Emílio Surita é o apresentador do Pânico na Band
Emílio Surita é o apresentador do Pânico na Band (Divulgação/Band)

Ontem (23), o jornalista Flavio Ricco, do UOL, veio com uma notícia bombástica: este será o último ano do Pânico na Band. Segundo o colunista, a direção da Band já teria tomado esta decisão, embora o canal não tenha se pronunciado ainda a este respeito. No entanto, tal fato não seria nenhum absurdo, já que o Pânico anda mal das pernas há tempos.

A transferência de Emílio Surita e trupe de humoristas da RedeTV! para a Band, em 2012, deu sobrevida ao humorístico, que já não ia bem em seu canal de origem. Antes um programa que gerava burburinho, ditava moda e se tornava o assunto das segundas-feiras, Pânico não conseguiu se reinventar em seus anos. A atração caiu no gosto popular ao trazer uma proposta de desmistificação do mundo glamoroso das celebridades, com entrevistas inusitadas, brincadeiras com artistas nas portas das festas e ácidas críticas. Depois, fez rir com o lançamento de novos personagens e com o talento de transformar “populares” em personagens peculiares. Isso sem falar no talento de seu elenco, com Carioca, Ceará, Evandro Santo, Eduardo Sterblich e companhia mandando ver.

Internautas comemoram provável fim do Pânico na Band nas redes sociais

Mas, passado este tempo, a proposta do Pânico foi perdendo força. O formato até então inusitado e inventivo tornou-se repetitivo e cansativo. E as tentativas de reinventá-lo se revelaram novas versões de mais do mesmo. Neste contexto, a mudança para a Band foi, apenas, uma injeção de ânimo provisória, ao estarem numa casa com um teto de audiência um pouco maior e uma estrutura mais generosa. Por isso mesmo, no início, o Pânico na Band bombou. Mas, passada a euforia da novidade, Pânico caiu novamente no marasmo que já vinha atingindo-o.

Para piorar, nestes anos de Band, o programa se viu num processo de esvaziamento criativo. Pérolas de seu elenco principal acabaram deixando o humorístico, e os que chegaram depois não se mostraram grandes substitutos. No último ano, o programa trocou de diretor e prometeu uma grande reformulação total em seu elenco, mas nem isso serviu para que o Pânico na Band voltasse a ser relevante. Hoje, a audiência até está boa para os padrões da emissora, mas bem abaixo do que já foi. Além disso, o programa, embora fature bem, é também muito custoso. Neste momento em que a Band anda mergulhada numa crise e investindo bem pouco em programação, a decisão de encerrar o Pânico parece bastante coerente.

Agora é aguardar o comunicado oficial, mas, independente do que acontecerá, fato é que o Pânico na Band, que já ditou moda e influenciou muita gente nestes anos todos no ar, já não faz muito sentido nos dias de hoje. Caso permaneçam na Band ou mudem de canal, terão que fazer um esforço ainda maior para conseguir retomar a fase áurea.

Sem surpresas, O Outro Lado do Paraíso estreia com belas imagens e boas atuações

*As informações e opiniões expressas nessa crítica são de total responsabilidade de seu autor e podem ou não refletir a opinião deste veículo.

Últimos vídeos do Canal no YouTube