Nova proposta pode dar uma “injeção de ânimo” em A Fazenda

Roberto Justus em A Fazenda - Nova Chance
Roberto Justus em A Fazenda - Nova Chance (Reprodução)

Na noite de ontem (12), após um hiato de um ano, a Record lançou nova temporada de A Fazenda. Agora chamada de A Fazenda – Nova Chance, a temporada vem com a proposta de reunir ex-participantes de outros reality shows. Ou seja, numa nova fazenda, o programa proporcionará a convivência de ex-BBB’s, ex-MasterChef, ex-Power Couple e, claro, ex-Fazenda, entre outros.

Sem dúvidas, uma estratégia bem interessante e que pode dar um novo fôlego à atração, que andava meio em baixa em suas últimas edições. Com este formato, A Fazenda tem a chance de “ressuscitar” personagens significativos de outros realities (leia-se “causadores de polêmicas”), o que deve proporcionar os conflitos que fazem este tipo de programa sobreviver. Além disso, resolve um problema de cast para a direção do programa, tendo em vista que o elenco de “subcelebridades” vinha ficando cada vez mais escasso. Na nova proposta, A Fazenda pode repetir figurinhas sem nenhum constrangimento.

Na estreia, nada de novo foi visto. Foi conhecido o elenco, formado por Marcos Harter (BBB), Flávia Viana (BBB), Rita Cadilac (A Fazenda), Ana Paula Minerato (A Fazenda), Yuri Fernandes (BBB), Monique Amin (BBB), Matheus Lisboa (BBB), Aritana Maroni (MasterChef), Fábio Arruda (A Fazenda), Conrado (Power Couple), Adriana Bombom (A Fazenda), Marcelo Ieié (Power Couple), Nahim (Aprendiz Celebridades), Monick Camargo (A Casa), Nicole Bahls (A Fazenda) e Dinei (A Fazenda). Os participantes conheceram a nova sede da fazenda e as primeiras regras.


Ou seja, um time escolhido a dedo para “causar”, pois boa parte deles teve passagens marcantes pelos seus respectivos realities, como Marcos, Yuri, Aritana e Nicole. A nova sede realmente ficou muito mais bonita que a anterior, inclusive com alguns ambientes que lembram muito a casa do Big Brother. Roberto Justus segue como apresentador do reality e continua bastante desconfortável em cena. Justus não é bom em improvisar e não tem nenhuma naturalidade para ler os textos enormes do teleprompter.

O que também não ajuda muito é a falta de planejamento da emissora, que avisou que exibirá os melhores momentos do dia na Fazenda dentro do programa Gugu, às quartas-feiras, enquanto a formação da roça será às terças-feiras somente até o fim do Dancing Brasil e, depois, muda para a segunda-feira. São estratégias (ou falta delas) de programação que não beneficiam o espectador, e nem colaboram no sentido de formar um hábito na plateia. Complicado.

Maria Fernanda Cândido vive ótimo momento em A Força do Querer

*As informações e opiniões expressas nessa crítica são de total responsabilidade de seu autor e podem ou não refletir a opinião deste veículo.