RedeTV! acerta com o Sem Rodeios

Sem Rodeios na RedeTV!
Sem Rodeios na RedeTV!

Na última semana, a RedeTV lançou, a toque de caixa, um novo programa jornalístico. Exibido na faixa das 18 horas, Sem Rodeios estreou às pressas para substituir o fiasco Olha a Hora, tentativa frustrada da emissora de fazer um jornalístico popular para bater de frente com os jornais policiais Cidade Alerta e Brasil Urgente. A atração, pilotada por Luciano Faccioli, foi uma tentativa da nova direção artística do canal, capitaneada por Elias Abrão, de alavancar a grade noturna da rede.

Olha a Hora estreou no mesmo dia que o canal realocou seu principal telejornal, o RedeTV News, descolando-o da faixa das 21h30 para às 19h15. Foi uma grande quebra de hábito, tendo em vista que o principais telejornal da RedeTV sempre foi exibido após às 21 horas, desde a estreia do canal. E o hábito, aliás, é mais antigo que isso, já que o Jornal da Manchete, da extinta Rede Manchete, canal que a RedeTV sucedeu, também era exibido neste horário. Ou seja, tratava-se um hábito de décadas. Sabendo dos riscos da mudança, a direção do canal concluiu que um jornal popular exibido antes funcionaria como uma boa sala de espera para o noticiário principal.

No entanto, não foi isso que aconteceu. Olha a Hora não conseguiu fazer frente aos concorrentes do horário. Sem os mesmos recursos, e com um apresentador sem o mesmo traquejo de Marcelo Rezende e José Luiz Datena, a atração acabou revelando-se um grande fracasso. Tanto que apenas uma semana depois da estreia, Olha a Hora perdeu uma hora de sua duração (inicialmente ia ao ar das 17h às 19h15) para a programação da Igreja Universal do Reino de Deus, que alugou a faixa. E, surpreendentemente, Olha a Hora conseguiu o feito de derrubar ainda mais a já baixa audiência recebida pela programação da Igreja. O péssimo resultado pode ser creditado ao próprio Faccioli, que é até um repórter interessante (ele fazia boas matérias nos tempos do Tudo a Ver, na Record), mas deixa a desejar como apresentador. Com fala empostada e radiofônica e comentários pouco relevantes, o jornalista não consegue segurar o público.


Por isso, Olha a Hora saiu do ar ainda no meio da semana retrasada, e na segunda-feira passada a RedeTV já colocou no ar seu substituto, Sem Rodeios. Comandado pela prata da casa Mauro Tagliaferri, acompanhado dos competentes João Paulo Vergueiro e Ana Paula Couto, Sem Rodeios revelou-se uma excelente opção para a faixa horária. Com formato de revista eletrônica, a atração mescla o noticiário do dia com entretenimento e muita análise, trazendo convidados para comentar e aprofundar as diversas pautas do dia. O programa conta ainda com uma boa equipe de reportagem, excelente desempenho do time de apresentadores e consegue ser um noticioso de postura conversada e informal, mas longe da pirotecnia e da gritaria sanguinolenta dos jornais do horário da Record e da Band. E os resultados vieram em pouco tempo: com apenas uma semana no ar, Sem Rodeios já apresenta audiência superior ao Olha a Hora, e, ao contrário de seu antecessor, consegue ampliar um pouco os números em baixa herdados da programação religiosa. Claro, a audiência do Sem Rodeios não é nada espetacular, e ainda está abaixo do 1 ponto no Ibope, mas a situação do horário já teve uma leve melhora. Bom sinal.

Na verdade, por mais que a RedeTV sempre tenha apresentado conteúdo de entretenimento de qualidade duvidosa, seu jornalismo sempre se destacou pela qualidade. O canal tem um telejornal principal, o RedeTV News, que é muito bem-feito, e sempre teve em sua grade outras atrações de jornalismo de qualidade, como os extintos Good News e Tema Quente, além de É Notícia, Leitura Dinâmica e Debate Brasil, que seguem no ar.

Atualmente comandado por Franz Vacek, o jornalismo da RedeTV ganhou reforços interessantíssimos no último ano, como o programa de reportagens Documento Verdade, o esportivo Super Faixa do Esporte e o talk show Mariana Godoy Entrevista. Sem Rodeios veio para ampliar a boa leva de programas jornalísticos do canal e oferecer uma boa opção ao espectador. Aliás, o canal faria muito bem em ampliar, cada vez mais, sua produção jornalística, que destoa bastante das outras atrações da grade.

Capa do livro Tele-Visão - A Televisão Brasileira em 10  AnosAndré Santana é autor do livro “Tele-Visão: A Televisão Brasileira em 10 Anos”, uma publicação da Editora E. B. Ações Culturais, impressa e distribuída pelo site Clube de Autores, e está à venda em versão impressa e e-book, apenas pela internet. É possível adquiri-lo clicando AQUI .