José Roberto Burnier
José Roberto Burnier (Globo/Ramon Vasconcelos)

Numa grande mudança em sua grade, a GloboNews aumentou consideravelmente o tempo de sua programação ao vivo. O lançamento do matinal GloboNews Em Ponto, das 6h às 9h, acompanhado da ampliação do Edição das 10h e do Estúdio I fizeram com que o canal passasse a valorizar mais o hard news e a análise das informações. Com isso, o canal de notícias da Globo segue a tendência cada vez mais comum da televisão brasileira, com o aumento do espaço da programação em tempo real.

Desde que entrou no ar, a GloboNews se caracterizou por uma grade que intercalava telejornais ao vivo com programas segmentados. Em seus primeiros anos, o jornal Em Cima da Hora era exibido de hora em hora, entre atrações de variedades. Mais adiante, a emissora reformou a grade, transformando o Em Cima da Hora no Jornal GloboNews, espalhado pela programação. Mas seguiu apostando em programas que fugiam do hard news, como o Painel, Arquivo N, GloboNews Literatura, entre tantos outros.

Leia também: Relembre a novela em que o protagonista foi “congelado” como em O Tempo Não Para


Porém, com a mudança implantada na semana passada, a GloboNews entra numa nova fase. Com diferentes telejornais ao vivo, o canal tem priorizado a informação ao vivo espalhada em jornais bem distintos entre si. GloboNews Em Ponto, Edição das 10h, Estúdio I, Edição das 16h, Edição das 18h, Em Pauta e Jornal das Dez possuem suas próprias características, o que ajuda a criar identificação com o público. Além disso, os jornais estão permitindo um maior aprofundamento da informação.

Mais jornais, mais análise

Com isso, a notícia ganha um caráter interpretativo. Por exemplo, no Em Ponto o âncora José Roberto Burnier conta com um grande time de comentaristas. O resultado é um jornal mais analítico, conversado, que oferece ao espectador algo além da notícia. Deste modo, a mudança, sem dúvidas, foi um ganho na grade do canal. Afinal, reprises foram substituídas por mais informação.

“Nova” GloboNews é tendência atual

Neste momento em que os serviços de vídeo sob demanda ganham cada vez mais espaço, não faltam questionamentos sobre o futuro da TV tradicional. E a mudança da GloboNews mostra bem um caminho: jornalismo ao vivo. Informação em tempo real é um tipo de produto que deve ser cada vez mais valorizado pelos canais. Isso porque dramaturgia e variedades já podem ser consumidos em qualquer horário, nas mais diversas plataformas, por meio do streaming.

Não é por acaso que o SBT apostou em jornalismo ao vivo em suas madrugadas com o SBT Notícias, e a Globo veio logo atrás com a ampliação do Hora 1. Como também não foi por acaso que a Globo ampliou o espaço do jornalismo matinal e exibe programas ao vivo em sequência até às 15 horas de segunda a sexta-feira. Ou seja, é por aí que a televisão deve caminhar.

Leia também: Entrevistas ao vivo evidenciam deficiência do atual Vídeo Show

*As informações e opiniões expressas nessa crítica são de total responsabilidade de seu autor e podem ou não refletir a opinião deste veículo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor coloque seu nome aqui