“Que ela veja logo esse Cegonho”, torce Camila Queiroz, a Mafalda de Êta Mundo Bom!

Camila Queiroz, a Mafalda e Êta Mundo Bom
Camila Queiroz, a Mafalda e Êta Mundo Bom

Conhecer o Cegonho é o sonho de Mafalda, personagem de Camila Queiroz em Êta Mundo Bom!. A ingênua moça da roça não vê a hora de descobrir como é este tal de Cegonho, mas isso só vai acontecer no final da novela.

Enquanto isso, a atriz conta em entrevista que vive a expectativa da cena, que promete ser hilária e ao mesmo tempo emocionante. “Que ela veja logo esse Cegonho. Deixa essa menina casar. Deixa essa menina ver o Cegonho. Tudo bem que ela não quer ver um só. Deixa ela ver esse Cegonho. Pelo amor de Deus. É só isso que eu desejo para ela. Que seja do Romeo ou do Zé dos Porcos”, pede Camila Queiroz.

Se na trama ela vive o dilema de conhecer o Cegonho, nas ruas o público se diverte com a personagem que é um sucesso. “No meu Instagram só tem comentário do Cegonho. Em todas as minhas fotos (risos). Eu estava em Nova York, me paravam na rua de NY para falar do Cegonho. Eu juro que fiquei abismada. Inacreditável!”, conta a atriz.


Depois de Verdades Secretas e com o sucesso em Êta Mundo Bom, Camila Queiroz já está confirmada em mais uma novela. A atriz será a protagonista de Pega Ladrão, trama das 19 horas que deve estrear no segundo semestre de 2017.

Confira na íntegra a entrevista de Camila Queiroz:

Há um ano, você lançava Verdades Secretas, naquela época, conheci uma Camila iniciante. Hoje, percebo que você está bem mudada. Não é isso mesmo?

“Tinha uma insegurança ali. Antes da estreia de Verdades Secretas, eu não sabia como o público iria me receber. Eu agora estou em uma novela que tem outro astral. A trama é divertida, alegre, pra cima. Não tem aquele drama, aquele texto, que a gente tinha em Verdades Secretas. Então, é outra história. Deixa a gente também confortável, né?”

Antes de estrear Êta Mundo Bom!, conversamos e você falou que Mafalda seria uma personagem que você queria provar que sabia fazer. Agora, que estamos na reta final, você acha que você provou?

“Se eu conseguir provar, eu não sei. Mas, que eu dei o meu melhor, eu dei. Eu tentei! (risos). Pelo menos, eu posso respirar aliviada assim, de que eu tentei fazer o meu melhor. Tentei mostrar para as pessoas que eu consigo ir para outro lado. Assim, como vai ter uma próxima personagem, que também é outra história. Então assim, é muito bacana isso da profissão de cada hora, a gente poder seguir um caminho diferente.”

Pode falar um pouco dessa nova personagem?

“Eu não posso falar muito não. Está muito longe. Tem estreia prevista para o segundo semestre de 2017. Será a protagonista de Pega Ladrão, novela das sete, da Claudia Souto. Eu vou ter um intervalo entre uma novela e outra., de uns três meses. Ai, eu vou poder me preparar pra ela. Mas, é uma novela muito legal. É muito contemporânea. Eu, agora vou ser urbana, mas do Rio de Janeiro, né? Vou ser carioca. Vou ter que falar porrrta agora. Vai ser muito legal, porque será um grande desafio. Vai ser um dos meus maiores desafios. Não tenho dúvida disso. Primeiro de vir de Angel, depois de Mafalda, que é carregada do interior, de repente uma menina carioca de Copacabana. Então, eu acho que isso vai ser incrível. Vai ser uma nova busca. Eu acho que vai ser bem legal.”

Você vai ser uma mocinha clássica?

