“O ego dos atores é excessivamente inflado” afirma Miguel Rômulo o Quincas de Êta Mundo Bom


Miguel Rômulo, jovem ator que atualmente dá vida ao personagem Quincas de Êta Mundo Bom, revelou em entrevista ao Blog CJMartim, que sabe lidar bem com a fama e não se deslumbra com a popularidade que a carreira na televisão traz, mas afirma que no meio os egos são um problema.

“A fama pode ser tanta coisa, pode ser um cachorrinho fofinho, indefeso e carinhoso. Depende da onde você está, depende do seu caráter, depende da criação que a sua família lhe deu, depende do seu ego. Não tenho como negar, o ego dos atores é excessivamente inflado, diariamente, principalmente de alguns atores muito famosos, atrizes muito famosas. Mas, eu acho, que isso se deve ao caráter de cada um”.

Aos 24 anos, o ator que já pode ser considerado experiente, com cerca de 10 novelas no currículo, não gosta de rótulos e preconceitos, para ele estes são dois pontos negativos que podem atrapalhar a vida pessoal e profissional.


“Gosto de ser quem eu sou, não gosto de receber rótulos e não me vejo como um ator único para tal papel, determinado tipo de novela. Eu gosto de ser um ator versátil, de ser um ator pronto para fazer o que puderem me propor… Odeio preconceito. Na novela, a gente aborda muito esse assunto da injustiça, indiferença, preconceito, julgamento, isso, para mim, é a pior coisa”.

Trabalhando novamente em uma obra de Walcyr Carrasco e Jorge Fernando, antes ele já havia atuado em Caras e Bocas, em 2009, no papel do nerd Felipe, Miguel Rômulo conta ainda como surgiu o convite para integrar o elenco de Êta Mundo Bom, novela das 18 horas que tem feito um enorme sucesso na Globo.

“Eu fiquei muito feliz em receber o convite do Jorge Fernando e o Walcyr Carrasco para essa novela. Eu me senti muito honrado porque já tinha trabalhado com eles antes. Para mim foi um presente, porque eu gosto muito de fazer comédia. Claro, que não só gosto de fazer comédia, mas eu gosto muito de fazer como ator, quando surge. É sempre bom trabalhar com um autor que entende tanto desse assunto como o Walcyr Carrasco, e um diretor, que é referência no Brasil em termos de comédia, que é o Jorge Fernando”.

Confira a entrevista do ator Miguel Rômulo na íntegra. Acesse o blog CJ Martim!

Blog CJ Martim

Siga no twitter.com/cjmartim
Curta no facebook.com/cjmartim