Regina Duarte
Helena (Regina Duarte) em Por Amor (Divulgação/ TV Globo)

Nos últimos dias, uma notícia tem movimentado os noveleiros nas redes sociais. Por Amor, novela de Manoel Carlos exibida em 1997/98, foi confirmada pela Rede Globo como a sucessora de Cordel Encantado no Vale a Pena Ver de Novo. A estreia está prevista para 29 de abril. A protagonista é Helena (Regina Duarte), que num ato extremo troca na maternidade o neto, morto, pelo filho vivo que acabara de dar à luz. No afã de proteger a filha Maria Eduarda (Gabriela Duarte), Helena entra em desgraça com o marido Atílio (Antonio Fagundes), que sofre muito a perda da criança.

Não era segredo para ninguém que a reprise da novela de Duca Rachid e Thelma Guedes, exibida em 2011 às 18h, duraria pouco. E vale destacar que essa retirada do ar com menos de quatro meses da estreia não significa baixa audiência. Ao contrário, Cordel Encantado vai muito bem para sua faixa de horário. Todavia, muita gente foi pega de surpresa pela volta de Por Amor em virtude de ter ocorrido uma reprise dela no Canal Viva em 2017. E de ter a mesma novela inaugurado esse mesmo canal, em 2010.

Se a intenção era apostar em algo “de sucesso garantido”, por que não recorrer a outras das dezenas de opções do acervo da emissora? E se o desejo é de apresentar algo mal saído do Viva, e mais antigo do que as atrações atuais desse canal pago do Grupo Globo, por que não Vale Tudo (1988)? A novela de Gilberto Braga, Aguinaldo Silva e Leonor Bassères parece cada vez mais atual e seu desempenho foi muito bom em termos de audiência e repercussão. A Viagem (1994), de Ivani Ribeiro, não tem Regina Duarte, mas tem Antonio Fagundes, se a questão envolve os protagonistas. Por que não Tieta (1989), em seus 30 anos?

As atrações do Viva em 2019, mais recentes do que Por Amor

Em fevereiro, o Canal Viva estreou duas novelas da “trinca” que cumprirá a temporada 2019. No dia 15, Porto dos Milagres (2001) assumiu a vaga que era de Vale Tudo. Posteriormente, no dia 28, Baila Comigo (1981), do mesmo Manoel Carlos, foi substituída por Terra Nostra (1999). E no próximo dia 25, O Cravo e a Rosa (2000) ocupará o horário que hoje é de A Indomada (1997), a antecessora de Por Amor na exibição original às 20h30.

Não será a primeira vez que a Globo recorre a uma história já exibida pelo Viva para ocupar o Vale a Pena Ver de Novo. O Rei do Gado (1996) e Anjo Mau (1997) passaram pelo mesmo, pouco depois de serem cartaz do canal pago, em 2011 e 2013, respectivamente. A primeira foi reaproveitada pela Globo em 2015 e a segunda pouco depois, em 2016, com apenas Caminho das Índias (2009) tendo sido reprisada entre elas. No entanto, em 2019 pela primeira vez a Globo reprisará uma trama mais antiga do que o usual na própria sessão. Bem como terá nos fins de tarde uma novela mais antiga do que todas as do Canal Viva exibidas na mesma época – Estrela-guia, que estreia em abril às 11h45min, é de 2001.

Outras campeãs de reprises da Globo

Desconsiderada uma versão de 90 minutos para o Festival 15 Anos, em 1980, Gabriela (1975) ultrapassa Por Amor em número de reprises pela Globo: três. Escrava Isaura (1976), por enquanto, é a campeã, com quatro reprises em rede e uma só para o Distrito Federal, em 1985.

Embora seja sabido que os critérios de reprises da Globo e do Viva são diferentes – ou, pelo menos, deveriam ser -, não deixa de chamar a atenção uma medida como essa da volta de Por Amor. Especialmente porque, uma vez mais, o público é privado de uma reprise “inédita”, ou seja, da volta de uma novela ainda não reprisada. Ou de uma história que tenha sido reprisada uma única vez há muito tempo.

Ao longo da década passada, em virtude de dificuldades para liberação de títulos, especialmente das 20h, a Globo recorreu a novos repetecos de novelas já reprisadas. Algumas bastante recentes como Chocolate Com Pimenta (2003) e Da Cor do Pecado (2004), reprisadas pela segunda vez em sequência em 2012. Aliás, ao longo de todo o ano de 2012 foram reapresentadas novelas já haviam sido exibidas à tarde anteriormente. O Viva e a Globo enxergam diferente o acervo – ou deveriam enxergar. Assim, embora provavelmente deva fazer sucesso, em sua quarta reprise em 21 anos Por Amor nem de longe é a melhor opção dentre tantas possíveis.

*As informações e opiniões expressas nessa crítica são de total responsabilidade de seu autor e podem ou não refletir a opinião deste veículo.

Últimos vídeos do Canal no YouTube