“Eu estou tirando de letra esse negócio de ser mãe”, garante Deborah Secco

deborah secco malhação

Depois de dar luz a primogênita Maria Flor, Deborah Secco está de volta às novelas, desta vez em Malhação. A atriz será Tânia na trama jovem da Globo, uma mulher batalhadora, que se vira para dar conta das tarefas do dia a dia.

“Ela é uma mulher real. Dessas que criam os filhos, trabalha, pega ônibus, se vira. Ela é 10 mil em uma”, revela Deborah Secco.

A atriz está radiante, em plena forma física e feliz pelo momento mãe que está na vida pessoal e profissional. “Eu estou tirando de letra esse negócio de ser mãe”, conta Deborah Secco sobre o papel na novela e a vida real.


Confira na íntegra a entrevista com Deborah Secco:

Como está sendo atuar ao lado dessa nova geração de atores?

“Eu estou muito feliz de falar com esse novo telespectador. E de estar atuando ao lado desses meninos que estão com gás. Com fôlego de sonho sendo realizado. Eu já estou nessa profissão há 27 anos. Às vezes a gente vai perdendo esse frio na barriga de estreia. Podendo estar com esses jovens está sendo delicioso. Essa é a minha primeira incursão em ‘Malhação’. Eu sou estreante no meio dessa galera. Sou completamente estreante. Tem gente que me pergunta como é receber as pessoas, que agora eu sou veterana. Sou veterana há algum tempo. Há 10 anos, eu estava recebendo a Juliana Paes – nosso encontro foi na novela ‘Celebridade’. Hoje ela é veterana também. É muito bom receber de braços abertos essa galera que está com muita vontade de fazer.”

Pode falar um pouco da Tânia pra gente?

“Eu estou com muito orgulho de fazer a Tânia. Ela é uma mulher real. Dessas que criam os filhos, trabalha, pega ônibus, se vira. Ela é 10 mil em uma. Agora que a gente briga tanto por esse poder feminino. É muito bom mostrar que a mulher acumula funções, ela desdobra. E, a gente merece um pouquinho de respeito. Eu estou muito feliz de retratar uma mulher assim.”

Como está sendo interpretar uma mãe batalhadora em ‘Malhação’?

“Está sendo maravilhoso. Eu estou tirando de letra esse negócio de ser mãe.”

Como surgiu o convite para fazer ‘Malhação’?

“Acabou a minha licença maternidade, logo assim a produção entrou em contato comigo. O que me preocupou no inicio, que eu tinha que pegar um trabalho que não me exigisse artisticamente. Eu que tenho essa mania de preparações longas. De ficar 1 anos fora de casa, de ir morar não sei aonde. Eu poderia fazer nenhum personagem que eu pudesse me jogar profundamente. Aqui é uma trama, que meu personagem basicamente ampara os protagonistas. Que aqui, são os jovens. A gente está de braços abertos para quem está chegando. Não somos as estrelas, o foco. Isso para mim, tira um peso muito grande das minhas costas. Poder voltar com essa leveza, não trabalhando todos os dias, podendo trazer a minha filha comigo, era tudo que eu precisava agora. Porque de fato eu quero estar com ela durante esses 2 primeiros anos de vida. E, se eu tiver que focar em alguma coisa agora, vai ser na maternidade. E, a TV Globo foi muito receptiva comigo. Eles entenderam a minha necessidade. A gente chegou a conclusão que ‘Malhação’ seria o melhor produto para eu voltar.”

É uma responsabilidade de ser a adulta de ‘Malhação’?

“Não, né? Eu já venho sendo adulta há algum tempo. Na série ‘Louco por Ela’, eu já tinha filhas adolescentes. Eu acho que agora depois de ser mãe, é muito mais especial voltar fazendo uma mãe. Eu de fato sei realmente o que uma mãe sente. Essa proteção, esse amor. Quando eu imaginava isso, era muito distante do que verdadeiramente é. Ser mãe ultrapassa tudo o que eu achava o que era. É muito mais.”

Ao contrário de muitas mães famosas, que escondem os filhos, a gente tem o privilegio de ver sua princesa. Como você lida com isso?

