Barbara Borges e Giselle Itié em cena de Bela, a Feia (Reprodução: Instagram)
Barbara Borges e Giselle Itié em cena de Bela, a Feia (Reprodução: Instagram)

Desde 2015, à parte tentativas anteriores e inconstantes, a Record TV tem apresentado em suas tardes duas reprises de novelas. O que surgiu como tapa-buraco revelou-se uma boa solução em termos de números. Os repetecos garantem à emissora da Barra Funda a segunda colocação em audiência quase todo dia na faixa em que são exibidos – das 15h às 16h45min. Assim sendo, entregam bem para o policialesco Cidade Alerta, que entra na sequência.

Record finaliza mês de janeiro com a melhor audiência desde 2001

As primeiras reprises da nova fase das tardes da Record TV

Prova de Amor e Dona Xepa
Imagem da chamada das reprises de Prova de Amor e Dona Xepa à tarde, em 2015 (Reprodução/Record TV)

Em 2015, a Record TV decidiu acabar com o Programa da Tarde, apresentado por Ana Hickmann e Britto Jr. Com efeito, as duas horas livres na grade tinham que ser preenchidas com algo de apelo. E com o Vale a Pena Ver de Novo global deslocado para a faixa das 17h, nada melhor do que oferecer novelas a um público acostumado a ver o gênero. Em 27 de julho daquele ano, às 14h45min, estreou a reprise de Prova de Amor (2004/05), de Tiago Santiago. Em seguida, às 15h45, era a vez de Dona Xepa (2013), de Gustavo Reiz, inspirada na obra de Pedro Bloch. A intenção era reprisar Chamas da Vida (2008/09), mas na ocasião sua liberação para a faixa livre foi negada.

Em fins de outubro de 2015, os capítulos finais de Dona Xepa dividiram espaço justamente com os primeiros de Chamas da Vida. O primeiro horário ganharia nova atração apenas em maio de 2016. Foi quando Prova de Amor foi substituída por Amor e Intrigas (2007/08), de Gisele Joras. Quatro meses depois, teve início às 15h45min a reprise de Vidas em Jogo (2011/12), outra de Cristianne Fridman.

Uma pequena alteração no horário das novelas da tarde da Record TV

No mês de março de 2017, o início da faixa de reprises mudou das 14h45min para as 15h, a saber. Foi quando Ribeirão do Tempo (2010/11), de Marcílio Moraes, entrou na vaga que era deixada por Amor e Intrigas. Quem ganhou mais tempo foi a atração antecessora, o Balanço Geral, com Reinaldo Gottino e a “Hora da Venenosa” com Fabíola Reipert.

Juba (André Bankoff) em Bicho do Mato
Juba (André Bankoff) em Bicho do Mato (divulgação)

Em agosto de 2017, Vidas em Jogo terminou e em seu lugar entrou Bicho do Mato (2006/07), de Cristianne Fridman e Bosco Brasil. A novela era baseada num original de Chico de Assis e Renato Corrêa de Castro produzido pela Rede Globo em 1972 com o mesmo título. Às 15h, em janeiro de 2018 Luz do Sol (2007/08), de Ana Maria Moretzsohn, reestreou e ocupou o horário até novembro, quando Bela, a Feia (2009/10), de Gisele Joras, voltou às telas. A novela é baseada no original de Fernando Gaitán, Yo Soy Betty, La Fea, que roda o mundo desde os anos 1990. Às 15h45min, desde julho de 2018 está no ar Essas Mulheres (2005), de Marcílio Moraes e Rosane Lima, a partir de três romances de José de Alencar.

Audiência: Reprise de Essas Mulheres bota Record TV na vice-liderança

O que explica os bons números das reprises da Record TV?

Nenhuma das produções de cunho bíblico da emissora, a saber, ocupou qualquer um dos horários da tarde até aqui. Com efeito, isso se deve ao fato de que há uma terceira faixa de reprises. Esta, noturna, abriga a leva iniciada em 2015 com Os Dez Mandamentos, de Vivian de Oliveira. Estabilizada às 19h45min, a faixa de repetecos da noite foi lançada às 18h15min, em julho de 2016. No entanto, a tentativa de erguer a grade noturna com a reprise não deu certo de saída. Alguns meses depois, o horário foi alterado. Ao longo de um ano foram reprisadas as duas temporadas de Os Dez Mandamentos. E desde julho de 2018 A Terra Prometida, de Renato Modesto, ocupa o horário.

Os resultados de audiência são bastante expressivos. Apesar da disputa com o SBT, em geral com as novelas vespertinas a Record TV se sobressai. O curioso é que mesmo novelas já “batidas” da casa, anteriormente reprisadas, se saíram bem recentemente. Foi o caso de Prova de Amor e Bicho do Mato, que entre 2008 e 2009 já haviam retornado.

Oferecer opções para além das histórias bíblicas é fundamental

Uma boa hipótese para o êxito dessas reprises está justamente no teor das produções inéditas atuais da emissora. Há uma parcela do público que vê novelas fora da Globo, mas que não se interessa por histórias da Bíblia. Estes espectadores têm nas atrações vespertinas a oportunidade de ver tramas diferentes. Outra hipótese é a chance de rever tramas das quais se gostou. E que antes praticamente seria impossível acompanhar de novo. justamente pela inconstância da Record TV em relação às reprises de suas novelas.

Espera-se que A Escrava Isaura (2004/05), já reaproveitada em diversas ocasiões, não ocupe tão cedo o espaço que poderia ser de outra novela. Como Essas Mulheres, que agora enfim pode ser revista em toda a sua qualidade após uma reprise sua ter sido tirada em 2007. Em virtude de “comprometer as estratégias de audiência da emissora”, saiu do ar após menos de um mês na ocasião. Há boas opções, como Cidadão Brasileiro (2006), de Lauro César Muniz, e Pecado Mortal (2013/14), de Carlos Lombardi.

*As informações e opiniões expressas nessa crítica são de total responsabilidade de seu autor e podem ou não refletir a opinião deste veículo.