Band erra com reprise de Mil e Uma Noites

Novela Mil e Uma Noites
Novela Mil e Uma Noites (Divulgação)

A Band tem uma história de idas e vindas com a teledramaturgia. Seja em produções próprias ou estrangeiras, o canal já tentou várias vezes consolidar uma faixa de novelas, traçando estratégias que, por uma série de motivos, acabava abandonando depois. Curiosamente, a emissora conseguiu consolidar uma faixa de novelas recentemente, ao apostar em produções turcas, que não tinham espaço na TV brasileira anteriormente.

Em 2015, a Band abriu a faixa das 20h20 para a exibição da novela turca Mil e Uma Noites. A aposta se dava em razão do grande sucesso que esta produção alcançou pelo mundo. Afinal, se trata da primeira produção de teledramaturgia da Turquia a romper fronteiras, sendo exibida no Leste Europeu e Oriente Médio, e chegando ao horário nobre do Chile, Colômbia, Argentina, Uruguai e Peru, sempre com bons índices de audiência. No Brasil, Mil e Uma Noites alcançava médias entre 3 e 4 pontos no Ibope. Parece pouco, mas eram índices bastante comemorados pela Band, já que a série Glee, que ocupava o horário anteriormente, ficava no 1 ponto. Ou seja, a novela mais do que triplicou a audiência do horário.

Mil e Uma Noites é uma espécie de atualização contemporânea da clássica saga da contadora de histórias Sherazade. Aqui, Sherazade Evliyaoğlu é viúva e mãe de um menino de cinco anos chamado Kaan, que sofre de leucemia e precisa urgentemente de dinheiro para um transplante de medula. Para salvá-lo, Sherazade pede ajuda a seu chefe, Onur, que se compromete a ajudá-la, desde que ela passe uma noite com ele. O sucesso da novela não é por acaso: trata-se de uma produção bastante caprichada, com uma história envolvente e cheia de nuances.

E a Band, acertadamente, continuou investindo no filão. Depois de Mil e Uma Noites, vieram outras tramas turcas, como Fatmagul, Sila – Prisioneira do Amor, e o atual cartaz, Ezel. Ou seja, a emissora, finalmente, conseguiu manter uma tradição, sendo o único canal aberto brasileiro a exibir tramas da Turquia e, ainda, manteve todas as tramas no mesmo horário, exibidas em sequência. A audiência pouco oscilou de uma para a outra, mostrando que, com tal estratégia, a Band finalmente consolidava uma faixa de novelas. Num momento em que o canal sofre com poucas produções e horários alugados, foi um feito e tanto!

Agora, com Ezel em seus últimos capítulos, a emissora anuncia a reprise de Mil e Uma Noites para ocupar o horário a partir do dia 19. Com isso, joga por terra todo o bom trabalho desenvolvido nestes dois anos no horário das 20h20. O ideal seria seguir mantendo a temperatura da faixa, trazendo novas tramas ao seu público. Ao apostar numa reprise, a emissora interrompe um hábito que estava sendo criado e regride em sua estratégia de programação. Pode até dar bom resultado, mas não deixa de ser frustrante para quem começava a acompanhar novelas turcas e ansiava por uma nova produção.

Reprise de Sai de Baixo “salva” as tardes de sábado da TV aberta

*As informações e opiniões expressas nessa crítica são de total responsabilidade de seu autor e podem ou não refletir a opinião deste veículo.