“Eu acho que eu vou ser uma mocinha que as pessoas irão torcer. Eu não sei muito da novela ainda não. A trama está muito longe e as coisas vão mudando. A gente não tem nem os capítulos ainda. Eu não sei como será o aminho dela. Mas, eu acho que será bacana.”

Ao compor a Mafalda, você teve medo de cair no caricato?

“Eu acho que os nossos personagens tem um pouco da caricatura. Sabe? O que não é de todo ruim. Eu acho que a gente souber dosar isso e usar para o lado bom da coisa, eu acho que é legal. Mas, não para fazer aquela coisa caricata que vai ficar feio, que vai ficar demais. Eu acho que nós somos pessoas que existem. Realmente eu tenho pessoas na minha família assim. Que são caipiras tanto quanto o pessoal da fazenda. As minhas avós vinheram da roça. Elas viveram a infância que a Mafalda tem. Eu acho que nós somos pessoas que existiram e que existem ainda. Eu acho que o caricato não seja de todo mal não. Eu não acho que a gente levou para esse lado. Eu acho que a gente se divertiu fazendo.”

Você se surpreendeu com a ascensão de sua carreira? Já está escalada para uma outra novela. Como é isso em sua cabeça?

“Não! Tudo o que eu sabia antes de estrear Verdades Secretas, era que eu ia fazer o meu melhor, e que eu iria lutar por isso. Que já não foi fácil chegar aqui. E, que eu queria continuar. O difícil é se manter. O difícil é continuar agradando. Enfim… Mas, eu sempre soube que eu queria fazer o meu melhor sempre. Nunca vou fazer uma coisa que eu não irei mergulhar de cabeça. Não vale a pena. O nosso trabalho e árduo. Passa um ano gravando, é um ano com a equipe. A gente está desde outubro gravando a novela. É uma profissão que requer muita paciência. Você precisa saber o que está fazendo o tempo inteiro. É uma coisa que eu aprendi como é que funciona. E, que eu me dedico muito. Eu fiquei surpresa de ter sido convidada para participar de ‘Pega Ladrão’. Eu fiz teste para a Angel e para a Mafalda. E, a Luiza eu fui convidada. Fiquei muito feliz. Isso realmente eu não esperava.”

Você é muito jovem. Como está lidando com a imprensa em relação a sua vida pessoal e as criticas em relação ao seu trabalho?

“A mídia é uma coisa muito complicada pra gente. Eu ainda estou aprendendo a administrar tudo isso. Porque uma hora amam você e de uma hora para outra odeiam você. É muito louco. Ontem, antes de dormir, eu recebi uma mensagem dizendo que iam publicar uma matéria que nunca existiu aquela situação. Eu falei para minha assessora que aquilo não existia e, eu nunca tinha ido aquele lugar com aquela pessoa. Jamais aconteceu isso. Minha assessora respondeu: ‘eles disseram que você negando ou você dizendo que sim, ou não, eles vão publicar’. A gente passa por esse tipo de situações. Eu amo a imprensa quando é um jornalismo com ética. Tem uma galera que vive ganhando mídia podre encima de você. Isso é muito triste. Acaba com uma profissão que é tão difícil. Jornalista sua muito para o trabalho. E vem uma pessoa que só quer ganhar uma mídia falando mal de você, que sabe que vai dar clique, e, acaba com a nossa imagem. Mas, eu acho que tirando esses dedos podres que têm, eu acho que é bom receber as criticas também. Não é bom a gente ser elogiado sempre. A gente tem que saber ler as criticas e saber levar aquilo para o lado bom. Quando são construtivas. Quanto a vida pessoal, eu ainda não sei ficar muito calma com isso não. Porque é muita mentira que sai.”

