Menosprezado pela Globo, Antonio Calmon deve ter o mesmo destino de Lauro César Muniz

Antônio Calmon
Antônio Calmon (Divulgação)

Em meados do ano passado, chamou atenção a notícia de que, finalmente, após quase dez anos longe das novelas, Antonio Calmon assinaria um folhetim, mesmo que em parceria.

Sem emplacar uma trama desde 2008 – Três Irmãs -, o novelista desenvolveria Barba Azul, prevista para 2018. O problema é que a direção de dramaturgia da Globo, leia-se Silvio de Abreu, abortou o projeto.

Não é novidade, atualmente, a emissora carioca trabalhar com longas filas de espera para as faixas das 18h, 19h, 21h e 23h. Porém, no meio do percurso, foram muitos os cancelamentos, como o de O Homem Errado, que marcaria a estreia de Thelma Guedes e Duca Rachid às 21h30.


Em 2016, inclusive, os responsáveis pelo setor tiraram a autora Marcia Prates de Liberdade, Liberdade, com as gravações da obra perto do início. Para seu lugar, foi escalado Mário Teixeira. Apesar do contratempo, a produção foi sucesso de crítica e audiência.

O mesmo não é possível dizer sobre Três Irmãs, que não conquistou o gosto popular e recebeu comentários negativos ao longo de sua exibição. Depois, Calmon ainda emplacou Na Forma da Lei (2010), série que somente é lembrada como o último trabalho de Ana Paula Arósio na TV brasileira.

A continuar desse jeito, Antonio Calmon deve ficar sem contrato com a Globo, assim como ocorreu com Carlos Lombardi, que acabou assinando com a Record e fracassou com Pecado Mortal (2013).

Cabe lembrar, antes de mudar de canal, Lombardi teve a sinopse de João ao Cubo rejeitada pela rede da família Marinho. A história trataria sobre viagens no tempo a bordo de um trem.

Atualmente, Carlos não tem projeto em vista na Record, que interrompeu as contratações de novelistas após se firmar com atrações bíblicas. Da mesma forma, o SBT está focado em enredos infantis.

Ou seja, caso acabe dispensado pela Globo, o destino de Antonio Calmon pode ser continuar afastado dos holofotes.

Neste caso, faz mais sentido a comparação com Lauro César Muniz: afastado da Record, assinou com a Globo por apenas três meses, e depois a emissora desistiu de levar ao ar um folhetim assinado por ele. No momento, existem mais dúvidas que certezas sobre seu futuro na TV.