Silvia Abravanel apresenta o Bom Dia e Cia, no SBT (divulgação)

Silvia Abravanel, apresentadora do programa infantil Bom Dia e Cia, do SBT (e filha número dois de Silvio Santos), está novamente afastada da atração em razão de problemas de saúde. Por isso, desde a última sexta-feira (18), o programa está sendo exibido sem apresentação, apenas com desenhos animados. Desta vez, Silvia não foi substituída pela irmã Rebeca Abravanel (filha número cinco). E, segundo o site Notícias da TV, a atração foi muito bem no Ibope no primeiro dia sem apresentadora, cravando oito pontos de audiência. O bom resultado leva à velha pergunta de sempre: afinal, o Bom Dia e Cia precisa mesmo de uma apresentadora?

Vale lembrar que os desenhos animados sempre foram a principal atração do Bom Dia e Cia desde a estreia do programa, em 1993, quando era apresentado por Eliana. A loira até tinha um tempo de arte no vídeo maior do que Silvia tem hoje, mas, mesmo assim, os desenhos ocupavam a maior parte da atração. Passaram por ali, depois, Jackeline Petkovic, Jéssica & Kauê, Yudi & Priscila, Patati Patatá, Bozo & Vovó Mafalda, Maísa Silva, Jean Paulo Campos, Ana Vitória e, mais recentemente, Matheus Ueta & Ana Júlia, todos sempre ocupando menos espaço que os desenhos.

Não que a ancoragem da atração não fosse importante. Eliana e Jackeline, nos áureos tempos, ocupavam seus espaços com quadros educativos que criaram um vínculo com o espectador. Depois que Jacky saiu, em 2003, a apresentação do Bom Dia e Cia, realmente, ficou mais irrelevante. Na verdade, quando Jackeline deixou o programa, o SBT cogitava fazer do Bom Dia uma simples faixa de desenhos, sem apresentador, para baratear os custos. Isso não aconteceu em razão do departamento comercial, que precisava da figura de um âncora para promover ações de merchandising. Entretanto, hoje em dia, já não é mais permitido fazer publicidade dentro dos programas infantis. Ou seja, a justificativa comercial já não se encaixa mais aqui.

Atualmente, ter um apresentador à frente do Bom Dia e Cia só se justificaria se houvesse um conteúdo verdadeiramente interessante, como nos tempos de Eliana e Jackeline, ou seja, algo que acrescentasse ao programa. Mas, desde 2007, a única atração do Bom Dia e Cia, além dos desenhos, são os jogos por telefone. Que, convenhamos, não são lá essas coisas. Uma pena que não exista, hoje, a preocupação em oferecer um conteúdo melhor, de qualidade, além dos desenhos animados. Do jeito que está hoje, os quadros apresentados por Silvia mais parecem interrupções desnecessárias aos desenhos.

Os Dias Eram Assim erra em estratégia para elevar a audiência

*As informações e opiniões expressas nessa crítica são de total responsabilidade de seu autor e podem ou não refletir a opinião deste veículo.

Conheça nosso canal no YouTube