Ivan (Carol Duarte) de A Forca do Querer
Ivan (Carol Duarte) de A Força do Querer (Divulgação/TV Globo)

Em 2017 a Globo ficou em estado de graça com os ótimos resultados de suas novelas. Depois de muito errar no horário nobre, a emissora termina o ano com os excelentes índices de audiência de O Outro Lado do Paraíso, que sucedeu A Força do Querer, um dos maiores êxitos do canal dos últimos anos. Nos outros horários de novelas, mais sucessos. A rede acertou a mão.

O acerto começou à tarde com a re-reprise de Senhora do Destino. A trama de Aguinaldo Silva repetiu o sucesso de suas primeiras exibições, obteve bons índices de audiência para o horário e serviu como uma ótimo alavanca para a programação noturna. Em seguida, entrou Malhação: Viva a Diferença, uma das melhores temporadas da novelinha teen de todos os tempos. O excelente texto de Cao Hamburger deu à Malhação status de grandeza, com uma trama antenada na contemporaneidade, inteligente e muito moderna. Na reta final, Viva a Diferença deixará saudades.

No horário das seis, Novo Mundo agradou público e crítica com uma graciosa mistura de folhetim e História do Brasil. Alessandro Marson e Thereza Falcão fizeram uma excepcional estreia como novelistas titulares e divertiram o público com personagens simpáticos e inesquecíveis, como Leopoldina (Letícia Colin), Germana (Vivianne Pasmanter) e a impagável atriz Elvira Matamouros (Ingrid Guimarães), entre tantos outros.

Já Rock Story finalmente deu cores mais maduras ao horário das sete, ultimamente tomado por comédias rasas e infantiloides. A trama de Maria Helena Nascimento surpreendeu pela maturidade do texto, pelos personagens tridimensionais e pela boa dose de drama injetada num horário mais acostumado ao humor rasgado. Sua substituta, Pega Pega, resgatou o humor infantil do horário e a crítica torceu o nariz para a história de Claudia Souto, outra estreante. Mas a audiência alcançou níveis surpreendentes, mostrando que o público aprovou a trama.

E às nove, depois de muitos insucessos enfileirados, a emissora finalmente acertou com A Força do Querer, de Gloria Perez. A veterana novelista ofereceu uma trama deliciosa, protagonizada por mulheres interessantes e fortes, com muitas tramas simpáticas e reviravoltas saborosas. Público e crítica aprovaram a saga de Bibi Perigosa (Juliana Paes), Jeiza (Paolla Oliveira) e Ritinha (Isis Valverde). E a autora conseguiu o feito de tratar de temas espinhosos, como a transexualidade, e conquistar o público com a bela saga de Ivana/Ivan (Carol Duarte). A Força do Querer é um êxito incontestável e ficou para a história.

Sua substituta, O Outro Lado do Paraíso, já é mais controversa, mas não decepciona a direção da emissora. Walcyr Carrasco, habilidoso na arte de oferecer ao público o que ele quer, já impressiona com os altos índices de audiência que sua trama conquista ainda na reta inicial. Ou seja, em 2017, a Globo mostrou aos incrédulos que novela ainda é um produto relevante, e que ainda conta com o carinho e a fidelidade do espectador. Sem dúvidas, foi um ano de muitos acertos.

SBT 2017: emissora dispensa veteranos e aumenta espaço da família Abravanel

*As informações e opiniões expressas nessa crítica são de total responsabilidade de seu autor e podem ou não refletir a opinião deste veículo.

Últimos vídeos do Canal no YouTube