“É curioso ver o Vídeo Show se matando para não perder da gente”, comemora Fabíola Reipert

Fabíola Reipert
Fabíola Reipert (Divulgação)

Fabiola Reipert, a jornalista mais odiada do Brasil, conversou com com a nossa reportagem e falou um pouquinho do que rola nos bastidores do mundo pantanoso das celebridades.

Confira a entrevista:

Quem é a Fabiola Reipert?


“Uma jornalista que cobre a área de celebridades há 17 anos, que não tem o menor interesse pela fama nem quer ser amiga de gente famosa. Meu único objetivo é mostrar a verdade sobre o mundinho pantanoso dos famosos e desmascarar quem adora enganar o público.”

Como surgiu o interesse de escrever sobre as celebridades?

“Na verdade, não foi interesse. Foi à vaga que apareceu na Folha da Tarde e, como eu queria muito trabalhar em jornal, aceitei correndo. Aí acabei ficando. E gosto muito do que faço.”

Você já sofreu algum tipo de preconceito por cobrir essa área?

“Sim, mas não me incomodo, pois quem cobre essa área sabe que dá mais trabalho do que outras editorias, pois os famosos de um modo geral são inacessíveis por se sentirem mais importante que os simples mortais. Sem falar que, muitas vezes, mentem e ainda fazem seus assessores nos enganarem e nos tirarem do nosso caminho (mesmo sabendo que a gente está certo e falando a verdade).”

Você passou por grandes jornais do Brasil. E, hoje seu blog é um dos mais acessados do R7. Você esperava esse sucesso?

“Não. Sempre dei o meu melhor e achava que iria conseguir me destacar, pois sou muito dedicada ao trabalho. Mas não esperava o que está acontecendo agora. Estou muito feliz com o reconhecimento do meu trabalho, pois dou o meu melhor.”

Seu quadro, A Hora da Venenosa, é um sucesso dentro do programa ‘Balanço Geral’. Você imaginava que ele fosse deixar a Rede Globo para trás?

“Não imaginava, não. Sei que fofoca é um assunto que tem apelo, que muita gente gosta, mas não esperava que fosse ser assim. É curioso ver o povo do ‘Vídeo Show’ se matando para não perder da gente. Eles têm todo o elenco da Rede Globo à disposição, mas o que falta ali é carisma.”

Qual é o segredo desse sucesso? Vocês não tem um elenco global, e, coloca a emissora para trás? Como você explica isso?

“Acho que o segredo é ser de verdade. É ser autêntico, natural. O público percebe quando o apresentador é forçado, quando tenta agradar sendo o que não é. Não adianta ficar fazendo palhaçada na frente da câmera se a pessoa não é engraçada. O telespectador percebe e muda de canal.”

Fale-nos um pouco dos bastidores do programa?

“Tudo o que você vê diante da TV é exatamente o que acontece nos bastidores. A gente brinca do mesmo jeito no estúdio quando as câmeras estão desligadas. A gente se dá bem de verdade, sem falsidade. Não falamos mal um do outro pelas costas. Se algo deixou alguém chateado por algum motivo, a gente já resolve na hora sem dar chance de virar mágoa. Mas te digo que é caríssimo alguém ficar chateado ali, pois o clima é maravilhoso, graças a Deus. Trabalhar em ambiente pesado é horrível.”

E, essa parceria com Reinaldo Gottino e com o fofo do Renato Lombardi?

“Adoro os dois. Ficamos amigos de verdade. Saímos juntos para almoçar, jantar. Eles são ótimos, do bem, verdadeiros. O Gottino é o âncora do programa, o apresentador principal, mas ele trata a gente de igual para igual, não fica jogando na cara que quem manda ali é ele. O Lombardi e eu sabemos disso e respeita, claro, mas ele nos deixa muito à vontade. Trabalhamos em harmonia e isso fica visível no ar e o público percebe. As pessoas falam isso pra mim.”

Você se leva a sério?

“De jeito nenhum (risos). Preguiça de gente chata que se leva a sério. Sei rir de mim mesma e aceito críticas numa boa, tanto que não saio bloqueando as pessoas em redes sociais nem apagando comentários que são contra mim. Todos têm o direito à liberdade de expressão.”

Qual é a celebridade mais odiada do Brasil?

“Luana Piovani, sem dúvidas. Ela faz questão de ser antipática e grosseira. Agora deu de chamar os paparazzi de bandidos.”

O que tira você do sério?

“Gente falsa e interesseira. Isso me irrita profundamente. Nem chego perto. Quero distância.”

Vale tudo pelo furo?

“Mais ou menos. Não vou me vender por um furo, por uma informação exclusiva, nem ir contra o que eu acredito. Furo amanhã ninguém lembra mais quem deu.”

Você é amiga de alguma celebridade?

“Celebridade quer ser amiga de jornalista para calar a boca. E comigo isso não funciona. Não tenho a menor intenção de fazer selfie com famosos para postar no Facebook e depois não poder falar da pessoa, pois paguei de tiete. Prefiro a notícia.”

Como é a Fabíola fora dos holofotes?

“Uma pessoa que não tem nada de amarga, como muitos famosos dizem (risos). Sou bem-humorada, estou sempre rindo, brincando, falando besteira. Quando sou amiga sou amiga até o fim. Quem me conhece sabe disso. Adoro ajudar as pessoas. Gosto de coisas simples, nada de frescuras, amo ir à praia, brincar com meus cachorros, namorar, claro, e ficar com a minha família.”

Você paga alguma grana para as suas fontes? Como é isso?

“Não é possível isso. As fontes contam as histórias, pois acabam virando nossos amigos. Não é por dinheiro.”

Você já foi muito processada? Você acha que o processo é uma forma de censura?

“Não tanto como as pessoas imaginam (risos). Claro que é uma forma de censura. A Fernanda Lima e a Paola Oliveira, por exemplo, queriam que eu parasse de falar no nome delas. Censura é crime. É inconstitucional.”

Você acha que o meio jornalístico é machista?

“Acho que não. Não consigo ver dessa forma.”

Tem alguma celebridade que você fica no pé?

“Quem apronta eu fico no pé, pois o público que acompanha meu trabalho, que é com quem tenho compromisso, quer saber o que os famosos fazem longe dos holofotes. Se não quiser que eu não publique é só não aprontar.”

O que você falaria para as pessoas que criticam você e comentam que você é mal amada?

“Sabem de nada, inocentes (risos). Minha vida pessoal é muito bem resolvida. Tenho um relacionamento sério há quase seis anos. Estamos muito bem. O nome dele é Diogo e não é jornalista, nem artista, trabalha numa área totalmente diferente da nossa. Ele não gosta de exposição, por isso não fico falando. E eu também não gosto de ficar falando da minha vida. Sou paga para falar da vida dos outros, né?”

André RomanoENTREVISTA REALIZADA PELO JORNALISTA ANDRÉ ROMANO