Alê Costa, dono da Cacau Show, e Caroline Ribeiro, apresentadora do formato (Foto: Divulgação / Band)
Alê Costa, dono da Cacau Show, e Caroline Ribeiro, apresentadora do formato (Foto: Divulgação / Band)

Quase na surdina, a Band exibiu na noite de ontem (05) o primeiro episódio de seu mais novo reality show. 1 por Todos tem uma interessante proposta empresarial, no qual os participantes devem integrar um coletivo e trabalhar numa nova produção dentro de uma grande empresa. No entanto, como a empresa em questão é uma fábrica de chocolate, o que foi visto na estreia foi uma espécie de reedição do MasterChef ou do Bake Off.

Nesta estreia, a apresentadora Caroline Ribeiro falou sobre como as equipes de trabalho devem ser formadas. Entre os participantes, há profissionais de engenharia de produção, empreendedorismo, design, marketing e, claro, confeitaria. E foi justamente nesta última área que 1 por Todos focou no início. Os confeiteiros passaram por provas no qual tiveram que mostrar seus talentos individuais. Fabrizio Fasano, Mônica Burgos e Alê Costa, este último o fundador da empresa de chocolates, são os jurados.

Leia também: Matéria do programa Eliana dá spoiler de As Aventuras de Poliana

Assim, o que foi visto na maior parte do episódio foram os confeiteiros lidando com chocolate em variadas receitas. Além dos jurados fixos, o programa contou com a participação da confeiteira e apresentadora Carol Fiorentino. Ou seja, a presença de Carol e Fasano julgando guloseimas remeteu, de imediato, ao Bake Off Brasil, do SBT. Como se sabe, Carol e Fasano foram jurados das primeiras temporadas do reality. Mais adiante, Carol assumiu a apresentação. Mas, em 2018, os dois foram substituídos por Nadja Haddad e Olivier Anquier, respectivamente.

1 por Todos tem potencial

Ao dedicar a estreia aos profissionais da confeitaria, 1 por Todos não mostrou nada do que já não foi visto no Bake Off ou no próprio MasterChef, da Band. Ou seja, estrear mostrando desafios na cozinha pode não ter sido a melhor estratégia. Isso porque o episódio acabou soando mais do mesmo, tendo em vista as inúmeras competições do gênero atualmente em exibição.

No entanto, o programa não deve ficar só nisso. A proposta é que, nos próximos capítulos, os desafios envolvam as demais áreas da empresa. Assim, na prática, a atração é uma mistura entre os tradicionais realities de culinária com um espírito meio O Aprendiz. Algo promissor, se a linguagem adotada não ficar muito voltada a um nicho. Vamos ver como isso irá se desenvolver.

No mais, foi uma boa estreia. O programa tem bom ritmo, com um episódio mais enxuto, e não arrastado como o MasterChef. Carol Ribeiro cumpre bem sua função, e Alê Costa é bastante carismático e funciona bem no vídeo. Além disso, a Band conseguiu fazer do 1 por Todos uma grande ação de merchandising, mas que funciona muito bem como entretenimento. Um feliz casamento.

Leia também: Caldeirão do Huck e o assistencialismo dos programas de auditório

*As informações e opiniões expressas nessa crítica são de total responsabilidade de seu autor e podem ou não refletir a opinião deste veículo.