Logotipos das emissoras
2019 na TV: guerra de audiência deve ficar mais acirrada

2019 deve iniciar um novo ciclo na televisão brasileira. Será um tempo em que as principais emissoras abertas do país vão buscar se recolocar (ou se reafirmar) para se manterem relevantes diante do ranking de audiência. Sendo assim, a expectativa é que mudanças profundas atinjam as programações dos grandes canais, na tentativa de ampliar e consolidar seus respectivos públicos. Além, claro, de dar trabalho à concorrência.

Neste contexto, os canais terão um ano livre para criarem e investirem. Sem grandes eventos pela frente, como Eleições ou Copa do Mundo, as redes deverão mirar em novas atrações. Espera-se, então, o lançamento de novos programas e novas contratações. A programação ao vivo estará mais valorizada do que nunca. E qualquer passo em falso pode colocar tudo a perder. Como as mudanças de comportamento do público são cada vez mais evidentes, haverá pouco espaço para erros.

Globo

Por ser a maior emissora do país, a Globo é a mais afetada com estas mudanças. 2019, portanto, será um ano-chave para que a rede se reafirme na liderança. A emissora perdeu espaço, sobretudo no final do ano passado, expondo fragilidades em vários horários da programação. Por conta disso, espera-se mudanças profundas, sobretudo na grade diária.

A escalação de Mariano Boni para chefiar os programas de entretenimento com entrevistas sinaliza esta vontade de mudanças. O novo diretor assumiu, justamente, os horários mais frágeis da grade, que são as manhãs e tardes. Assim, transformações devem atingir programas como Mais Você, Bem EstarEncontro e, principalmente, o Vídeo Show. A chegada de Fernanda Gentil ao entretenimento também é um sinal de que estas mudanças ocorrerão.

A Globo também terá um desafio e tanto no campo das novelas. Já está se tornando comum a aposta em tramas que começam bem, mas perdem fôlego no meio do caminho. Com isso, o canal deu espaço para que a concorrência avançasse. Sendo assim, em 2019, o setor chefiado por Silvio de Abreu terá menos espaço para erros. A escalação de Walcyr Carrasco para o horário das nove deixa isso bem claro. Bom de Ibope, o autor tem a missão de resgatar o público da faixa.

Record TV

Empolgada com os bons resultados obtidos no final do ano passado, a Record TV virá com tudo em 2019. A emissora finalmente trará novos formatos para sua linha de shows, que andava um tanto quanto repetitiva. Programas como The Four, Troca de Esposas e Top Chef dividirão espaço com novas temporadas de Power Couple, Dancing Brasil e A Fazenda. Com isso, o canal pretende avançar sobre o Programa do Ratinho, do SBT, sua pedra no sapato. Além disso, o canal voltará a apostar em novelas não-bíblicas, com Topíssima, o que deve dar um respiro à sua teledramaturgia. Mas o Livro Sagrado seguirá inspirando, com Jezabel e Gênesis.

No entanto, a emissora deve ficar atenta à movimentação da concorrência. A Record está numa situação confortável com o Balanço Geral e o Cidade Alerta, mas serão justamente nestes horários os ataques dos demais canais. É preciso estratégia no sentido de manter a boa fase destes produtos.

SBT

Enquanto isso, o SBT deve mostrar que ainda está no jogo. Com poucas movimentações e investimentos em programação, o canal de Silvio Santos pode sair chamuscado nesta guerra entre Globo e Record. A seu favor, o canal tem programas e apresentadores consolidados. Mas achar que o jogo está ganho pode ser a grande fragilidade da emissora. É preciso um pouco mais de ousadia.

Band e RedeTV!

Depois de um 2018 com muitas estreias, mas poucos resultados, a Band precisa buscar dar a volta por cima. O principal desafio do canal é resgatar sua identidade. A intenção de voltar a investir em esportes é boa, tendo em vista que esta é sua real vocação. Mas ainda falta buscar um programa capaz de alavancar a grade e dar um merecido descanso ao MasterChef.

Já a RedeTV! deve mirar na execução de programas com potencial comercial. Isso porque sua principal fragilidade são os inúmeros horários ocupados por concessionários, que atravancam a programação. O ideal seria dar mais espaço ao jornalismo, que costuma alcançar bons resultados. Mas, por enquanto, a aposta da emissora será o Padre Alessandro Campos.