Miguel (Paulo Betti) em Órfãos da Terra
Miguel (Paulo Betti) em Órfãos da Terra (Reprodução)

Paulo Betti vive em Órfãos da Terra o personagem Miguel Nasser. Casado há décadas com Rania (Eliane Giardini), ele é um comerciante que coloca tudo a perder de vez em quando, em virtude de seu vício em jogo. Inclusive o próprio casamento, enfraquecido a cada baque sofrido pela mulher, as filhas e os netos. Uma das filhas, Camila (Anaju Dorigon), teve participação determinante na última derrocada de Miguel, parte de um grande plano da ardilosa Dalila (Alice Wegmann).

Paulo Betti torna digno de compreensão e misericórdia um personagem que tinha tudo para despertar raiva

Miguel (Paulo Betti) e Camila (Anaju Dorigon), em Órfãos da Terra, na Globo
Miguel (Paulo Betti) e Camila (Anaju Dorigon), em Órfãos da Terra, na Globo (Reprodução)

A exemplo de Osmar Prado, cujo personagem Bóris em Órfãos da Terra poderia sem esforço ganhar a antipatia da audiência, mas fica longe disso graças ao bom trabalho do ator, Paulo Betti também tinha tudo para ser até mesmo odiado com seu Miguel. Com efeito, não fosse ele um jogador inveterado e muitos dos problemas da família seriam evitados. Só que aí é que entra a construção de uma figura que, se é ficcional, carrega em si características de pessoas reais. Duca Rachid e Thelma Guedes merecem os parabéns pela abordagem da temática do vício em jogo, feita com mão leve sem que isso a torne vazia.

Miguel foi “protagonista” da novela por algum tempo

Miguel chegou a ser praticamente “protagonista” de Órfãos da Terra. Isso algumas semanas antes da descoberta de que Basma era Dalila, em busca de sua vingança. Ele perdeu a loja e a casa da família, a exemplo do ocorrido anos antes e pelo que Rania passou com força e determinação. Em nome do amor pelo marido e da estabilidade familiar, a partir dela tudo se reergueu. Todavia, a colaboração de Camila ao plano de Dalila e Paul (Carmo Dalla Vecchia) jogou o pai da moça num covil de ladrões que o envolveram numa teia sedutora que acenava com dinheiro fácil. E a satisfação pela vitória no jogo. Comparável talvez ao que sentem os alcoólatras e os toxicômanos ante os objetos de seu vício.

Embora seja a “múmia” da casa, Miguel é valorizado pelo talento de Paulo Betti

Órfãos da Terra tem na família Nasser um ponto de importância, uma vez que esse núcleo integra a família da protagonista Laila (Júlia Dalavia). Foram Miguel e Rania quem abrigou a jovem e seus pais Elias (Marco Ricca) e Missade (Ana Cecília Costa) quando eles chegaram da Síria, no início da história. A saber, Rania e Missade são primas. Justamente esse elo familiar foi o que despertou a vontade de Dalila de destruir os Nasser, que não passaram de vítimas de uma situação da qual não têm culpa. Mesmo antes dos problemas sérios de Miguel com o jogo, a esposa já o chamava de “múmia”. Apelido contra o qual ele se manifestou, inclusive.

Personagem é avô postiço da responsável por sua desgraça

Nem a descoberta de que Rania é sua avó materna fez Dalila baixar o fogo contra a família de Miguel. Ele foi chantageado, pressionado e até apanhou de capangas. Paulo Betti teve com esses acontecimentos chances frequentes de exercitar sua tarimba cênica em sequências de sofrimento e humilhação. O personagem aparentemente sem importância esconde consigo uma grande carga dramática, e só atores da estatura de Paulo Betti abrilhantam cada Miguel que surge nos enredos televisivos.

Depois de dois momentos medianos, um papel que valoriza o ator

O trabalho anterior de Paulo Betti na televisão não lhe deu muitas oportunidades para maiores voos. Falamos do Haroldo de Rock Story (2016/17), de Maria Helena Nascimento. Alvo de uma tentativa de golpe da barriga por Marisa (Júlia Rabello), ele por pouco não perdeu o amor da esposa Gilda (Suzy Rêgo). Não era exatamente um personagem ruim. No entanto, também não pode ser considerado um marco na trajetória do ator. Ele vinha do maledicente jornalista Téo Pereira em Império (2014/15), de Aguinaldo Silva.

Ademais, não consideramos aqui a breve participação de Paulo Betti em O Sétimo Guardião (2018/19), também de Aguinaldo. Ao retomar-se o prefeito de Greenville, Ypiranga Pitiguary, personagem de A Indomada (1997), ficou uma impressão de que faltou algo que justificasse a volta do personagem. Bem como de sua esposa Scarlett (Luiza Tomé). As antologias em geral valorizam posteriormente os personagens que integram passagens muito marcantes, especialmente protagonistas e os antagonistas de destaque. Todavia, Paulo Betti mostra em Órfãos da Terra um trabalho a ser destacado. Justamente porque Miguel é um homem comum, dedicado à família, cuja fraqueza não é de caráter.

*As informações e opiniões expressas nessa crítica são de total responsabilidade de seu autor e podem ou não refletir a opinião deste veículo.

Últimos vídeos do Canal no YouTube