“Pra começar, eu não sou uma mãe famosa. Eu sou uma mãe! Uma mãe que baba a criança. Eu acho realmente a minha filha a coisa mais linda do mundo. Eu não acho que não tem no mundo criança mais bonita do que minha filha. Hoje eu entendo a minha mãe. Que me acha a coisa mais linda do mundo. Eu tenho muita vontade de postar muito mais fotos. Eu faço um grande esforço para me segurar. Esse é um ponto. Eu sou uma pessoa normal e vou viver a minha maternidade de forma normal. Independente de qual seja a minha profissão. E, do que as pessoas esperam de mim. Eu não estou pensando muito nisso. E a segunda coisa, a imprensa já iam atrás da Maria de qualquer jeito. Eu quero postar tanta foto dela, que ninguém mais aguente. Olhem para ela falem: ‘essa garota novamente’. E, que ela tenha uma vida mais normal possível. Sabe? É um peso grande já. E viver com alguém querendo ver o rosto dela. Ela tem que entender que o rosto dela não é nada demais. Que ela só é mais uma menina. Que não merece nem um circo entorno dela. Ela vai ter todos os direitos e deveres de uma pessoa normal. Eu vou tentar criar a minha filha normalmente. Às vezes a gente vai esbarrando em umas coisas chatas. De ir a praia e não ser fotografada. Eu acabo evitando de ir a praia. Ou acordando às 5h da manhã para conseguir um pouco de privacidade. Eu prefiro ser normal. Daqui a pouco as pessoas enjoam de mim e dela. Eu acho.”

Você é a mãe que você gostaria de ser?

“Eu não sou a mãe que eu gostaria de ser. Eu gostaria de ser uma mãe muito melhor. Gostaria de ter tido leite, gostaria de ter dinheiro suficiente para não precisar sair de casa. Gostaria de ter toda a força física de poder brincar o dia inteiro com ela. Tem dias que eu me acho a melhor mãe. Tem dias que eu em acho a pior. Eu acho que esse é o dilema de todas as mães. Eu tenho a consciência que eu sou a melhor mãe que eu consigo ser. Fiquei sete meses sem babá. Agora que ela chegou para vir com a Maria enquanto eu trabalho. A gente está odiando a babá. A Maria já gosta dela. Então, eu fico tentando ser uma boa mãe. Hoje eu consigo entender a minha mãe. Eu vou passar a vida tentando conquistar a Maria e tentando ser a melhor pessoa do mundo para ela. Eu vou dormir todos os dias achando que eu poderia ter sido melhor.”

Como foi deixar sua pequena em casa pela primeira vez?

“A primeira vez que eu sai de casa para trabalhar, foi uma viagem à São Paulo. Eu sai de casa chorando. A sorte é que meu marido tem sido muito parceiro. A gente tem o combinado de não ficar os dois fora de casa ao mesmo tempo. Ou estou eu em casa, ou está ele. No máximo quando a gente vai jantar juntos, fica a minha mãe com a Maria. E, isso quando ela está dormindo. Agora está difícil porque ela agora não está tendo um sono mais cedo. Antigamente ela dormia às 18h e ia até 00h. Agora ela vai dormir às 20h, 21h. Agora é imprevisível. Estamos fazendo os nossos jantares em casa mesmo. Tentando ser romântico em casa.”

Você tem ideia de qual será o tema do primeiro aniversário de sua filha?

“Eu acho que vai ser da ‘Galinha Pitadinha’. É a coisa que ela mais gosta no mundo. Quando ela escuta a musiquinha, ela para tudo. Pode ser, que até lá, mude. Tudo muda loucamente.”

Você está empolgada de dar um irmãozinho para ela?

“Eu quero muito. O meu marido acha que ainda não é a hora. Que a gente precisa esperar mais um pouquinho. Como a gente não faz filho sozinho, eu estou na negociação. Uma hora emplaca (risos).”

E, a volta do shape?

“Foi uma loucura. Porque eu engordei muito. Tinha medo de nunca mais voltar ao meu corpo normal. Em 13 dias, eu já estava cabendo em minhas roupas novamente. Milagrosamente! Eu acho que o corpo tem memória mesmo. E, eu fiz exercícios a vida inteira. O meu corpo é muito habituado a engordar, a emagrecer. Assim que a Maria nasceu, eu comecei a fazer uma alimentação regrada. E, não tinha mais ninguém para colocar em risco. Só eu! Meu corpo obedeceu e foram 13 dias. Eu também não acreditei.”

André RomanoENTREVISTA REALIZADA PELO JORNALISTA ANDRÉ ROMANO