Gugu Liberato comanda o Canta Comigo (Antonio Chahestian / Record TV)
Gugu Liberato comanda o Canta Comigo (Antonio Chahestian / Record TV)

Canta Comigo, competição musical apresentada por Gugu Liberato na Record TV, está na reta final. A disputa de cantores diante de um paredão com 100 jurados é divertida e apresenta bons talentos, além de ser extremamente bem produzida. No entanto, a audiência segue mediana, e a repercussão é bem baixa. Sendo assim, o programa repete o desempenho de seus antecessores nas noites de quarta-feira da emissora. Afinal, The Four, Top Chef e Dancing Brasil também passaram em brancas nuvens.

A direção da Record optou por exibir seus reality shows semanais às quartas-feiras para tentar atrair um público que foge do futebol, na Globo. Parecia uma estratégia à prova de erros. Mas, na prática, não funcionou como esperado. Afinal, The Four, Top Chef, Dancing Brasil e Canta Comigo se mantiveram num patamar mediano na audiência. E nenhuma das disputas mobilizou torcidas e nem virou mania.

Dos programas exibidos em 2019, The Four e Top Chef foram novidades. Porém, a emissora errou ao apostar em novos formatos que, na prática, foram mais do mesmo. The Four, de Xuxa Meneghel, tem um formato bastante interessante, mas se tornou mais um em meio a tantos talent shows de música. Enquanto isso, Top Chef também disputou a atenção com outros programas de comida. Ao mesmo tempo, a versão nacional não foi tão feliz. Felipe Bronze não demonstrou firmeza à frente da disputa, e a escolha por não priorizar tanto o confinamento dos participantes (que seria o seu diferencial) prejudicou a atração.

Museu de velhas novidades

Se no campo das novidades, os programas da Record TV ficaram devendo, o mesmo vale para os velhos conhecidos. Dancing Brasil, em sua quinta edição, mostrou que vem perdendo fôlego. Mesmo com a acertada decisão da emissora de exibir apenas uma temporada ao ano, a competição de dança de Xuxa Meneghel teve um de seus desempenhos mais fracos.

E Canta Comigo, em seu segundo ano, engrossa a lista. Assim como seus antecessores, o programa tem um bom formato, uma produção caprichada e rende bons momentos. Mas não empolga. A audiência subiu um pouco, comparado aos demais programas, mas não é nada espetacular. Ou seja, a emissora não está sabendo alinhar a sua grade de programação aos anseios de seu público. O canal investe em programas grandiosos, os entrega às suas maiores estrelas, mas não vê um retorno disso em termos de repercussão. Estes programas tinham tudo para se tornar uma grande fofoca, serem comentados. Mas não decolam.

Mesmo assim, o canal não pretende promover mudanças. Até aqui, as quatro atrações já estão com novas temporadas confirmadas para o ano que vem. Mas nada faz supor que a coisa vai melhorar em 2020. O que é uma pena. O espectador está dando um recado claro à Record: ele quer novidades. Porém, a emissora não se permite ousar, mantendo-se num inexplicável conservadorismo. O canal simplesmente não escuta seu público, e pode pagar caro por isso.

*As informações e opiniões expressas nessa crítica são de total responsabilidade de seu autor e podem ou não refletir a opinião deste veículo.

Últimos vídeos do Canal no YouTube