Neste 26 de abril de 2019, a TV Globo completa 54 anos no ar. A estreia ocorreu em 1965, e em poucos anos a emissora fundada pelo empresário de comunicação Roberto Marinho se firmou como a principal do Brasil. Para celebrar a data e homenagear o canal do “plim-plim”, hoje você poderá recordar (ou conhecer) quais foram os primeiros programas da Globo em cada gênero.

Dramaturgia: a primeira novela, a primeira série e a primeira minissérie da TV Globo

Já no dia de sua entrada no ar a TV Globo lançou sua primeira novela. Foi Ilusões Perdidas, escrita por Ênia Petri e dirigida por Líbero Miguel e Sérgio Britto. Uma curiosidade é que a novela foi gravada nos estúdios da TV Paulista, na época recém-adquirida por Roberto Marinho. O elenco era composto de nomes como Reginaldo Faria, Leila Diniz, Emiliano Queiroz e Norma Blum. Foram apenas 56 capítulos, a saber, exibidos de abril a julho de 1965.

Também em 1965 entrou no ar a primeira série com episódios semanais da TV Globo: 22-2000 – Cidade Aberta. O primeiro programa foi exibido em 27 de abril. A série tinha como personagem central era Márcio Moura (Jardel Filho), repórter policial de O Globo.

Já a primeira minissérie produzida pela TV Globo foi ao ar em 1982. Escrita por Aguinaldo Silva e Doc Comparato, Lampião e Maria Bonita tratava dos últimos dias de vida do cangaceiro Virgulino Ferreira da Silva (Nelson Xavier). A direção foi de Paulo Afonso Grisolli e Luiz Antônio Piá.

Jornalismo: as primeiras produções da emissora no gênero

Nada de Jornal Nacional, ou Jornal da Globo. Em 26 de abril de 1965 foi lançado o Teleglobo, que tinha duas edições diárias. Uma era exibida às 12h30 e outra às 19h. Exibido até setembro de 1966, o Teleglobo era apresentado por Hilton Gomes, Nathalia Timberg e Teixeira Heizer. No mesmo dia, às 23h30, foi ao ar a primeira edição de Se a Cidade Contasse, jornalístico centrado nos acontecimentos da capital do Rio de Janeiro e adjacências. Também merece destaque o Telessemana, lançado em maio de 1965 e exibido aos domingos. Em meia hora, eram rememorados os fatos importantes daquela semana, em formato de revista.

Variedades: as primeiras atrações do gênero na TV Globo

No dia do lançamento da TV Globo, dois programas de variedades estrearam. À tarde, Edna Savaget e Célia Biar comandaram às 14h o Sempre Mulher, e às 16h30 Paulo Monte apresentou Festa em Casa. Ambos ficavam 30 minutos no ar e tratavam de temas direcionados à mulher. Nenhum dos dois programas, a saber, foi além do próprio ano de 1965.

Para as crianças: o primeiro infantil, a primeira série infantojuvenil

Uni-Duni-Tê foi ao ar no final da manhã, já no dia da inauguração da TV Globo. Fernanda Barbosa Teixeira, a “Tia Fernanda”, contracenava com diversas crianças num cenário que reconstituía uma sala de aula. No mesmo dia, à tarde, foi ao ar o primeiro programa do Capitão Furacão, com Pietro Mário interpretando o velho lobo do mar que contava histórias e apresentava desenhos animados.

Talk show: o primeiro programa de entrevistas da TV Globo

Às 22h30 de 26 de abril de 1965 foi ao ar o Show da Noite, apresentado por Gláucio Gil, com musicais e entrevistas. O programa podia tanto durar uma hora quanto ir além disso, conforme a dinâmica de suas atrações e brincadeiras. Em 13 de agosto, o apresentador Gláucio Gil passou mal e faleceu no próprio estúdio, vítima de um ataque cardíaco. Também ator e dramaturgo, autor de textos como Toda Donzela Tem Um Pai que É Uma Fera, Gil estava com 33 anos. Paulo Roberto o substituiu, mas o Show da Noite foi diminuindo sua periodicidade até que saiu do ar de vez, ao final de 1965.

Humorismo: o início do humor na grade da TV Globo

Augusto César Vannucci e Renato Consorte apresentaram pegadinhas no programa que foi precursor do gênero na TV brasileira: Câmara Indiscreta. A estreia ocorreu em 1º de maio de 1965 e a exibição foi até agosto de 1967, com uma pausa entre o fim de 1965 e meados de 1966. Apesar do sucesso, o programa saiu do ar em pouco tempo em virtude de seus altos custos de produção.

Música: os primeiros programas musicais da emissora

No dia 26 de abril de 1965, às 20h, foi ao ar o primeiro espetáculo do Musicalíssima. Adaptações de óperas famosas, ou de sucessos da Broadway, constituíam as atrações do programa. A exibição era semanal e o programa ficou no ar cerca de três meses. Só para exemplificar, Suely Franco, Marília Pêra, Renato Consorte e Jayme Costa foram alguns dos artistas que participaram dos programas. Num formato mais tradicional, os dois primeiros programas do gênero na TV Globo foram ambos dirigidos pela dupla formada por Luiz Carlos Miele e Ronaldo Bôscoli. Dick e Betty 17 e Alô, Dolly tinham a participação de Betty Faria, no primeiro ao lado de Dick Farney. Estrearam no dia 29 de abril de 1965 e foram até agosto.

Reality show: a primeira investida da TV Globo no filão

Na virada dos anos 1990 para a década de 2000, o filão dos reality shows assolou a TV brasileira, e a TV Globo não ficou de fora. Em 23 de julho de 2000 estreou o dominical No Limite, exibido depois do Sai de Baixo. Baseado no programa norte-americano Survivor, reunia 12 pessoas que precisavam sobreviver em condições inóspitas, tendo de cumprir provas para comer determinados alimentos ou receber produtos de higiene e cartas de familiares. Entre 2000 e 2001 o programa, apresentado por Zeca Camargo, teve três temporadas.

Últimos vídeos do Canal no YouTube