Cid Moreira sobre novo formato do Jornal Nacional Tenho inveja e gostaria de estar lá
Cid Moreira e Sérgio Chapelin no JN (Divulgação)

Comemora-se em 11 de agosto o Dia da Televisão. E não, a escolha nada tem a ver com a primeira transmissão no Brasil. Por aqui a TV começou oficialmente em 18 de setembro de 1950, com a TV Tupi. Abaixo, 11 curiosidades da história da televisão, um veículo de comunicação que ainda mobiliza público e anunciantes, em virtude de seu alto grau de penetração.

O Dia da Televisão é 11 de agosto porque este é Dia de Santa Clara, padroeira do veículo.

A Inglaterra e a Alemanha reivindicam para si o pioneirismo nas transmissões de televisão. Mas os Estados Unidos, com a inauguração da NBC em 1939, são o país com televisão em atividade há mais tempo sem interrupções de ordem comercial, técnica ou política. Anteriormente, na década de 1920 houve demonstrações da tecnologia na Inglaterra e nos Estados Unidos.

A importância da representatividade na Globo (e na televisão em geral)

Em 1936 havia 2 mil aparelhos de TV em todo o mundo. Em 1948 essa marca atingiu 1 milhão. Conforme o veículo se firmou e evoluiu cada vez mais, em 1996 chegou-se a 1 bilhão de televisores.

A WBNT de Nova York exibiu aquele que é considerado o primeiro comercial da TV mundial. Um relógio da marca Bulova apareceu na tela durante 20 segundos. Isso enquanto eram apresentadas as notícias do tempo e a hora certa. Cada aparição custava à Bulova nove doláres. Só na Globo, hoje são veiculados cerca de 17 milhões de comerciais por ano.

Telespectadores de 47 países compuseram uma audiência de 700 milhões de pessoas em 20 de julho de 1969 na transmissão da chegada do homem à Lua.

Algumas curiosidades da TV no Brasil

Indiozinho símbolo da TV Tupi
Indiozinho símbolo da TV Tupi (reprodução)

A emissora de televisão em atividade há mais tempo no Brasil hoje, a saber, é a Record TV. Seu canal de São Paulo (o “Canal 7” para os pré-TV digital) entrou no ar em 27 de setembro de 1953. A pioneira Tupi de São Paulo ficou no ar por 29 anos e 10 meses, de setembro de 1950 a julho de 1980.

Nos primeiros anos, em virtude de ser necessário conquistar audiência e anunciantes, a televisão não podia se sustentar por muitas horas no ar. Em outras palavras, basicamente apenas no horário nobre é que havia transmissões. Primeiro os programas começaram a entrar no ar na parte da tarde, para só posteriormente todas as emissoras apostarem no período matutino.

Uma pequena confusão quanto ao pioneirismo das novelas

Sua vida me pertence era estrelada por Walter Forster e Vida Alves
Primeira telenovela brasileira, Sua vida me pertence era estrelada por Walter Forster e Vida Alves (Arquivo)

Antes de tudo, que se dirima uma controvérsia que por vezes ocorre e confunde os leitores: a primeira novela brasileira foi Sua Vida me Pertence, exibida entre fins de 1951 e princípio de 1952 pela Tupi. Escrita e protagonizada por Walter Forster, com Vida Alves como a mocinha, mostrou o primeiro beijo na boca da nossa TV, justamente entre eles. 2-5499 Ocupado, exibida em 1963 pela Excelsior, foi a primeira novela a ter capítulos apresentados diariamente. Até ali as exibições se limitavam a duas ou três vezes por semana.

Ao longo dos quase 24 anos em que esteve à frente do Jornal Nacional, Cid Moreira desejou “boa-noite” cerca de 9 mil vezes aos telespectadores.

TV Excelsior: 58 anos da emissora pioneira em visão empresarial no Brasil

Dos estados brasileiros, o Rio Grande do Norte foi o último a ter uma emissora de TV comercial. A TV Ponta Negra foi inaugurada apenas em 1987. No entanto, antes disso os espectadores potiguares podiam sintonizar emissoras de estados vizinhos.

O estabelecimento das redes nacionais de transmissão durante quase o tempo todo ocorreu apenas nos 1970. Antes disso, era comum que houvesse delay nas transmissões de capítulos de novelas, por exemplo. O que os espectadores cariocas viam nas novelas da Globo só era visto pelos paulistas dois dias depois. A diferença aumentava quanto maior fosse a distância geográfica da praça em relação à matriz. Outro expediente comum era um programa ser feito, ao vivo, em dois dias da semana, em duas praças diferentes.

Com efeito, registra-se aqui a valia do livro de Rixa, “Almanaque da TV” (Objetiva, 2000), para a obtenção de diversas curiosidades acima descritas.

Últimos vídeos do Canal no YouTube