Tony Ramos em Baila Comigo, trama que será reprisada pelo Viva
Tony Ramos em Baila Comigo (Divulgação)

Nesta segunda-feira, 20 de agosto, o Canal Viva estreia a reprise de mais uma novela de Manoel Carlos. Baila Comigo (1981) será reapresentada pela primeira vez em 37 anos. A história dará prosseguimento ao êxito do autor no canal, que já exibiu quatro novelas suas. Uma delas, Por Amor (1997/98), já deu o ar da graça duas vezes, bem como a minissérie Presença de Anita (2001).

Dirigida por Roberto Talma e Paulo Ubiratan, Baila Comigo substitui Sinhá-Moça (1986) no canal pago. Trata-se da história de dois irmãos gêmeos idênticos que não se conhecem. Helena (Lilian Lemmertz) e Joaquim (Raul Cortez) tiveram um romance no passado, que gerou os filhos. Todavia, como ele já era casado com Marta (Tereza Rachel) e preferiu-a, um dos meninos ficou com a mãe, e o outro com ele, criado como se adotivo fosse. Helena criou o outro com o marido, Plínio (Fernando Torres).

Filé do Viva, novelas demonstram erros de estratégia do canal

O pontapé inicial da história

A trama tem início quando os gêmeos têm 27 anos. Quim deseja voltar ao Brasil, de onde pretende conduzir seus negócios, após muito tempo em Portugal. Quinzinho e João Victor (Tony Ramos nos dois papéis) são homens feitos, de personalidades bastante distintas. Enquanto o primeiro, criado pela mãe, é extrovertido e um pouco inconsequente, o segundo, que passou a vida na Europa com o pai, é muito sério, formal e cuida dos negócios da família. Cada um deles tem uma irmã: Plínio e Helena tiveram Lia (Christiane Torloni); já João Victor tem a companhia da irmã Débora (Beth Goulart).

Para retaliar o marido, que ela não sabe ser o pai biológico de João Victor, Marta revela a ele já no primeiro capítulo que não é filho deles. O desnortear do rapaz se reflete no mesmo instante em seu irmão Quinzinho. No Rio de Janeiro, ele sofre um acidente de trânsito no exato momento da revelação. É quando conhece a jovem médica Lúcia (Natália do Valle), por quem se apaixona. Diversos reveses impedem os gêmeos de se encontrarem, até muito perto do último capítulo, quando após um blecaute eles enfim se veem.

A estreia de Manoel Carlos no horário nobre global

Manoel Carlos
Manoel Carlos (Reprodução/Globo)

Após algumas novelas para a faixa das 18h, então de tônica literária, Manoel Carlos estreou como autor titular do horário das 20h (hoje 21h) da Rede Globo. Anteriormente, ele havia colaborado com Gilberto Braga na escrita de Água Viva (1980). Sua intenção, conforme ele mesmo declarou à época, era fazer uma novela que agradasse a todo tipo de brasileiro. Parece que conseguiu. Criou aqui sua primeira Helena, que se consagraria em diversas outras histórias. E ofereceu com ela à atriz Lilian Lemmertz um grande momento na carreira.

Lilian Lemmertz e Fernando Torres como Helena e Plínio em Baila Comigo (Divulgação/Memória Globo)
Lilian Lemmertz e Fernando Torres como Helena e Plínio em Baila Comigo (Divulgação/Memória Globo)

O título pensado pelo autor era Quadrilha, em alusão ao poema homônimo de Carlos Drummond de Andrade. Todavia, o tema escolhido para a abertura, “Baila Comigo”, de Rita Lee, acabou batizando a história. Tratava-se de uma alusão ao ambiente da academia de Caio Fernandes (Carlos Zara), no qual parte da história era ambientada. Betty Faria foi capa da trilha sonora nacional, reforçando o título uma vez que sua personagem Joana era professora de dança. Curiosamente, a trilha internacional trouxe na capa os atores Reginaldo Faria e Natália do Valle, mas os dois não formavam par na ficção.

