O Rico e Lázaro é exibida pela Univision nos Estados Unidos (Divulgação)
O Rico e Lázaro: reprise de novela bíblica reestreia com péssima audiência na Record TV (Divulgação)

Jezabel, atual trama a ocupar a faixa bíblica da Record TV, já está na reta final. A história assinada por Cristianne Fridman deve se despedir do horário nobre da emissora no próximo dia 13. Para substituí-la, o canal já tem outra trama bíblica na agulha. Mas não será Gênesis, como previsto anteriormente. A emissora vai engatar a reprise da novela O Rico e Lázaro, novela exibida em 2017. Ou seja, durou pouco a estratégia da emissora de exibir duas novelas inéditas ao mesmo tempo, já que Topíssima ocupa o horário das 19h45.

A intenção da emissora era exibir duas novelas inéditas à noite, uma não-bíblica seguida de uma história da Bíblia. A ideia começou a partir de Escrava Mãe, que abriu o horário das 19h45. A história da mãe da escrava Isaura foi bem e empolgou o canal, que concebeu Belaventura para substituí-la. No entanto, atrasos na produção medieval obrigaram a emissora a reprisar A Escrava Isaura antes.

Enquanto Belaventura estava no ar, a Record encomendou Topíssima para sucedê-la. Mas o insucesso da novela de Gustavo Reiz deve ter desanimado a emissora. Assim, a história de Cristianne Fridman foi suspensa. Deste modo, a faixa das 19h45 voltou a ser ocupada por reprises, com os repetecos de Os Dez Mandamentos e A Terra Prometida. Neste meio-tempo, Topíssima voltou à linha de produção e agora já está no ar, com índices de audiência satisfatórios e boa recepção da crítica.

Novamente, atrasos

Com Jezabel no horário nobre, parecia que a emissora, finalmente, tinha alinhado seus dois horários de novelas. Mas os atrasos na produção de Gênesis obrigaram a emissora a, novamente, recorrer a uma reprise. Com isso, ficou bem claro que a Record segue com dificuldades em organizar sua linha de produção na dramaturgia. Atrasos e adiamentos são constantes, expondo a dificuldade da emissora de manter uma estratégia de programação.

O Rico e Lázaro ganha nova chance

O Rico e Lázaro, em sua exibição original, não conseguiu manter o sucesso da faixa bíblica, com audiência inferior às suas antecessoras Os Dez Mandamentos e A Terra Prometida. Na época, a Record creditou a queda de audiência à saída de seu sinal da TV paga, oriunda daquele quiprocó envolvendo a Simba e as operadoras. Das três emissoras que formam a Simba, a Record foi a que mais perdeu audiência com o corte de sinal.

Sendo assim, com a reprise, O Rico e Lázaro terá a chance de ser exibida num contexto melhor. A Record, então, vai constatar se realmente a ausência na TV paga prejudicou a novela, ou se a queda de audiência já sinalizava um desgaste das produções bíblicas. O insucesso das novelas posteriores mostra que a temática apresenta, sim, sinais de cansaço.

*As informações e opiniões expressas nessa crítica são de total responsabilidade de seu autor e podem ou não refletir a opinião deste veículo.

Últimos vídeos do Canal no YouTube