Poliana (Sophia Valverde) diante da Escola Ruth Goulart: alta audiência no SBT (Reprodução/SBT)
Poliana (Sophia Valverde) diante da Escola Ruth Goulart (Reprodução/SBT)

O SBT anunciou recentemente que As Aventuras de Poliana será esticada. A trama, que já nasceu com a perspectiva de ficar dois anos no ar, será ainda mais longa e só deve deixar a grade do canal em 2021. Para isso, Iris Abravanel criará uma “nova temporada” na novela, injetando novos personagens e enredos. Porém, mesmo com a promessa de mudanças, nada garante que a emissora seguirá colhendo os bons frutos que a novela já proporcionou. Há riscos na empreitada.

O maior dos riscos numa decisão destas é ignorar o fato de que a audiência das novelas infantis do SBT é cíclica. Os pequenos espectadores são fiéis às suas tramas, sem dúvidas. Mas eles crescem. Sendo assim, ao chegar à adolescência, o espectador mirim tende a perder o interesse na história. Ou seja, cada vez que o SBT lança uma nova novela infantil, agrega uma nova plateia de crianças. Ao mesmo tempo, outra leva de espectadores deixa o canal.

Sendo assim, ao prolongar As Aventuras de Poliana, o SBT vai oferecer ao público uma novela que deve ultrapassar os três anos de exibição. É um tempo que faz diferença nesta renovação de audiência. Há o risco de os novos espectadores não serem fisgados pela novela, já que não viram o seu início. E há o risco de o atual espectador perder, naturalmente, a vontade de assistir à novela. Afinal, os interesses mudam nesta fase da vida.

Isso sem falar que o elenco também cresce. Sophia Valverde, a protagonista, já está bem diferente de quando a novela começou. Poliana está entrando na adolescência. A novela, portanto, deverá trazer conflitos mais de acordo com a idade de sua heroína.

Desgaste

Além disso, Iris Abravanel terá que mostrar habilidade ao conceber uma segunda temporada de As Aventuras de Poliana. Afinal, a trama, atualmente, já apresenta sinais de desgaste. No ar há um ano e meio, praticamente de tudo já aconteceu com os personagens principais da obra.

Assim, a grande missão da autora é trazer conflitos mais adolescentes à Poliana, sem perder de vista o público infantil. Ou seja, a trama com os personagens mirins vai precisar de um chacoalhão. Impossível não é. Mas também não será uma tarefa fácil. Nestes anos todos como novelista, Iris Abravanel vai encarar o maior desafio de sua carreira.

*As informações e opiniões expressas nessa crítica são de total responsabilidade de seu autor e podem ou não refletir a opinião deste veículo.

Últimos vídeos do Canal no YouTube