Curiosidades do elenco de Baila Comigo

Reginaldo Faria, aliás, era quem encabeçava os créditos de elenco de Baila Comigo, embora seu personagem Saulo não passasse nem perto de protagonizar o enredo. O ator reclamou pessoalmente sobre isso com Boni, vice-presidente de operações da emissora. No entanto, de nada adiantou, e apesar de seu desconforto com a situação seu nome veio antes do de Tony Ramos a novela toda.

Fernanda Montenegro como Sílvia em Baila Comigo (Divulgação)
Fernanda Montenegro como Sílvia em Baila Comigo (Divulgação)

A novela marcou a estreia dos atores Fernanda Montenegro, Fernando Torres e Lilian Lemmertz em novelas da Globo. Fernanda inicialmente seria Helena, mas a direção optou por trocá-la por Lilian, aliás, um acerto, em que pese o grande talento de Fernanda. Esta ganhou outra personagem, Sílvia Toledo, ex-mulher de Caio e mãe de Lúcia. Só que saiu antes do final de Baila Comigo, uma vez que foi escalada para a novela seguinte, Brilhante (1981/82), de Gilberto Braga.

Ressalte-se a presença de Fernando e seu Plínio, médico aposentado, homem sensível e amoroso. A competente interpretação do ator mudou os rumos do personagem, que morreria na primeira metade da novela. O marido de Helena emocionou o Brasil. Ainda, Baila Comigo foi o primeiro trabalho de Fernanda Torres, Cláudia Costa, Marcus Alvisi e Fábio Pillar.

Destaques de Baila Comigo e atores que se queixaram de seus personagens

Lídia Brondi como Mira em Baila Comigo (Divulgação)
Lídia Brondi como Mira em Baila Comigo (Divulgação)

Especialmente outros quatro personagens da novela merecem destaque. Lídia Brondi interpretou a jovem jornalista Mira, independente e petulante. A moça se torna o par de João Victor no decorrer da história.

Susana Vieira e Otávio Augusto viviam o casal Paula e Mauro, cuja relação era permeada pela ambição dela e o ciúme dele. Para arranjar meios de ascender, Paula buscava travar relações com homens bem postos, como Quim e Caio, por exemplo.

Tereza Rachel brilhou como uma mulher desagradável e mesquinha, Marta. Ela guarda semelhanças com algumas outras milionárias da obra do autor, como Branca Letícia (Susana Vieira) de Por Amor (1997/98). Orgulhosa e fútil, a mulher de Quim rendeu à atriz uma de grandes personagens na TV.

Vale a Pena Ver de Novo versus Canal Viva: por que não se deve esperar o mesmo das reprises dos dois

Alguns atores reclamaram dos rumos de seus personagens em Baila Comigo. Betty Faria telefonava para Manoel Carlos a fim de saber se Joana teria alguma função na novela. Ao passo que Cláudio Cavalcanti acabou prejudicado por mudanças no encaminhamento previsto. Seu personagem Guilherme, inicialmente de potencial, acabou não acontecendo como esperado. Susana Vieira também não curtiu muito sua Paula.

Milton Gonçalves e Beatriz Lyra como Otto e Letícia em Baila Comigo (Divulgação/Memória Globo)
Milton Gonçalves e Beatriz Lyra como Otto e Letícia em Baila Comigo (Divulgação/Memória Globo)

A atriz Beatriz Lyra interpretava a doceira Letícia, mãe de Mira e Caê (Lauro Corona). Seu casamento com Otto (Milton Gonçalves) demonstrava que uniões inter-raciais não apenas eram normais, como dignas de todo o respeito. Mesmo assim Beatriz foi hostilizada nas ruas após a exibição de uma simples cena de beijo do casal.

Últimos vídeos do Canal no YouTube