Quando falam de sua família, a gente percebe que você vira uma leoa…

“Eu preservo sim a minha família. Eu viro uma leoa sim. A minha família não tem nada a ver com minha profissão. Eu escolhi estar aqui. Eles não. Eles não têm nada a ver com isso. Quando os colocam na história, me dói mais. Algumas vezes eu tento desmentir coisas que são absurdas. Mas, tem coisas que eu não vou perder o meu tempo provando nada. Quem está ao meu lado sabe como eu sou. Então, tem hora que a gente toca o F###-## e segue. Tem horas que a gente fica tão irado com aquela noticia que você sabe que é mentira. Que você acaba indo desmentir. Mas, acaba se desgastando. Tirando isso. A gente tem que aprender. Eu tenho que aprender ainda a lidar com isso.”

E a carreira de modelo?

“Foi linda enquanto foi. Não tem como eu voltar a ser só modelo. Essa profissão me tomou por inteira. E, foram oito anos maravilhosos, de muita experiência, de muitas viagens, de muito trabalho. Acho que agora é um novo ciclo. Uma nova etapa da minha vida. Quando eu tenho que fazer um desfile ou uma campanha publicitaria. Eu acabo sendo mais modelo do que atriz.”

E as férias?

“Eu não tenho ideia para onde eu vou. O tempo está correndo e eu não tenho ideia mesmo. Cada hora, eu quero ir para um canto do mundo.”

Como está sendo a despedida da personagem?

“Cara, a gente está pensando nem pensar muito nisso. Porque dói, né? Imagina. A gente fica brincando para o Walcyr Carrasco escrever uma série só da família da fazendo. Porque ia ser engraçado. É só uma brincadeira mesmo. É difícil se despedir de personagem. Você passa um ano de sua vida sendo outra pessoa. Dói. Mas eu não quero ficar pensando ainda nisso não. Temos ainda três semanas gravando. Deixa a gente para chorar no ultimo dia.”

Qual o fim que você deseja para a Mafalda?

“Que ela veja logo esse Cegonho. Deixa essa menina casar. Deixa essa menina ver o Cegonho. Tudo bem que ela não quer ver um só. Deixa ela ver esse Cegonho. Pelo amor de Deus. É só isso que eu desejo para ela. Que seja do Romeo ou do Zé dos Porcos.”

As pessoas falam do Cegonho nas ruas?

“No meu Instagram só tem comentário do Cegonho. Em todas as minhas fotos (risos). Eu estava em Nova York, me paravam na rua de NY para falar do Cegonho. Eu juro que fiquei abismada. Inacreditável!”

O Luan Santana anunciou uma parceria com você. Você pode falar alguma coisa?

“Eu estou proibida de falar o que é. Foi uma coisa muito diferente. Não é nada do que as pessoas estão esperando. Só é isso que eu posso dizer. As pessoas estão esperando clipe. Mas, não foi nada disso. Foi muito legal trabalhar com ele. Nesse projeto, não vou estar sozinha. Tem outras mulheres envolvidas na história. Mas, é muito legal. Vocês vão ficar sabendo em outubro. É muito legal. É isso.”

Camila, eu estava comentando que você é um fenômeno. Você atribui esse sucesso porque você não se leva a sério?

“Você acha que eu não me levo a sério? Será que eu não me levo? Eu não sei. Eu acho que é porque eu brinco. Eu tento brincar com tudo. Quando eu estou no meu trabalho eu tento levar isso como uma brincadeira de gente grande. Tendo me divertir quanto eu faço isso. A gente vai passar uma grande parte da vida fazendo isso. Tem que ser uma coisa leve e divertida da gente fazer. Sabe?”

Vai fazer algum curso de interpretação lá fora?

“Eu ainda não sei. Mas, estou com vontade.”

O foco do artista é o teatro. Você pensa em estrear no tablado?

“Eu comecei pela TV. Meu caminho foi um pouco ao contrario dos outros. Eu tenho muito interesse em conhecer o teatro. Eu acho que é outro lugar, ouro tipo de atuação. Que também é um desafio gigante. É ao vivo todos os dias. Eu também tenho essa vontade.”

André RomanoENTREVISTA REALIZADA PELO JORNALISTA ANDRÉ ROMANO