bom para a evolução do ser humano. Pode ser que amanhã eu não queira mais. Eu não vou falar que eu vou ser pra sempre. Eu não sei se vou ser pra sempre. Tem muitas coisas boas na vida, sim. Não gosto de rotina. A coisa que eu mais odeio é o tédio.”

Filme de terror

“Quando eu era mais nova eu adorava filme de terror. Só que depois eu não conseguia ficar sozinha. Nem ia ao banheiro sem companhia. Eu via coisas. Ficava louca. (risos)”

Twitter

“Quando eu tenho tempo eu acompanho a novela pelo Twitter. Eu gosto dessa troca com o público.”

Medo em relação às cenas de terror em Supermax

“Medo eu não tive não. Tiveram algumas cenas que eu não tive nenhuma referencia emocional daquilo. Nem perto. Então, foi muito difícil chegar naquele lugar. Sabe? Daquela sensação em si.”

André RomanoENTREVISTA REALIZADA PELO JORNALISTA ANDRÉ ROMANO