Carolina (Marjorie Estiano) tenta salvar Evandro (Julio Andrade) em Sob Pressão
Carolina (Marjorie Estiano) tenta salvar Evandro (Julio Andrade) em Sob Pressão (Globo/Raquel Cunha).

O último episódio da terceira temporada de Sob Pressão, que a Globo exibiu nesta noite (25), deixou bem clara a intenção de encerrar a série. Foi mais um episódio cheio de ritmo, emoção e reviravoltas, que culminou num final feliz e, aparentemente, definitivo. No entanto, notícias dão conta de que a emissora voltou atrás e fará um quarto ano da série. Os roteiristas, então, terão um novo desafio para criarem novas tramas a partir do desfecho romântico exibido.

Mas, sem dúvidas, será um desafio que tirarão de letra. O que não faltou neste terceiro ano de Sob Pressão foram boas ideias, que fizeram da série o melhor produto televisivo nacional da atual safra. A trama de Jorge Furtado e Andrucha Waddington foi ainda mais fundo na questão da problemática saúde pública brasileira. No entanto, o grande acerto da terceira temporada foi o aprofundamento dos personagens e seus dramas pessoais.

Sob Pressão jogou ainda mais luz sobre os dramas de Evandro (Julio Andrade) e Carolina (Marjorie Estiano). Após um complicado relacionamento inicial, os médicos finalmente acertaram os ponteiros na relação. Ou quase. A discussão sobre ter ou não filhos, a gravidez de Carolina (e seu desfecho trágico) e a recaída de Evandro em seu vício foram alguns dos elementos que minaram o casamento dos protagonistas. Assim, os dois tiveram suas feridas expostas, lidando com uma realidade dramática. Uma realidade que foi ampliada dentro do cotidiano do Hospital São Tomé Apóstolo, que trouxe novos e impressionantes casos.

Felizes para sempre

O episódio final da terceira temporada de Sob Pressão resumiu bem o que foi toda a safra. Com maestria, o capítulo fez novas e contundentes colocações sobre o sistema médico, político e social do Brasil. Deste modo, houve espaço para denunciar a violência no trânsito e o perigo de se armar a população. Em tempos escuros como o atual, trata-se de uma discussão oportuna, pra não dizer urgente.

Além disso, o fim da temporada promoveu o reencontro entre Evandro e Carolina, desta vez atuando no Médicos Sem Fronteiras, numa região remota do país. Ou seja, Sob Pressão foi encerrada com uma mensagem otimista sobre o acesso da população menos assistida à saúde pública de qualidade. Foi uma ponta de esperança e, também, uma nova denúncia. Afinal, a falta de acesso à saúde é um problema sério do Brasil.

Elenco de primeira e episódios memoráveis

Sob Pressão também chamou a atenção pela qualidade de seu elenco. Marjorie Estiano e Julio Andrade já estão completamente familiarizados com seus protagonistas e ganharam ainda mais segurança em cena. Marjorie, aliás, melhorou a cada episódio, levando Carolina a níveis inimagináveis. Participações marcantes, como Drica Moraes (Vera), Joana Fomm (Madre Superiora) e Ana Flavia Cavalcanti (Diana) também merecem menção.

Além disso, Sob Pressão acerta com uma direção segura e inventiva. Neste contexto, o destaque foi o próprio Julio Andrade, que dirigiu o impactante episódio em plano-sequência. O tenso episódio, que culmina com o acidente que faz Carolina perder o bebê, foi uma das melhores coisas que a TV brasileira exibiu este ano. Direção de cena e de atores impecável, diante de um texto acima da média.

Por conta disso, é de se comemorar a decisão da emissora de prosseguir com Sob Pressão. A promessa é que a série retorne em 2021. Decisão acertadíssima, afinal, o que não faltam são histórias. E Sob Pressão ainda está no auge, com muita lenha para queimar.

*As informações e opiniões expressas nessa crítica são de total responsabilidade de seu autor e podem ou não refletir a opinião deste veículo.

Últimos vídeos do Canal no YouTube