Bake Off Brasil
Bake Off Brasil (Divulgação)

No último sábado (15), o SBT exibiu a final da quarta temporada do Bake Off Brasil. Foi uma temporada diferente das demais, com mudanças estruturais que incluíram um maior foco na competição e um novo time de apresentador e jurados. E as mudanças se revelaram absolutamente positivas, já que a atual safra se revelou a melhor leva da história do programa.

A grande novidade desta temporada do Bake Off Brasil foi a popularização de sua linguagem. Ao assumir a apresentação, a jornalista Nadja Haddad se tornou uma espécie de “porta-voz” do espectador, aproximando o público da confeitaria. Carol Fiorentino, que apresentou a temporada anterior, era ótima e muito simpática. Mas já estava familiarizada com o ambiente da confeitaria. Já Nadja, não. Assim, ela foi “gente como a gente”, trazendo dúvidas e comentários que mais tinham a ver com o público leigo que forma a plateia do programa.

Leia também: Ricardo impressiona na competição e vence o Bake Off Brasil

Além disso, a seleção de participantes foi muito feliz. Ao optar por uma gama bastante diversificada de pessoas, a direção do Bake Off conseguiu um elenco heterogêneo que deu uma dinâmica interessante à competição. Deste modo, não apenas valorizou a culinária em si, mas também o jogo. Não chegou a causar grandes comoções, mas rendeu momentos de emoção, sem perder a proposta do programa de vista. A grande final, entre Ricardo e Nayane, foi, então, uma celebração da confeitaria.

Após início tenso, jurado acha o tom do Bake Off

Além da mudança na apresentação, o Bake Off Brasil também ganhou um novo jurado. Olivier Anquier, figurinha carimbada dos programas de culinária há anos, substituiu o irônico Fabrizio Fasano Jr. E o padeiro, conhecido por sua simpatia nos programas que comandou anteriormente, surgiu sisudo e bastante antipático. No primeiro episódio, distribuiu patadas desnecessárias aos participantes. Ou seja, claramente assumiu uma postura de carrasco, que não combinava com sua reputação.

Porém, ao longo do jogo, Olivier Anquier foi amenizando sua postura dura. Ele seguiu com avaliações tensas em vários momentos, mas também se mostrou mais compreensivo e humano. Melhorou muito. Com isso, formou uma dupla e tanto com Beca Milano.

Beca, aliás, foi personagem fundamental desta temporada. A jovem, que faz bolos incríveis no Fábrica de Casamentos, imprimiu doçura e análise técnica às avaliações. Com comentários sempre precisos sobre os pratos desenvolvidos pelos competidores, Beca conseguiu contribuir com a evolução de todos. Ou seja, ela se colocou como uma jurada disposta a ajudar, quase como uma professora lidando com pupilos. Isso sem falar que ela esbanja carisma.

Assim, esta conjunção de fatores positivos deu mais fôlego ao Bake Off Brasil. A competição de sobremesas do SBT, sem dúvidas, é o principal reality culinário em exibição na TV brasileira atualmente. Com todos os méritos.

Leia também: Marcos Mion e Nadja Pessoa são os grandes vencedores de A Fazenda 10

*As informações e opiniões expressas nessa crítica são de total responsabilidade de seu autor e podem ou não refletir a opinião deste veículo.

Conheça nosso canal no YouTube