Sentados: Nenê (Marieta Severo), Lineu (Marco Nanini) e Bebel (Guta Stresser). De pé: Seu Floriano (Rogério Cardoso), Tuco (Lúcio Mauro Filho) e Agostinho (Pedro Cardoso) no Álbum da Grande Família
Sentados: Nenê (Marieta Severo), Lineu (Marco Nanini) e Bebel (Guta Stresser). De pé: Seu Floriano (Rogério Cardoso), Tuco (Lúcio Mauro Filho) e Agostinho (Pedro Cardoso) no Álbum da Grande Família

Para tapar o buraco deixado pelo Vídeo Show, que foi extinto às pressas, a Globo tratou de escalar o “tapa-buracos” O Álbum da Grande Família. A atração nada mais é que um repeteco das aventuras da família Silva, na comédia que fez muito sucesso entre 2001 e 2014 nas noites de quinta-feira. Assim, o canal líder de audiência apresenta duas reprises seguidas em suas tardes, já que O Álbum da Grande Família precede o clássico Vale a Pena Ver de Novo, que reapresenta a novela Cordel Encantado.

Além das reprises exibidas de segunda a sexta-feira, a Globo tem também uma faixa de reprises aos sábados. A Sessão Comédia foi criada em 2015, na ocasião em que o extinto Estrelas, de Angélica, mudou de horário e deixou uma lacuna na grade. Assim, foi criada a faixa que reapresenta humorísticos. Os Caras de Pau já foi exibido ali. Atualmente, Sai de Baixo é a atração do horário.

Leia também: Sucesso de reprises à tarde mostra que Record TV deve ir além da Bíblia

Três reprises na grade parece pouco, se comparado a outros canais abertos. O SBT e a Record TV, por exemplo, reprisam três novelas na programação diária. A emissora de Silvio Santos reapresenta Teresa, Carrossel e Cúmplices de um Resgate. Já a Record reexibe Bela, a Feia, Essas Mulheres e A Terra Prometida. No entanto, este número de espaço para reprises é uma novidade na programação da Globo. A emissora sempre afirmou que dá preferência a produtos inéditos em sua grade. Assim, este excesso de reprises demonstra que o canal tem encontrado dificuldades em emplacar novidades nestes horários.

Sai de Baixo

Neste contexto, o grande destaque é a reprise de Sai de Baixo. O humorístico foi exibido originalmente entre 1996 e 2002, ou seja, terminou há 17 anos. Mas, mesmo assim, tem um apelo que impressiona. Tanto que, quando foi relançado na Sessão Comédia, em 2017, era exibido apenas um episódio por sábado, e várias praças da Globo nem o exibia. Mas logo o espaço foi ampliado, com dois episódios em sequência, sendo que o segundo é exibido em rede nacional.

Dois anos depois da reestreia, o sucesso da reapresentação do programa continua. No último sábado (02), por exemplo, Sai de Baixo registrou índices de audiência superiores aos programas que vieram a seguir, o Tá Brincando e o Caldeirão do Huck. Ou seja, foi o programa mais visto das tardes de sábado da Globo.

Mais uma vez, fica exposta a dificuldade em se emplacar programas inéditos. Quando um programa feito há 20 anos tem mais público que as atrações que vêm na sequência, alguma coisa está bem errada.

Leia também: Desgastado, Bom Dia e Cia devia ampliar seu conteúdo

*As informações e opiniões expressas nessa crítica são de total responsabilidade de seu autor e podem ou não refletir a opinião deste veículo.