Gugu Liberato na apresentação do Power Couple Brasil
Gugu Liberato na apresentação do Power Couple Brasil (Divulgação/ Record TV)

Na última semana, o apresentador Gugu Liberato renovou seu contrato com a Record TV. E desta vez, um compromisso bem maior que os anteriores: três anos. Nos últimos anos, o acordo entre o artista e emissora era renovado a cada 12 meses. O atual e longo contrato, portanto, significa que tanto Gugu quanto a direção da Record estão satisfeitos com os resultados de Power Couple Brasil e Canta Comigo, formatos que o apresentador comandou em 2018.

Sem dúvidas, trata-se de uma reinvenção e tanto para Gugu. O apresentador é cria de Silvio Santos, direcionado para ser o sucessor do dono do SBT nos domingos. Sendo assim, foi moldado no mesmo auditório do “patrão”, fazendo sua carreira construída sobre os shows de variedades dominicais. E foi assim que Gugu se consolidou, sobretudo nos anos 1990, no auge do Domingo Legal. Porém, no início do século 21, o loiro perdeu força, principalmente depois da falsa entrevista com integrantes do PCC e a consequente crise de criatividade que se abateu sobre o dominical.

Leia também: Mudança na programação da tarde não é prioridade para a Globo atualmente

A partir daí, Gugu teve sobrevidas esporádicas. Acertos, como o quadro Construindo um Sonho, ajudaram o Domingo Legal a escapar de um fim melancólico. Mas os áureos tempos de liderança, quando dava trabalho a Fausto Silva, na Globo, ficaram para trás. O próprio Gugu deu declarações afirmando que sua relação com o SBT estava desgastada, em razão de uma série de fatos que esvaziaram seu programa. Com isso, ele atendeu ao chamado da Record para apresentar o Programa do Gugu em 2009.

Gugu na Record

Porém, a simples mudança de canal não refrescou a situação de Gugu. O Programa do Gugu, criado à imagem e semelhança do Domingo Legal, não atendeu às expectativas da direção da Record. Assim, saiu do ar três anos depois da estreia. Gugu, então, se recolheu, voltando à TV apenas em 2015. No retorno, abandonou de vez os domingos, apostando no horário nobre durante a semana.

Neste período, o programa Gugu teve altos e baixos. Exibido três vezes por semana em seu primeiro ano, a atração mesclou momentos relevantes com outros pouco inspirados. Chegou a dar boa audiência, mas foi perdendo fôlego. Nos anos seguintes, fixado às quartas-feiras, Gugu foi se perdendo em pautas pouco inspiradas. No final, era um programa de entrevistas especializado em famosos que andavam sumidos.

Leia também: Estreia do especial O Álbum da Grande Família derruba a audiência da Globo

Com um programa pouco relevante e fraco de resultados, Gugu resolveu atender ao chamado da Record para comandar reality shows. Assim, em 2018, ele ressurgiu mais à vontade no Power Couple Brasil. Com sua experiência em games, Gugu imprimiu credibilidade ao formato, que é bom. Depois, retornou com o Canta Comigo, um programa suntuoso e bem interessante. Deu certo.

Reinvenção

Sendo assim, depois de anos dando murro em ponta de faca, Gugu finalmente encontrou um rumo na Record. Sem dúvidas, foi uma decisão corajosa do apresentador, que se fez em formatos próprios que levavam sua assinatura. Ao abrir mão de um espaço personalizado para se aventurar em outros segmentos, Gugu mostrou ser um artista alinhado com os novos tempos. Porque, convenhamos, programas cujo apresentador é maior que as atrações que comanda estão cada vez mais raros. Se ele insistisse nisso, estaria fadado ao limbo televisivo.

Gugu é um exímio apresentador, com experiência de sobra para comandar estes e tantos outros formatos. E se mostrou esperto ao se adaptar à nova realidade do mercado audiovisual. Agora, ele deve seguir escolhendo com cuidado os formatos que comanda. E não seria nada mal se, além de formatos de fora, ele se aventurasse numa atração criada por aqui mesmo.

*As informações e opiniões expressas nessa crítica são de total responsabilidade de seu autor e podem ou não refletir a opinião deste veículo.

Últimos vídeos do Canal no YouTube