Angélica volta a ser ela mesma no Vídeo Game

Angélica
Angélica grava temporada especial do Video Game (Divulgação/ TV Globo)

De volta ao Vídeo Show numa temporada especial, o quadro Vídeo Game reestreou ontem (06) sem novidades. Quatro convidados famosos (Fernanda Souza, Thiaguinho, Mariana Santos e Camila Queiroz) passarão a semana participando de jogos, comandados por Angélica, que envolvem televisão e a programação da Globo. No primeiro dia, o jogo Telinha Direta, que traz perguntas temáticas sobre os programas da emissora, foi a grande atração. Foi este jogo que lançou o quadro, em dezembro de 2001, com a participação de Reynaldo Gianecchini e Claudia Jimenez.

Se o Vídeo Game voltou exatamente igual, isso não quer dizer que não foi um bom retorno. Carente de boas atrações há tempos, o Vídeo Show vem sobrevivendo de boas ideias pontuais, como os quados meu Vídeo É um Show e Memória Nacional. Vídeo Game, portanto, veio para somar num programa que precisa de um sacolejo. É um bom programa para as tardes, que diverte e convida o espectador a brincar e relembrar a história da TV. Um quadro que tem tudo a ver com a proposta do Vídeo Show.

Além disso, o quadro tem o trunfo de devolver um auditório para Angélica. Como já dito aqui anteriormente, a apresentadora é, antes de mais nada, uma grande animadora de auditório. Angélica se torna outra artista diante de uma plateia, muito mais iluminada, dinâmica e cheia de vida. Ela, como ninguém, tem o domínio do palco, e, além disso, sabe comandar game shows como poucas, imprimindo ritmo e emoção à disputa. Neste retorno, apareceu tão à vontade que nem parecia que o Vídeo Game havia ficado tanto tempo fora do ar.


Nestes seis anos que afastam o final do Vídeo Game e seu retorno, Angélica ficou sem um auditório à frente do Estrelas. Um programa que ela sempre tocou com competência, mas que nunca teve exatamente o seu perfil. Já o Vídeo Game tem tudo a ver com ela. Ou seja, este retorno, mesmo que seja apenas uma temporada especial, serve para relembrar ao público quem Angélica é, de fato, como artista de televisão, nascida e criada diante das câmeras. Sendo assim, fica evidente que o tal novo projeto para a loira, prometido para estrear logo que o Estrelas chegar ao fim (no meio do ano que vem), precisa explorar o lado animadora de Angélica.

Enquanto isso não acontece, vale a pena relembrar o Vídeo Game nesta temporada especial. O game ficou no ar por dez anos, tornando-se o mais longevo game show da história da Globo, e não foi à toa. Faz parte da história da televisão brasileira, e relembrá-lo será sempre uma satisfação.

Mesmo com estreia do Vídeo Game, Vídeo Show perde mais uma vez para A Hora da Venenosa

Divertido, Ding Dong se torna imprescindível no Domingão do Faustão

*As informações e opiniões expressas nessa crítica são de total responsabilidade de seu autor e podem ou não refletir a opinião deste veículo.