Otaviano Costa comanda o Tá Brincando (Foto: Isabella Pinheiro/Gshow)
Otaviano Costa comanda o Tá Brincando (Foto: Isabella Pinheiro/Gshow)

A Globo sempre teve lenha para queimar. Por estar bem à frente da concorrência, a emissora se dava ao luxo de fazer apostas e experimentações. Mesmo que os resultados não fossem lá tão expressivos, tais experiências ainda a mantinham à frente e, portanto, elas eram continuadas. No entanto, isso vem mudando. O fim do Tá Brincando! e a consequente saída de Otaviano Costa da emissora mostra que o canal anda mais cauteloso em suas estratégias de programação.

Otaviano Costa deixou o Vídeo Show em meados do ano passado para realizar um antigo sonho de ter um programa só seu. Meses depois, entrou no ar o Tá Brincando!, um game show que envolvia uma disputa entre jovens e veteranos. Apesar da proposta simpática, o programa não demonstrou grande fôlego para uma curta temporada. Passados alguns episódios, o formato ficou um tanto cansativo. Mesmo assim, considerando os altos e baixos comuns do horário de exibição, havia a expectativa de que Tá Brincando! fosse renovado para um segundo ano.

Porém, segundo comunicado da Globo, não havia uma definição sobre a continuidade do projeto, daí a decisão do apresentador de deixar o canal. Ou seja, Tá Brincando! se tornou apenas mais uma dentre as tantas incertezas acerca do futuro da programação. Assim como, até aqui, também estão indefinidos os retornos de programas como Amor & Sexo e Os Melhores Anos das Nossas Vidas. Isso sem falar nos novos projetos de Fernanda Gentil e Angélica, cobertos de indefinições.

Programação

Por se tratar da Globo, normalmente bastante antecipada nas decisões acerca da grade de programação, tantas indefinições chamam a atenção. Fica claro que a emissora vem adotando uma nova política, no sentido de não mais queimar cartuchos. Ou seja, programas de resultados medianos a fracos podem estar a um passo do cadafalso. As extinções do Vídeo Show e Bem Estar também são evidentes movimentações neste sentido.

Assim, a direção da Globo deixa um recado claro: não há mais programas e nem artistas intocados. É um momento de renovação, de busca de novas ideias e de reorganização de prioridades. Ao que tudo indica, os tempos da lenha abundante ficaram para trás.

*As informações e opiniões expressas nessa crítica são de total responsabilidade de seu autor e podem ou não refletir a opinião deste veículo.

Últimos vídeos do Canal no YouTube