Autores se perdem e A Lei do Amor vira uma nova Babilônia

Letícia (Isabela Santoni) de A Lei do Amor
Letícia (Isabella Santoni) em A Lei do Amor (Divulgação)

A Globo não aprendeu com os erros de Babilônia e, mais uma vez, está destruindo uma novela por conta do desespero por torná-la atraente para o público.

Assim como ocorreu com a obra de Gilberto Braga, Ricardo Linhares e João Ximenes Braga, as críticas promovidas pelo público durante o grupo de discussão de A Lei do Amor culminaram em uma série de modificações, com direito a Letícia (Isabella Santoni) praticamente se transformando em outra pessoa.

Como se não bastasse Alice Wegmann, que retorna em breve se apresentando como Marina, e não Isabela, Letícia deixou de ser, do dia para a noite, uma das personagens mais chatas da história das telenovelas.


Do nada, ela rompeu com Tião (José Mayer) – ela demonstrava ser cega diante das coisas que o padrasto fazia em sua frente e começou a enxergar o lado ruim dele muito rapidamente -, se aproximou de Helô (Claudia Abreu) e ainda virou íntima de Pedro (Reynaldo Gianecchini), com direito a chama-lo de pai depois de lhe falar uma infinidade de desaforos.

Mas não para por aí, pois até poucos dias a “filhinha de papai” que não sabia nem se voltaria à faculdade, se transformou numa das principais executivas da tecelagem da família Leitão, surpreendendo até os outros personagens com sua desenvoltura e gerando ódio em Ciro (Thiago Lacerda). De brinde, as recaídas por causa da leucemia ficaram no passado e ninguém mais menciona a doença.

Tudo isso para fazer com que ela e Tiago (Humberto Carrão) reatassem. Mas como acreditar em uma história sem pé nem cabeça? Maria Adelaide Amaral e Vincent Villari optaram por esconder Isabela, que formava um casal querido do público ao lado de Tiago, para apostar em uma trama para Letícia que é basicamente uma “viajada na maionese”.

As coisas nesse folhetim acontecem de forma tão grotesca, que dias atrás Helô conseguiu alcançar Magnólia (Vera Holtz) em um shopping no qual a vilã já havia estacionado o seu carro, e ainda a seguiu usando um Táxi. O protagonista do seriado The Flash certamente teria inveja de tamanha habilidade.

Realmente, A Lei do Amor tem muitos problemas. O elenco é numeroso demais, ter uma primeira fase foi algo desnecessário pois mais confundiu do que ajudou e, pra completar, os novelistas ainda demoraram para apresentar a história dos principais vilões.

Da mesma forma, conforme foi dito nesse espaço anteriormente, Maria Adelaide e Vincent tiveram tempo suficiente para elaborar uma atração melhor, já que A Lei do Amor havia sido adiada. Agora, eles correm atrás do prejuízo sumindo com parte do elenco e promovendo modificações, mas estão destruindo o enredo, que tem suas qualidades.

Dificilmente, diante deste cenário, A Lei do Amor vai conseguir se livrar de carregar o título de uma das piores audiências da faixa das 21h da Globo.